Qual embalagem?

ten_containers_header

O site americano Chow, especializado na arte de comer, beber e se divertir, trouxe uma matéria útil ajudando a gente a escolher a melhor embalagem para levar comida para casa. Eles deram nota de 1 a 5 para cada opção, considerando o impacto ambiental de cada uma. Resumindo:

NOTA 1

Isopor, como aquele para manter café quente. Esse material simplesmente torna-se uma parte permanente do meio ambiente: ficará lá para sempre entulhando o mundo. Cidades americanas estão começando a proibir essas embalagens.

NOTA 2

Caixas de plástico, como aquelas muito empregadas em saladas ou frutas no supermercado. Além de serem feitas de petróleo, que está em falta e cuja exploração causa vários danos ambientais, tem substâncias potencialmente nocivas que podem contaminar a comida.

NOTA 3

Sacos plásticos ou de papel, como os de supermercado. É difícil determinar qual dos dois é menos pior – depende das taxas de reciclagem de cada material em sua cidade. A decisão é entre derrubar árvores ou colocar material não biodegradável no mundo. O ideal é escolher pensando em qual dos dois você tem alguma chance de reutilizar.

NOTA 4

Papel alumínio. Alumínio é abundante (embora não infinito) e pode ser reciclado quantas vezes for necessário (o que é ótimo, mas consome energia).

Papel reciclado. Que também não é perfeito, porque sua produção gasta energia. Além disso, geralmente não há garantia de que o papel seja 100% reciclado – e, se não é, árvores morrerão.

NOTA 5

Embalagem comestível. Cones de sorvete, pão recheado de sopa… Ou folhas de banana enroladas, que não são comestíveis, mas não poluem. Mas não adianta nada se você se melecar todo e precisar de 20 guardanapos de papel para se limpar.

Sua própria embalagem. Tenho uma, dobrável, que cabe no bolso e mora na bolsinha da minha bicicleta!

Anúncios
7 comentários
  1. Jay Jay, Nigeria disse:

    Oi Denis,

    É complicado essa história de embalagens, veja só:

    Há 40 anos atrás (penso que você ainda nao era nascido) quando ainda nao havia tanta necessidade de aumentar eficiência às custas do nosso bem estar, tinhamos o previlégio de consumirmos em casa, comida preparada em família com ingredientes que foram comprados na feira (produçao local) embalados em jornal (reciclagem primária) e transportado em carrinhos de feira (sem consumo de combustível, adicionando atividade física).

    Isso é niilismo e saudosismo.
    Esses tempos nao voltam mais e nem tem porque, estamos em outro nível de desenvolvimento.

    O embroglio todo é fazer esse nível de desenvolvimento ser o menos prejudicial possível ao meio ambiente do qual somos parte integrante e infelizmente, agente destruidor também.

    Ótima o enfoque do CHOW, mas como eles mesmo concluem, até a embalabem própria tem os seus senoes: tem que ser higienizada, e aí é outra história.

    De qualquer forma vale o objetivo de controlar ao máximo possível o impacto que o nosso conforto provoca no meio ambiente.

    Valeu.

  2. Acir disse:

    As embalagens são realmente um desafio à reciclagem. Muitos materiais são desenvolvidos sem se pensar no seu reaproveitamento. Mas um dado me chamou a atenção nessa pesquisa: o papel. Quando se refere a “morte de árvores” para a sua fabricação. Que árvores são estas? Se foram árvores nativas realmente seria uma agressão. Agora, se são árvores provenientes de reflorestamentos comerciais, isso significa que está se usando um recurso renovável, perfeitamente coerente e correto. Ou esta instituição é uma dauqelas ONG’s fundamentalistas que acham que reflorestamentos são “desertos verdes”? O papel é um material renovável e reciclável.

  3. E aí Denis?! Tudo bom? Valiosas dicas! Sempre tento reduzir os saquinhos de supermercado, mas confesso que eles foram muito úteis quando o beb~e era pequeno e sujava muitas e muitas fraldas por dia…Hoje tenho minha sacolinha pra levar ao supermercado e evito ao máximo o isopor! Beijos! Cris Ventura

  4. denis rb disse:

    Valeu, Cris!
    Pois é Jay Jay, lembro bem de quando embalagens descartáveis eram sinal de progresso. Já tive muito “casco” de cerveja guardado embaixo do tanque…

  5. Marcita disse:

    Ah Denis, vale a foto desse copo, né? Afinal, as coisas boas a gente tem que imitar! 🙂
    Vou esperar por esta postagem!
    Beijo

  6. Cacto disse:

    Olá Denis

    Falando em embalagens. Aqui em Imperatriz – MA, o professor Walber e seu aluno de uma escola pública da cidade estão nos EUA mostrando uma possibilidade para embalagens utilizando o buriti que é naturalmente degradável na natureza. Achei fantástica a pesquisa deles.

    Beijos

    Cacto

  7. jose carlos disse:

    Vejo que as pessoas tem dificuldade para embalar compras de supermercado.As caixas plasticas,tipo de verdureiro, apesar de plasticas duram muito.Tenho algumas ha uns 15 anos e estão otimas ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: