O ônibus gigante

Um carro, na estrada, carrega em média 1,2 passageiro. Um ônibus carrega 60. Ou seja, um ônibus carrega tanta gente quanto 50 carros. E emite o equivalente a 4 carros em gases do efeito estufa.

Essa foi a premissa da Flygbussarna, uma empresa sueca de ônibus, quando eles resolveram bolar a publicidade da empresa. Aí eles arrumaram a sucata de 50 carros e, com ela, construíram uma imensa escultura de um ônibus gigante. Pegaram o bichão e colocaram na beira da estrada, no caminho para o aeroporto (a Flygbussarna faz a rota cidade-aeroporto). O ônibus gigante de sucata foi tão bem bolado que os motoristas diminuiam a velocidade para ver melhor. Resultado: engarrafamentos. O que serviu para aumentar o efeito da propaganda. Então o pessoal da empresa começou a computar todos os carros que passavam em frente ao ônibus gigante e calcular o quanto de gás carbônico seria economizado se essa gente toda pegasse ônibus, em vez de dirigir. Resultado: uma enormidade.

Belo exemplo de propaganda bem bolada, inovadora e que ajuda efetivamente as pessoas a perceber a conexão entre os seus atos e o planeta. Refrescante. Especialmente porque estou acostumado com comerciais que apelam aos mais baixos instintos humanos para vender a qualquer custo (como aquele do carrão que serve para roubar a mulher do sujeito que tem um carro pior, que passa na TV brasileira).

O vídeo, abaixo, está em inglês, mas vale a pena assistir mesmo que você não entenda a língua, para ver a cena impressionante do ônibus gigante sendo construído.

httpv://www.youtube.com/watch?v=wS_ZiBlvoGE

Anúncios
9 comentários
  1. Rogério de Oliveira Soares disse:

    Meu Dvd, receptor Sky e tv 42 ñ recebem mais energia para stand by pois puxo a tomada todo dia. Vou a pé para o trabalho que fica pertinho, enfim só o aquário fica ligado para os peixes ñ morrerem, geladeira bem no limete para conservação. Acredito que a espécie humana ñ possui estatura intelectual para pensar no que fazer em sua casa e nas ruas para combater essa depedração energética. Acredito que o legado de civilizações futuras salva de alguma forma a nossa pele de ser varrida por entidades biológicas mais avançadas que por “sorte” ñ suportam os decrescentes níveis de oxigênio de nossa idade. Talvez o homem do futuro zela por nossa presença medíocre e viral nesta frágil membrana de vida da Terra. Abraço aos leitores!

  2. Márcio disse:

    O que me irrita é que, mesmo com o mundo na “merda” (desculpem o termo), essa cultura do carro se mostra indestrutível. Em todas as dimensões: econômica, política, cultural etc. Ou seja, como escolhi andar a pé ou de bicicleta, sou visto pelos colegas como menos maduro, menos viril e não tão digno de ser levado a sério…enfim, um perdedor: “Como assim, você chama uma garota pra sair e leva ela de ônibus?!”

    Porque cargas d’água reduzir o IPI pra vender mais carros? O carro tem que ser cada vez mais taxado, mais barrado nas grandes cidades. Por que a sáida pra tudo sempre apela pro lado egóista, individualista e consumista da questão? Pô, querem estimular a indústria pra sair da crise, por que não se pensa nisso conjumantente às questões que envolvem meio-ambiente e qualidade de vida?

    Ao invés do IPI, poderia-se facilitar a ampliação de transportes coletivos, diminuir tarifas (o que aumentaria a demanda e, consequentemente, a qualidade dos transportes públicos), criar empregos em setores alternativo etc etc. Há tantas coisas possíveis, mas sempre se opta pela mais cômoda, e claro, onde está o nosso lindo rabo preso de sempre: a tralha da indústria automobilística, que manda nesse país! Tudo em nome do trabalho, tudo em nome do emprego.

    Esse blog é ótimo pra pensar a questão do transporte em Sampa:http://panoptico.wordpress.com/

    Sobre essa questão do trabalho:
    http://ciscobh.blogspot.com/2009/04/o-trabalho-liberta-sera-mesmo-parte-01_30.html

  3. jorji disse:

    Denis, vc tem razão, aquele comercial do carrão brasileiro é lastimável. O ônibus gigante realmente foi bem feito.

  4. Leonidas disse:

    Sugiro ao Rogério a libertação incondicional e imediata dos peixes mantidos em cárcere privado.

  5. Eduardo disse:

    Acabei de me registrar no “Click Árvore”, patrocinado pela Abril, e não pude deixar de ler essa noticia.
    Muito bem bolado essa inovação!

  6. marcelo vergara disse:

    Olá Denis, cada tema um mais legal que o outro, só boas ideias!
    Que beleza!
    Valeu
    Abç

  7. Rogério de Oliveira Soares disse:

    MANDOU BEM MÁRCIO FALANDO DA CONTRADIÇÃO SOBRE IPI VS TRANSPORTE COLETIVO!!!!!

  8. Leopoldino Figueiredo Júnior disse:

    Meu caro Denis Russo,

    Olha, a matemática aí do ônibus não está tão coerente em termos de poluição. Veja só: se um ônibus transporta gente pelo equivalente a 50 carros, mas polui por 4 carros, então a quantidade de carros para formar o ônibus ecológico seria 50/4 = 12,5 carros, e não 50.

    Abraços!

    Leopoldino Figueiredo Júnior

  9. denis rb disse:

    Verdade, Leopoldo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: