Rei do pop ou peão?

Quando eu era editor da revista Superinteressante, em 2004, publicamos uma reportagem sobre a decadência de Michael Jackson e o quanto isso revelava sobre a máquina de fazer e destruir ídolos que domina a indústria cultural mundial. A pergunta era: será que Michael era mesmo o rei do pop ou não passava de um peão de um jogo de cartas marcadas, que só podia mesmo dar nisso? Foi uma belíssima matéria, assinada por dois dos mais talentosos jornalistas com quem tive o prazer de trabalhar: Ivan Finotti, hoje na Ilustrada da Folha de S.Paulo, e Bárbara Soalheiro, hoje na Colors, da Itália. Reli hoje a matéria, e ela continua bem atual. Se você estiver cansado de tantas “retrospectivas”, “homenagens” e “tributos”, e quiser algo com um pouquinho mais de consistência, clique aqui. E depois me diga se essa história não é reveladora da insustentabilidade dos valores da nossa sociedade.

Ah, na época publicamos esta foto aí abaixo. Este, segundo o artista judicial Stephen Mancusi, da polícia de Nova York, seria Michael Jackson hoje caso ele não tivesse feito tantas plásticas.

este-seria-michael

Anúncios
28 comentários
  1. Pedro disse:

    Não havia coisa mais artificial que Michael Jackson (depois de Dubai, claro). Quando vejo uma foto da face dele nesses últimos anos, me assusto ao olhar praqueles olhos gigantes numa cara tão pequena. Nem acredito que a TV tá fazendo edicao especial para alguém que tão pouco contribuiu pro desenvolvimento humano.

  2. joão paulo I marinho da nóbrega disse:

    PARABÉNS PELA MATÉRIA “REI DO POP OU PEÃO?” NELA VOCÊS REVELAM BEM A VERDADEIRA FACE DO “MAR”DE ALIENAÇÃO EM QUE A HUMIDADE É MERGULHADA TODOS OS DIAS PELO IMPÉRIO DA VIDEOCRÁCIA.GOSTARIA QUE TODO O PLANETA TAMBÉM PODESSE LER.

  3. Jay Jay, Nigeria disse:

    A cultura Americana é isso aí, tem uma capacidade infinita de construir e destruir os próprios ídolos. Michael Jackson já estava morto há mais de década, só faltava mesmo ser enterrado para ser transformado em mais outro herói do pau oco nas cabeças ocas dos seus idólatras.

  4. Brasileiro no Canada disse:

    Eu queria formular ao articulista as seguintes perguntas:

    O regime da Coreia do Norte e’ sustentavel? E o da China? E o da URSS de Stalin?

    Se pegassemos uma foto do articulista quando crianca e dessemos a um artista que nao o conheca, a simulacao de como se pareceria quando velho seria igual a sua aparencia atual? Ou seria diferente?

    Einstein dizia que o trabalho dele era 5% raciocinion e 95% de trabalho arduo. Ser peao/trabalhar duro seria degradante?

    Se Michael Jacskon nao tivesse tido tantos problemas emocionais, nao poderia ele ter administrado melhor sua imensa fortuna, evitando a divida?

    Quantas pessoas ele empregava?

    O artigo nao resiste a 5 minutos de leitura…

  5. Jay Jay, Nigeria disse:

    Mas que é que a sustentabilidade (ou a falta dela) da Coréia do Norte, China, da falecida URSS de Stálin (a propósito, a China a que se refere é a de Mao?), Cuba dos Castros, Brasil do Lula e Sarneys tem a haver com a simulação fotográfica de um hipotético e patético Michael Jackson envelhecido?
    Claro que trabalhar é nobre e que os peões do trabalho merecem respeito e são verdadeiros heróis, mas o PEÃO do post se refere a “ferramenta”, uso inadequado de uma pessoa para proveito de outros, não tem nada a haver com peões trabalhadores. É o mesmo PEÃO que gira com a velocidade que o manipulador deseja.
    Quanto aos cinco minutos de leitura, não resiste mesmo, é possível lê-lo em menos de um minuto até.

  6. Denisson disse:

    Já fiz projetos de software de envelhecimento de pessoas e eles funcionam. Fica idêntico? Obviamente que não, pois o envelhecimento não depende apenas das técnicas e linhas comuns que se observa nas pessoas ao longo do tempo, depende também de fatores ambientais, prática de esportes, cuidados cosméticos e etc… Mas com certeza simular michael no futuro é bem mais interessante do que filmar uma fã chorando e dizendo que não sabe mais como será a vida depois da morte dele.

    Pra mim michael jackson tem algumas músicas boas só isso. Ele é um cantor, nada mais, eu acho que essa mania de endeusamento não costuma ser positiva.

  7. Brasileiro no Canada disse:

    Exatamente, Jay Jay, o que e’ que sustentabilidade (tema do blog e do topico) tem a ver com a vida e a obra de Michael Jackson?

    Toma a vida do MJ como prova de que o nosso modo de vida nao e’ sustentavel. Elvis Presley ainda e’ um imperio e gera emprego e renda. Assim como tantos outros.

    Quanto `a simulacao: nao se leva em conta uma infinidade de outros fatores que nao a plastica. Esta nao e’ a primeira simulacao do rosto de Michael. E’ apenas UMA possibilidade entre infinitas outras que PODERIAM ter ocorrido.

    Vamos deixar claro que para o articulista peao e’ so’ no capitalismo: no socialismo existe trabalhador, companheiro, camarada, cidadao…

    E’ a polemica a servico do blog.

  8. Felipe Maddu disse:

    Denis tenho certeza que Michael era fora de série, ele era bom mesmo. Esqueça as plásticas, pense apenas na música dele. Pra mim quem fodeu com ele, com a cabeça dele foi o pai ignorante. Há rumores de que ele dizia para Michael quando pequeno que ele era feio, tinha o nariz feio, acho que isso afetou tanto ele, somado com o estrondoso sucesso. Cresceu com essa insegurança dentro dele até a morte. E não existe SE na história, já foi. Agora ele tá em PAZ, sem holofotes ou bisbilhoteiros.

  9. Pedro disse:

    Felipe, MJ, com certeza, foi alguém sensacional. Revolucionou muita coisa e cultura também é parte do desenvolvimento humano. Mas a questão do artigo não é o que ele era mas sim o que ele representava e fizeram com ele.

    Agora outra coisa: essa galerinha da geracao de empregos nao cansa nao? Nada pode mudar entao porque senao desemprega?? Peloamordedeus, parem de usar emprego como argumento porque tudo gera e tudo tira emprego. Se a gente quiser tirar a areia de todas as praias do Brasil, vamos gerar milhoes de emprego já repararam?? Se formos desmatar toda Amazônia tb. Fantásticas essas ideias não?? Será que, se a gente fizer isso, vamos resolver o desemprego no Brasil?

  10. Pedro disse:

    Pelo fim das praias e da Amazônia!!! Vamos gerar emprego Brasil!!!

  11. Felipe Maddu disse:

    Quantos Pedros, cada um falando uma coisa, estranho heinn Denis. Uma coisa legal pleo menos um deles falou, têm gente q quer f… com o País em nome de um suposto desenvolvimento às custas do meio-ambiente e se a gente reclama ainda chama de eco-chato. Quem diz isso ou é direitista ferrenho ou da esquerda mais quadrada possível.

  12. Dave Coelho disse:

    Me surpreendi com a minha própria reação diante da notícia da morte do Mike. Ainda estou muito abalado. Realmente perdemos um grande ícone. Fica a gratidão.

    (Excelente matéria. Acompanhei de perto sua temporada na Super, Denis. Saudade.)

    Abração.

  13. jorji disse:

    Afirmar que os Beatle e o Michael revolucionaram alguma coisa, é uma besteira, mas que foram extraordinários artistas, com certeza, apesar de concordar com a matéria da indústria da cultura mundial, ninguém chega ao sucesso estrondoso se não tiver um mínimo de talento, na minha opinião ele era um louco e gênio, os extremos se encontram.

  14. Ellen disse:

    Concordo com o Felipe Maddu, esqueçamos as plásticas…
    Os complexos e maluquices eram coisa só dele, ninguém tem nada a ver com isso. Ninguém faz alarde com aquela esposa do Ivo Pitanguy, que fez mais de 50 plásticas e parece uma boneca inflável!
    O cara era mesmo um esquisitão, e só Deus sabe se ele era realmente ou pedófilo, ou apenas um coitado que teve a infância perdida e só queria se sentir criança novamente…
    Eu particularmente não cresci escutando o MJ, mas é inegável seu valor para a música. Num mundo em que nomes como Britney Spears, Latino e o “CRÉU” fazem sucessos com musiquinhas fúteis, realmente acredito que MJ fez a diferença. Era realmente um rei.

  15. Rogério O. Soares disse:

    Denis
    Para mim esta foto seria como Michael estaria sem dinheiro usando cupons alimentação do governo. Mesmo sem fazer plástica tendo um pouquinho de dinheiro acho que estaria bem mais apresentável, se o Michael vise esta foto ele diria assim:
    Tá vendo! tá vendo! Eu disse que precisava fazer plástica!

    P.S.: Michael no futuro será lembrado como a mais importante entidade artística e cultural da história. Mais do que Beethoven e Michelangelo.

    Abraço aos leitores

  16. Francesco Sinibaldi disse:

    Sweet season of love.

    Delicate star
    of a beautiful
    and inner emotion,
    listen to me
    when the sun
    fades away:
    there’s a candle
    tonight in the
    light of a silence,
    and a season
    of love….

    Francesco Sinibaldi

  17. MALUKO disse:

    Pra mim esse cara morreu na duvida????maluco.Ficou sem saber com que cor seria melhor com seu talento.Com a cor Rei,ou com a cor peao…Ou so queria ser uma metamorfose humana ambulante.Pra esse mundo ser mundo tem que ter de tudo,senao nao e mundo.

  18. MALUKO disse:

    Vai com DEUS maluco.

  19. denis rb disse:

    O que me impressiona nesta foto não é MJ ser feio ou bonito. É o fato de que ele parece imensamente comum – praticamente igual a um monte de gente pelo mundo. Nosso plano, na época (infelizmente não aprovado pelas instâncias superiores) era publicar esta foto na capa. E colocar o seguinte texto: “Saiba como a indústria pop transforma gente comum em deuses. E deuses em monstros.” MJ era talentoso – imensamente talentoso. E era também frágil, filho de uma família desestruturada. Parece que essa combinação – talento demais e equiíbrio de menos – é perigosíssima. Confesso que, quando soube da morte, a primeira coisa que pensei foi “que bom que acabou o tormento dele”.

  20. denis rb disse:

    Brasileiro no Canadá, fico impressionado com a tendência de todos os debates serem reduzidos à cansada dicotomia esquerda X direita. Por que qualquer crítica à indústria pop é interpretada como um elogio ao socialismo? (E uma crítica à ditadura iraniana é entendida como uma aliança com Israel.)
    Respondendo: não vejo nada de bom nos regimes chinês, norte-coreano e stalinista. O que não me impede de enxergar as doenças do modo de vida do Ocidente. Não há regime perfeito.

  21. MALUKO disse:

    O melhor e o sem Moedas.

  22. Rogério O. Soares disse:

    Denis!
    Brasileiro no Canada me parece um “amigo” seu de faculdade que a muito acompanha sua trajetória torcendo contra é claro.

  23. Polyana disse:

    Pra quem acha que não existem pessoas insubstituíveis, taí um cara genial e insubstituível! Rei ou Peão, pra mim não importa, vão ficar as saudades… Grande referência musical e artística que marcou minha infância e com certeza a de muitos que passam por aqui. O artigo é ótimo, com certeza aquilo ali acontece de fato, é tudo real. Mas tem questões que se tornam pequenas diante de outras. Michael era bem maior que a sua aparência, suas estranhezas ou seja lá o que for que se venha querer contrapor na intenção de deixá-lo menos majestoso.

  24. Ellen disse:

    “Por que qualquer crítica à indústria pop é interpretada como um elogio ao socialismo? (E uma crítica à ditadura iraniana é entendida como uma aliança com Israel.)
    Respondendo: não vejo nada de bom nos regimes chinês, norte-coreano e stalinista. O que não me impede de enxergar as doenças do modo de vida do Ocidente. Não há regime perfeito.”
    Concordo em gênero, número e grau contigo!

  25. Felipe Maddu disse:

    Também concordo com vc Denis, na verdade nesse assunto eu falo mesmo e sou assumidamente à favor da esquerda, mas isso não quer dizer que eu seja a favor do Hamas, do ditador iraniano ou do doente mental da Coreia e muito menos de Stalin-que pra mim não é de esquerda. Não sou a favor do mercado e muito menos do Estado, mas esse assunto não é o da pauta. O canadense-brazuca ainda viajou e confundiu peão=brinquedo e que serviu de exemplo na matéria de como funciona a indústria do entretenimento e peão=trabalhador explorado.

  26. Brasileiro no Canada disse:

    Ele fez o que nenhum de nos jamais fez:

    – foi artista quando crianca e depois quando adulto;
    – concebeu o primeiro videoclip de sucesso;
    – lancou o maior disco de todos os tempos (Thriler);
    – inventou o Moonwalk;
    – Fred Astaire pediu para que o ensinasse o Moonwalk;
    – ganhou mais de uma dezena de Grammy`s;
    – namorou a Brooke Shields;
    – casou com a filha do Elvis Presley;
    – nasceu negro e virou branco;
    – criou o We are the World;
    – inventou moda: luva branca, jaqueta, meia branca;
    – construiu o Neverland;
    – comprou as musicas dos Beattles;
    – ficou amigo do seu idolo de infancia: James Brown;
    – gravou com Paul Mcartney.

    Pois e’…

  27. Marilena Santiago disse:

    Eu tenho o exemplar desta revista acerca de Michael Jackson. É realmente incrível quão atual este artigo estava há alguns anos atrás. Aliás parece que foi quase profético.

    Um abraço e sucesso,

    Marilena Santiago
    http://www.albumdecasamento.com

  28. Aurecinda disse:

    Rei não porque Rei só o Senhor JESUS…
    Mas indiscutivelmente…. POP.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: