Um novo vocabulário

Vou me abrir com você, compreensivo leitor: neste exato momento eu estou me sentindo um completo incompetente. Afinal, aceitei o desafio de criar este blog e passei horas apenas tentando arrumar um nome para ele. Caramba, se eu estou sofrendo tanto para bolar um mísero nome, como eu vou fazer para abastecer diariamente esse espaço com assuntos fascinantes, com discussões empolgantes, com desafios ao senso comum e quetais?

Bom… Não quero soar defensivo, mas você há de concordar comigo: não é tão fácil assim pensar num nome bom para uma publicação sobre sustentabilidade. Blog Verde? Horrível. Por que verde? A idéia aqui não é ficar falando apenas de folhas, matas, florestas e outros praticantes da velha arte da fotossíntese. O conceito de “verde” é limitado, incompleto. Está cheio de coisas verdes no mundo que não são sustentáveis (e não estou falando de futebol), assim como tem coisas sustentáveis de todas as cores. Cheguei a pensar em batizar o blog de “Todas as Cores”, mas achei que o leitor talvez pensasse tratar-se de um blog gay. Melhor evitar essas confusões.

Eu podia então apelar para aquelas palavrinhas de sempre: “ecologia”, “meio ambiente”… Mas acontece que elas são péssimas. Ecologia é a ciência que estuda as relações entre as espécies vivas. Não tem nada a ver com o que quero discutir aqui. Meio ambiente, além de ser uma redundância meio ridícula (meio e ambiente são sinônimos), também não traduz a idéia certa. Dizer que é “defensor do meio ambiente” é uma bobagem que não quer dizer nada e que revela uma visão antiga, ultrapassada da natureza: algo que deve ser mantido intocado enquanto destruímos sem piedade tudo aquilo que não é natureza.

Caí então inevitavelmente na tal “sustentabilidade”, mas não fiquei feliz. Poxa, mesmo a idéia de “sustentabilidade” é irritantemente pobre. Ok, é verdade que, nas últimas décadas, abusamos do direito de ser insustentáveis. Nossos sistemas econômico, político, financeiro são todos concebidos em nome do ganho imediato, deixando de lado qualquer preocupação com sua viabilidade a longo prazo – estão aí a crise econômica mundial e o hoje inegável aquecimento global para provar isso.

Mas acontece que ser sustentável, apesar de ser um bom começo, não é suficiente. É o que disse o arquiteto Mitchell Joachim, sobre quem vou falar mais esta semana. “Eu não gosto do termo”, ele disse numa entrevista à revista americana Wired. “Não é evocativo o suficiente. Você não quer que seu casamento seja sustentável. Você quer que ele seja evolutivo, enriquecedor, interessante.” Sustentável, apenas, é miseravelmente pouco.

Aí me dei conta do seguinte: estamos tão atrasados nessa discussão que não temos ainda nem um vocabulário decente para ela. É tão difícil encontrar um nome para este blog porque ainda nem criamos as palavras certas para falar desse assunto. Este blog aqui parte desse princípio: o de que precisamos urgentemente encontrar um sistema novo de idéias e de crenças. Não espere encontrar aqui, portanto, nenhuma daquelas velhas discussões – por exemplo, a arqueológica divisão entre “esquerda” e “direita”, duas palavras que não significam mais nada. Este blog vai se dedicar todos os dias ao trabalho de construir junto com seus leitores um novo jeito de pensar, um novo vocabulário. “O mundo mudou. Precisamos mudar com ele”, disse Obama no seu discurso de posse. Este blog humildemente se propõe a ajudar.

Foto: NASA / Goddard Space Flight Center

Anúncios
45 comentários
  1. anonimo disse:

    A Terra não é verde, nem cinza, nem marrão… “A Terra é azul!”, de acordo com Yuri Gagarin e todos os outros que o seguiram. Aliás sustentabilidade também é complicado… afinal o que tem de sustentável em reflorestar grandes áreas com Eucalipto, planta estrangeira e invasora que inibe o crescimento da flora nativa. Ou, de levantar grandes cata ventos que confundem e matam insentos, aves e morcegos? Que tal a energia limpa das hidrelétricas que inundam grandes áreas. Temos Parques Nacionais, espalhados e isolados uns dos outros gerando cruzamentos de animais consanguineos por gerações. É… sustentar não é fácil.

  2. Tania Menai disse:

    Que maravilha ver o Denis aqui!! Parabens pelo blog!

  3. Patrícia Nunes disse:

    Denis,gostaria de sugerir um título para o seu blog,que tal: O mundo e as nossas atuais necessidades… ou então O mundo e sua Real Sustentábilidade.Imagino o seguinte: Quando se fala em mundo imagina-se um universo certo? Quando pensamos em nossas necessidades, generalizamos e pensamos nas dificuldades e suas reais soluções. Quando intitulamos Real solução, abrimos um leque para várias outras idéias que podem ser discutidas infinitamente, vc concorda?Então é isso, boa sorte e se a dica não foi muito boa, tenho certeza de que fez vc analisar um outro caminho…Patrícia Nunes / Petrópolis

  4. TEREZA RODRIGUES disse:

    DENIS…ACREDITO QUE A REFLEXAO DEVERIA SER DENTRO DO TEMA…”HUMANIZAÇAO AMBIENTAL”….NA INTENÇAO MAIOR DE QUE CADA UM PERCEBE-SE COMO CO-AUTOR DAS ARRUMAÇOES OU DESTRUIÇOES DO MEIO…ME PREOCUPO COM ISTO…FIZ PARTE DE ELABORAÇAO E EXECUÇAO DE VARIOS PROJETOS EDUCACIONAIS NESTA AREA E COMO EDUCADORA ACREDITO QUE, A ESCOLA E A COMUNIDADE QUE A CERCA, SEJA O NORTE PARA AS MUDANÇAS E OU PROTEÇAO QUE PRETENDEMOS NO CONTEXTO MUNDIAL…QUERO AFIRMAR DESDE JA QUE, SEU BLOG DARA CERTO…POIS ENQUANTO ELABORADOR DO MESMO VC JA EXPOE COMO O NAO DETENDOR DA VERDADE, VC FEZ O CAMINHO CONTRARIO..E CREIO EU O PRINCIPIO DA HUMANIZAÇAO DO MEIO SE EMBALA EM DUVIDAR..REFLETIR E AGIR…TUDO DE OTIMO P VC…TEREZA RODRIGUES -VILA VELHA -E.S

  5. Joana disse:

    Prezado Denis,Enriquecedor, evolutivo é interessante! Deu uma linda frase. rsrs. Levando-se em conta a atual conjuntura mudial, todas essas mudanças causarão também amadurecimento para que o ser humano reflita mais sobre suas ações. Quem sabe, enriqueça-se com um pouco de conhecimentos e humildade. Especialmente alguns que pensavam estarem acima do bem e do mal?! Esperando que isso aconteça vamos estudar e trabalhar muito para termos ressultados interessantes, significativos para todos, seres e meio.

  6. Andréia disse:

    Realmente nosso atraso é muito grande quanto tratamos de preservação, sobrevivência de todas as espécies (inclusive a nossa}e sustentabilidade. Mesmo assim, melhor “evoluir” de alguma maneira do que preservar a burrice humana ( desculpas por ofender os burros, mas associo o termo a teimosia, por isso o considero mais justo do que “ignorância”). Sustentabilidade é tudo de bom se conseguimos nos enxergar como parte dependente de um todo, do que contrário, não afetando a mim, pouco contribuirei, é assim que funciona com seres “inteligentes”. Moro em uma pequena cidade de interiore defendo a idéia do retorno a uma vida simples sim, não o uso de velas e carros de boi, mas um mod

  7. virginia disse:

    Denis, concordo muitissimo com voce, no que diz respeito, a ideias novas, pois se as apresentadas pela humanidade fossem boas, o auecimento planetario n estaria aumentando… ei e quem foi que disse que Blog Verde e um nome tao ruim assim? Abraços!!!

  8. Noemi Juvenal de Almeida disse:

    Se é sua estréia não sei, mas, me pareceu assim. Gostei muitíssimo das sua críticas,todas as palavras estão superadas. Nome para um Blog interessante? Também não sei dificílimo,mas, sei que posso contribuir um pouquinho, participando desta…….

  9. gilda disse:

    Estou com vc na luta pela sustentabilidade de nossas ações futuras, para salvaguardar o NOSSO FUTURO e o das novas gerações. Não sei se vc está querendo mudar o nome do blog -esse me pareceu suficientemente bom- mas pensei em GAIA, que é o nosso planeta, a nossa mãe. Gostei muito da idéia e pretendo, sempre q possível, estar em contato com vc. Parabéns _ o mundo precisa de pessoas compo vc.

  10. anonimo disse:

    Ozimar, por favor, traduza o seu comentário paradigmático, dialético, paradoxal e enrolático…

  11. Victor disse:

    Isso aí Denis: atitude. Parabéns pela idéia e pela transparência.Ah… Hey, Rodney, se um dia você ficasse em dúvida sobre qual roupa usar, então sairia pelado é?Que bom que as dúvidas ainda são estímulos para idéias – pelo menos para alguns(.)

  12. virginia disse:

    Denis, concordo muitissimo com voce, no que diz respeito, a ideias novas, pois se as apresentadas pela humanidade fossem boas, o auecimento planetario n estaria aumentando… ei e quem foi que disse que Blog Verde e um nome tao ruim assim? Abraços!!!

  13. mauro disse:

    “Encontrar um novo sistema de idéias e crenças” que estejam mais de acordo com a relação entre a espécie humana e a biota que recobre o planeta. Esta, creio eu, é a tarefa que se impõe a todos aqueles que se preocupam com o futuro de todas as espécies que habitam a terra. Todo o sistema finito é limitado por natureza. E, pela primeira vez na história humana, essa limitação mostra seus contornos gerais. Novas crenças que sejam verdadeiras, ou seja, adequadas a um sistema com essas características, é o que espero encontrar neste blog. Sucesso na empreitada, caro blogueiro!

  14. Edson Biz disse:

    Olá Denis.Excelente assunto.Começar a esclarecer e mostrar produtos sustentáveis, tão dificil de encontrar.Minha contribuição é apresentar um produto totalmente amigavel com o ambiente. Mictorio SUNMING “Water Free”. A nanotecnologia a serviço do ambiente, não usa água corrente para limpeza, sómente um litro por dia,não produz odor,contém nanoparticulas de prata e nanobactericida no seu interior.Economiza toda água desperdiçada nos mictóros comuns. Quem quiser conhecer melhor, mande seu e-mail para: edson.biz@sunming-latinamerica.com ou visite o site http://www.sunming-latinamerica.com.Sucessos nesse novo projeto!

  15. Rodiney disse:

    Se há tantas dúvidas em criar um blog, nesse caso seria mais interessante nem faze-lo…

  16. Andréia disse:

    Onde foi parar o resto do meu comentário?

  17. Ozimar disse:

    O nome verde tem sido muito usado,portanto ficaria batido.E essa história entre sustentabilidade e evolução é paradoxal já que o mundo precisa evoluir para alcançar a sustentabilidade.A evolução da humanidade é um processo dialético então hora temos uma paradigma da sustentabilidade ,hora,outro qualquer.Então evolução é o processo natural na história humana e não um paradigma,uma palavra paradigmática.

  18. anonimo disse:

    Toda a questão é: “quanto do nosso conforto, segurança e condições de higiene que conquistamos ao longo da história, estamos dispostos a abrir mão?”. Por exemplo: vocês fazem idéia de quanto material sintético há nesse computador que vocês estão usando neste momento ao ler esse blog? Ou, quantas árvores foram submersos para a construção da usina hidrelétrica para você poder acender a lâmpada do seu quarto? Como a grande maioria não está disposta a voltar ao papel (caneta, envelope e correio) e usar velas, vamos ao menos reciclar, instalar placas de celulas fotoeletricas nas casas, armazenar e usar a água da chuva para regar e lavar o quintal, levar sacolas ao supermercado, … Na verdade, todos sabemos como colaborar, basta deixar a preguiça de lado um pouco.

  19. Luiz disse:

    Denis, também me irrito bastante com esses termos ‘ambientais, meio ambiente e ecológico, etc. Sou biólogo com 29 anos de experiencia no setor ‘ambiental’ (áreas florestais e indutrial), mas compartilho com você essa irritação com esses nomes da moda. Outra prática que também me irrita é essa ecologia romântica, quase religiosa, essa adoração por ‘bichinhos tipo tartaruguinhas, baleinhas, macaguinhos, etc. Denominei isso de ‘Ecologia Carismática’. Acredito que para uma nova visão nessa linha de pensamento do seu blog e também porque vivemos nesse mundo onde quase tudo já está ‘fragmentado’ surgiro o nome:’Ecomonia Colaborativa’, já que toda a base para o desenvolvimento dos processos produtivos tem uma visão ‘eco-nômica’. Esse conceito sugere um modo de vida mais equilibrado e compartilhado da humanidade. Boa sorte no novo blog e abraços.

  20. anonimo disse:

    Verde é um termo demagógico. Fácil criticar a tecnologia sentado numa cadeira com forro de fibras sinteticas digitando num laptop, usando uma lampada para iluminar o quarto e tomando Coca Cola num copo de plástico… e se dizendo e defendendo o Verde. Mas, Sustentabilidade é um termo mais justo. Podemos sim manter o conforto e usar a tecnologia desenvolvida durante séculos ou mesmo milênios e manter o equilibrio respeitando os limites do planeta.

  21. Blanca disse:

    Que beleza de texto . Já sou sua fã. Suas idéias me fizeram pensar. Seu blog é um presente, nem precisa de nome. Obrigada. Blanca

  22. despoeta disse:

    Aquela senhora tem um piano /Que é agradável mas não é o correr dos rios /Nem o murmúrio que as árvores fazem… /Par que é preciso ter um piano? /O melhor é ter ouvidos /E amar a natureza.

  23. cavalo-marinho disse:

    É , de fato a referência ao nome verde como significado de busca por sustentabilidade é inadequada. Desculpem o comentário a seguir, é só um pouco de humor necessário, mas a questão me lembrou um episódio que teria acontecido com o político Paulo Maluf, quando indagado sobre a falta de verde ( plantas ) na praça Roosevelt, ele teria respondido : “Vcs acham que falta verde na pça Roosevelt? Não tem problema, vamos pintar a praça Roosevelt de verde.” o episódio pode até não ter acontecido, mas é hilário, e de certa forma tem a cara do político brasileiro. O fato verídico é que de fato a praça esteve pintada de verde por muito tempo – um horror !!!!!!!!

  24. Douglas Bernardo T. disse:

    Parabéns senhor Burgierman. Já estava passando da hora de alguém largar esses cichês chatos da era “moderna” e nos traser um pouco de vangarda.

  25. Rômulo disse:

    Pois é, tarefa ingrata essa de escrever sobre sustentabilidade. Apesar de já questionada, nem começou a funcionar.Estamos defasados naquilo que nem alcançamos ainda…

  26. Douglas Bernardo T. disse:

    Parabéns senhor Burgierman. Já estava passando da hora de alguém largar esses clichês chatos da era “moderna” e nos traser um pouco de vangarda.

  27. Thaise disse:

    gostei muito de ler as suas palavras… sua franqueza é realmente admiravel!! comparto a sua opniao, a gente precisa mesmo dar un giro “brusco” no caminho da humanidade…gostaria humildemente de comentar que ao largo das conversaçoes que tenho com amigos, costumamos dizer que ja é hora de expandir a consciencia, como se puderamos deichar abrir as “entranhas” que ate hoje estavam atadas!!! grande abraço

  28. Daniela disse:

    As pessoas estão diferentes. O indivudualismo exarcebado, a pressa de chegar a algum lugar, o distanciamento devido à falta de convivência por causa da tecnologia. Tudo isso tem uma certa influência na questão da sustentabilidade, do meio. É uma questão bem interessante que gostaria também de discutir nesse espaço. Não será por falta de uma nomenclatura adequada que deixará de existir! Parabéns pelas colocações…Quero lê-las mais e mais!

  29. Cláudio José Chaves disse:

    Muito interessante sua discussao, a palavra sustentabilidade é usada como um marcketing para os grandes empresarios fugir de suas responsabilidades. “Vamos abrir os olhos”

  30. Sérgio disse:

    Você estava faltando no pacote Veja. Junto com Reinaldo Azevedo,e agora estes assuntos o que mais gosto e me preocupa no mundo de hoje. Siga firme.

  31. Blanca disse:

    Minha vida é enriquecida pelo Reinaldo Azevedo, Diogo Mainardi e agora por Denis Russo. Obrigada por seu blog! Gostaria, também, de comentar a notícia da revista “Nature”, sobre a constatação de que as florestas tropicais nos últimos 40 anos cresceram mais do que o esperado e suspeita-se que foram “beneficiadas” pelo aumento de emissão de carbono da atmosfera. Eu suspeito também que o homem vai cuidar do planeta não apenas porque é o seu lar mas porque pode ganhar muito, muito dinheiro com isso. Que Wall Street que nada! O grande filão de hoje, de amanhã, de sempre é e continuará sendo a preservação e (desculpe…!) sustentabilidade!

  32. Blanca disse:

    Minha vida é enriquecida pelo Reinaldo Azevedo, Diogo Mainardi e agora por Denis Russo. Obrigada por seu blog! Gostaria, também, de comentar a notícia da revista “Nature”, sobre a constatação de que as florestas tropicais nos últimos 40 anos cresceram mais do que o esperado e suspeita-se que foram “beneficiadas” pelo aumento de emissão de carbono da atmosfera. Eu suspeito também que o homem vai cuidar do planeta não apenas porque é o seu lar mas porque pode ganhar muito, muito dinheiro com isso. Que Wall Street que nada! O grande filão de hoje, de amanhã, de sempre é e continuará sendo a preservação e (desculpe…!) sustentabilidade!

  33. Ana Paula disse:

    Olá Denis. Sei que hoje é dia 19, mas só agora consegui ler o seu texto do dia 13 e sinceramente… FANTÁSTIACO!! Este é o melhor ‘vocabulário’ para qualificar as palavras ali proferidas. É só. Abraço. Bom feriado de carnaval.

  34. Alexandre Silva disse:

    Para conhecimento.

  35. Denis RB disse:

    Eita! Generosidade sua, Eduardo. Valeu!

  36. Eduardo Lage Leite disse:

    Denis, Denis, até que enfim o essencial da vida (que nunca teve “nome” mesmo), esta ganhando voz na midia de massa. Que bom que essa “voz” esta ressoando com o seu timbre. Parabens e manda vê.

  37. Antonio Corrêa Carlos Filho disse:

    Olha Denis eu também tenho tentado ensinar as pessoas a diminuirem o aquecimento global fazendo aquecedor solar artesal. Já dei algumas oficinas/palestras e escreví uma apostila explicativa. Se alguém tiver interesse pode pedir por e-mail, pq não tenho onde hospedá-laMas eu não sei porque tenho uma grande afinidade com as matérias sobre a energia solar indireta como é o caso das matérias e livros que pode ser baixados deste site: http://www.aircaraccess.com/download.htmAcredito piamente que está é a solução para as questões da captura de energia limpa e melhor ainda, grátis; obviamente descontado os custos e operação das máquinas de captura.Vale muito a pena lerem este livro: Compressed Air Power Secrets NEW 374- PAGE BOOK OF COMPRESSED AIR THEORY que é o ítem 02-09.

  38. Édson José Bolda disse:

    Olá Denis, acabo de ter acesso ao seu Blog e tenho que concordar que não podemos pensar em “Meio” Ambiente.Esse é o grande problema da humanidade, só pensamos naquilo que é um meio de melhorar nossas condições de subsistência, e, na maioria das vezes o que conseguimos é ser mais um pontinho insignificante no meio do Universo!Parabéns pela pela forma de abordagem dos temas e principalmente pela confissão pública de que alguns dos seus atos não tem nada de SUSTENTÁVEL!!! Quero incluir-me neste grupo e dizer que se todos fizéssemos o mea culpa certamente o Ambiente “inteirinho” estivesse em condições Bem Melhores.Gde Abraço.Édson José Bolda.

  39. Édson José Bolda disse:

    Olá Denis, acabo de ter acesso ao seu Blog e tenho que concordar que não podemos pensar em “Meio” Ambiente.Esse é o grande problema da humanidade, só pensamos naquilo que é um meio de melhorar nossas condições de subsistência, e, na maioria das vezes o que conseguimos é ser mais um pontinho insignificante no meio do Universo!Parabéns pela pela forma de abordagem dos temas e principalmente pela confissão pública de que alguns dos seus atos não tem nada de SUSTENTÁVEL!!! Quero incluir-me neste grupo e dizer que se todos fizéssemos o mea culpa certamente o Ambiente “inteirinho” estivesse em condições Bem Melhores.Gde Abraço.Édson José Bolda.

  40. elisabete duarte disse:

    Bom dia!Ontem, numa reunião de professores, discutíamos sobre um tema gerador para 2009 quando alguém sugeriu A sustentabilidade.Gostaria que você soubesse que o compartilhamento das idéias que lemos neste blog enriqueceu a discussão naquele momento e nos fez pensar mais profundamente sobre o assunto. Viu que importância e que responsabilidade vocês e todos que participam tem, utilizando esse importante meio de comunicação? Por enquanto, obrigada pelas contribuições já recebidas!

  41. joão roberto campos disse:

    Vou ver c m explico bem.Vendo o globo terrestre e “sua aura” o nome do seu blog só pode se chamar ” ATMOSFERA”.È SÓ DESPOLUIRMOS A MENTE.JOÃO

  42. Franklin disse:

    Denis leio todos seus blogs e acho-os ótimos.Agora de te propor uma ideia:explicar o contexto da atual crise.muito se fala nela ,mas acho que você poderias nos mostra de outra forma,ma que seja menos superficial,propondo soluções .Usar analogias,que voê faz muito bem,para que todos possam entendé-la melhor e para que possamos fazer nossa parte de uma forma mais consciente.

  43. Denis RB disse:

    Oi Franklin, acompanhe a série que estou publicando agora – Sardinhas, banqueiros e a diferença entre os sexos. Acho que é bom próximo do que você está me pedindo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: