Chegou a hora de legalizarem a maconha?

Wálter Maierovitch foi Secretário Nacional Antidrogas no segundo governo FHC, entre 1999 e 2000. Dois anos depois, entrevistei-o sobre a política brasileira para drogas, para um livro que eu estava escrevendo sobre maconha.

livromaconha

Ele me contou que, durante seu período na secretaria, ele juntou esforços ao governo português para buscar para os dois países uma política de drogas mais liberal, que não criminalize o usuário, principalmente para drogas leves. O esforço foi em frente em Portugal, mas foi abruptamente interrompido aqui no Brasil. Por quê? Aparentemente porque, a uma determinada altura, o chefe de Maierovitch, FHC, barrou a mudança da lei. E por que FHC, que escolheu Maierovitch e parecia apoiar uma lei mais racional, mudou de ideia? Maierovitch não me respondeu diretamente, mas deu a entender que tinha certeza de que o presidente brasileiro tinha sofrido pressão do grandão do norte. Na opinião dele, o Brasil não descriminalizou o uso de drogas porque os Estados Unidos de Clinton não quiseram.

Não seria surpresa, claro. Faz quase 80 anos que a proibição internacional das drogas é uma bandeira dos Estados Unidos. No começo do século 20, surgiu nos EUA um forte movimento de inspiração religiosa puritana – as ligas de temperança –, que conseguiu proibir primeiro o álcool. Depois, quando o fracasso da proibição ao álcool ficou óbvio (custou uma fortuna e só serviu para enriquecer traficantes de bebidas e financiar o crime organizado), o movimento mudou seu alvo para as drogas hoje ilícitas, principalmente a maconha. De lá para cá, foram os EUA que carregaram a bandeira proibicionista na ONU e em todos os fóruns internacionais. Não sossegaram até que as drogas – que até os anos 1920 não eram ilegais em lugar nenhum do planeta – fossem proibidas em todos os países do mundo.

Mas parece que algo está mudando ao norte, embora seja uma mudança sutil. Sabe-se que Obama é contrário à criminalização do usuário, embora ele não fale muito sobre isso (veja este vídeo de 2004 no qual ele reconhece que a guerra contra as drogas foi um fracasso e afirma que precisamos repensar nossas leis e descriminalizar o uso). Até aí, nada de novo: Jimmy Carter, nos anos 70, já tinha dito praticamente o mesmo, mas só o que conseguiu quando foi presidente dos Estados Unidos foi mobilizar o país inteiro contra leis liberais e abrir caminho para que seu sucessor, Ronald Reagan, endurecesse ainda mais a repressão (o que só levou a gastos astronômicos e, veja você, um grande aumento no consumo de drogas pesadas e da violência associada a elas).

Este ano, dois países latino-americanos importantes – Argentina e México – descriminalizaram o uso de drogas, com leis ainda mais liberais do que a que o Brasil tentou instituir em 2000. Obama não se opôs. Não houve nenhuma gritaria americana. Pelo contrário. O que se vê, na imprensa americana, são elogios à coragem mexicana de finalmente enfrentar o problema que eles têm varrido para baixo do tapete há anos.

Na Califórnia, em 2010, haverá um plebiscito para legalizar a maconha – não apenas descriminalizar o uso, mas regulamentar a venda e cobrar impostos. O deputado Tom Ammiano, proponente da lei, disse que, “com o estado no meio de uma crise econômica histórica, regular e taxar a maconha é simplesmente bom senso.” Ele calcula que a Califórnia vai lucrar cerca de 1,4 bilhão de dólares em impostos. Esse argumento – de que proibir algo por questões morais, a custos elevadíssimos, é um desperdício em tempos de crise – é o mesmo que derrubou a proibição ao álcool após a Crise de 29.

A Organização Nacional para a Reforma das Leis de Maconha (Norml), uma associação americana que há 30 anos milita no tema, tem dito que nunca estivemos tão perto de uma legalização – nem mesmo nos anos 70 de Carter.

No fim de semana passado, FHC deu entrevista à Veja defendendo novas leis para drogas, em especial a descriminalização do uso de maconha. Desde o começo do ano, FHC tem falado abertamente sobre o assunto, o que está repercutindo bastante na imprensa americana e europeia. Dias depois da entrevista na Veja, Wálter Maierovitch escreveu em seu blog que Obama está prestes a descriminalizar o uso de maconha nos Estados Unidos (e aproveitou para dar uma espetada no ex-chefe FHC, que chamou de “oportunista” e “arrivista”, por abraçar hoje a causa que atrapalhou ontem).

Maierovitch não cita a fonte que lhe disse que Obama está prestes a agir (e não respondeu aos emails que mandei a ele). Mas ele é um sujeito bem informado. Há alguns anos, ele tinha certeza de que os Estados Unidos eram a força evitando que as leis antidrogas mudassem no mundo inteiro. Hoje, pelo jeito, ele pensa diferente. Se ele está certo, aguarde mais mudanças no horizonte.

Anúncios
192 comentários
  1. Sumaré disse:

    Faça essa pergunta a Reinaldo Azevedo. Se depois de ouvir a resposta você ainda acreditar na legalização da maconha então que Deus nos ajude! Mas só para adiantar: “Esse argumento – de que proibir algo por questões morais, a custos elevadíssimos, é um desperdício em tempos de crise – é o mesmo que derrubou a proibição ao álcool após a Crise de 29.” Os gastos do país com tratamento de saúde dos fumantes e daqueles envolvidos em acidentes de carro decorrentes do consumo do alcool superam, por muito, a arrecadação em impostos destes produtos. E a legalização do álcool e do fumo não acabaram com a máfia nos EUA. Nem a legalização da maconha acabara com os traficantes no Brasil.

  2. Leonardo disse:

    Uma das coisas que eu acho interessante nessas questões de descriminalizar o usuário, vai ao meu ver totalmente na contra-mão do consumo responsável. Assim como eu sou responsável pela poluição gerada por certos produtos ou pelos males sociais decorrentes da produção destes ( tais quais exploração de mão de obra infantil, trabalho escravo), eu gostaria de saber por que a sociedade insiste em fingir que as drogas compradas de maneira ilegal não financiam a indústria de deterioração de lares e de violência que se tornou o tráfico de drogas.

  3. Marcos disse:

    A legalização seria um desastre em grandes cidades, as facções não teriam mais forças pra continuar existindo, e pequenas gangues se formariam no lugar, formados por criminosos sem limites. os seqüestros e roubos aumentariam muito pra compensar a falta de dinheiro que antes vinha do tráfico.
    A solução seria punir de forma mais severa, aplicando a pena de morte e a diminuição da maioridade penal para os menores.

  4. denis rb disse:

    Tudo verdade, Sumaré. Álcool e tabaco dão mais gastos do que receitas ao país. É improvável que o mesmo se desse com maconha, no entanto, pelo simples fato de que maconha simplesmente não causa tantas doenças crônicas nem está tão fortemente relacionada a violência e acidentes de trânsito quanto tabaco e álcool. Em outras palavras, maconha é menos perigosa (o que não significa dizer que não faz mal algum).
    Verdade também que, embora o tráfico ilegal tenha sido criado pela proibição, o fim da proibição não acabaria com ele – pelo menos não imediatamente. Pelo contrário: poderia gerar uma onda de crimes violentos, já que os traficantes “desempregados” seriam forçados a “diversificar”.
    Mas nada disso significa que continuar jogando quantias crescentes de dinheiro pelo ralo da “guerra contra as drogas” seja nossa melhor opção.

  5. denis rb disse:

    Leonardo,
    Boa pergunta. A Espanha e a Austrália resolveram lidar com essa questão, legalizando o cultivo de maconha para uso pessoal.

  6. Rafael disse:

    num país da dimensão do nosso podem brotar os mais variados interesses com a liberalização do consumo das drogas, mesmo que remotamente entre os nossos compatriotas não cresça, o problema é demanda global, com o tráfico internacional e o turismo interessado em.

    a questão deve ser tratada sob a perspectiva da dinâmica ESPIRITUAL e FAMILIAR no qual cada ser está inserido; penso que a visão racional não é suficiente para cercar o “problema”.

  7. #42 disse:

    A liberação do Álcool não diminuiu o número de pessoas que tiveram a vida destruida por culpa dele, o fato de o cigarro não ter sido proíbido não diminuiu o numero de mortes que ele causou, e causa, tanto que cada vez mais o seu uso é mais restingido.Será que a liberação da maconha não deixaria o mundo ainda mais perigoso? Mais doente? Afinal os úsuarios logo estariam entupindo o já cambalido sistema de saúde… desculpe pelo conservadorismo, mas eu sou da bandeira que acha que a repressão só não funncionou por que a repressão é muito mais focada no traficante do que no usuário. E que a répressão a ambos é muito leve.

  8. Marcelo disse:

    Denis Russo, eu te amo!!!

    Depois de ler diversos posts carregados de preconceitos ridículos e falsas informações como “a maconha faz o usuário ficar violento”, “o consumo aumentaria a níveis estratoféricos com a legalização”, “a maconha tem o poder de emburrecer as pessoas”.
    Depois de ver o nosso Ministro de Meio Ambiente ser apelidado por um certo blogueiro desprezível, que nem vou citar o nome só pela maldição que carrega (deve ser pior que Lord Voldemort…), de “Minconheiro” só porque ele, em uma manifestação pacífica autorizada pela justiça, defendeu mudanças na legislação, como é direito de TODO cidadão em uma DEMOCRACIA.

    Você finalmente nos (sim “nos”, somos muitos os defensores da legalização) reconfortou com este magnífico post, que sem rodeios nem meias palavras, tratou do tema com a transparência que ele merece. Muito obrigado.

  9. Márcio disse:

    Só um errinho no seu texto Denis, “está hora de descriminalizar?” não, já passou e nunca deveria ter sido.

    Todo argumento que preza pela repressão é ridículo. Além do fato da repressão ser ineficaz, ela atenta contra os direitos fundamentais de uma democracia que zele por esse nome. O uso de drogas bem como questões do tipo Aborto, Eutanásia, Casamento Gay entre outras são todos assuntos de fundo moral, o que significa que o Estado, ou qualquer outra instância, não tem a menor legitimidade para legislar ou sugerir e impor diretrizes. Só cada indivíduo no seu íntimo pode decidir o que fazer a respeito. Dessa forma, não cabe ao governo proibir ou permitir, mas nem se intrometer na questão. O que resta a ele é dar embasamento para as consequências da escolha pessoal e coletiva dos cidadãos, portanto se isso gera gastos com saúde pública, não importa – peguem os impostos e criem programas voltados para tal.

    Lembrando aos desavisados que quem sustenta o tráfico não é o usuário, e sim o Estado com suas leis restritivas e o moralismo barato dos que são contra…se são contra, não usem e ponto final!

  10. helbert disse:

    Qual será o benefício esperado, caso ocorra a legalização do uso da maconha (e das outras drogas, já que não haverá argumento para manter a proibição ao seu uso)? Poderemos esperar a melhora da condição de saúde da população, principalmente daqueles mais pobres e mais desassistidos? Haverá menos acidentes de trânsito e de trabalho (ambos ocorrem atrelados ao uso de drogas, dentre elas o álcool)? Haverá menos sexo desprotegido e, como consequência, menos transmissão de DSTs (o sexo desprotegido ocorre mais em pessoas alcoolizadas e drogadas, há estatísticas confiáveis sobre isto)?

    Ou será que a única vantagem será a maior facilidade de conseguir a maconhazinha suas de todos os dias?

    Sua matéria é parecida com a entrevista do FHC para a Veja: cheia de desinformação, baseada no “achismo” e com diversas mentiras embutidas. “Eu sou intelectual” não agregou valor às baboseiras que disse o FHC. Você pode dizer que é intelectual?

    À Veja: pare de endossar este tipo de opinião. Começa a parecer uma bandeira da revista.

  11. big_ow disse:

    Boa noite a todos.
    o nosso presidente lula só nao pode ver isso.

    ( Ele calcula que a Califórnia vai lucrar cerca de 1,4 bilhões de dólares em impostos.)
    espero q legalize a maconhinha, abraço !!

  12. denis rb disse:

    Deixem eu ser claro sobre o que eu penso desse assunto:
    – Está na hora de legalizar as drogas? Eu acho que sim. Sei que essa opinião é minoritária na sociedade, e que obviamente a opinião majoritária deve ser expressa. Muita gente simplesmente acha imoral o estímulo artificial das drogas, e se opõe a ele mesmo quando se trata de uma questão de direito individual. Na linha “sou contra ELE usar drogas mesmo quando a droga não faz mal a nenhuma outra pessoa.”
    – Do ponto de vista pragmático, sei que a discussão da legalização é imensamente complexa. Hoje é óbvio para qualquer observador que a proibição gerou mais problemas que a droga em si. Mas isso não significa que eliminá-la vá eliminar os problemas. Como o Marcos disse, os traficantes desempregados poderiam gerar uma onda de violência sem precedentes. Isso é mais um motivo para que comecemos a discutir modelos alternativos com transparência, com abertura. Não é o que vejo acontecer. A cada vez que se toca nesse assunto, chega uma onda de indignação. É como se não devêssemos falar nisso – vamos ficar quietos que o problema vai embora. Devia ser o contrário. A política vigente obviamente falhou. Vamos discutir um jeito de substituí-la por algo melhor. Em vez de ficar segurando a peneira contra o sol e gritando que aquela sombra até que não é tão ruim.

  13. big_ow disse:

    nosso presidente lula nao pode ver isso.

    (Ele calcula que a Califórnia vai lucrar cerca de 1,4 bilhões de dólares em impostos.)
    espero q a maconha legalize.

  14. carlos ramires disse:

    A criminalização da maconha se deve a indústria e produtores de algodão e tecidos dos eua. Eles tem medo da fibra, que pode produzir várias coisas como tecido, etc. O discurso contra a maconha ficou a cargo de um brasileiro na onu. A holanda ganha mais de 10 bilhões com a erva. Quatro vezes mais que o brasil com suco de laranja. O problema de legalizar é, o que nossa polícia vai fazer? Visto que só prende micros traficantes.

  15. Paulo disse:

    Denis, é hora sim. É hora, também, de se discutir a hipocrisia que existe em torno do álcool e outras drogas lícitas.

    As chamadas drogas lícitas, como o álcool, é que são, na verdade, a “porta de entrada” para o mundo das drogas ilícitas. É uma grande besteira atribuir isso à maconha. É verdade, porém, que o usuário de cocaina e outras drogas mais fortes, na maioria dos casos, passou antes pela maconha, porém ANTES passou pelo álcool. E há, também, uma série de relatos de pessoas que usam cocaina combinada com álcool.

    Acreditar num “mundo livre das drogas” com venda de álcool em cada esquina e opressão policial idem, é, além de ingênuo, utópico.

    É preciso orientar e educar, ao invés de reprimir.

  16. Reginaldo Gadelha disse:

    PeTistas e maconheiros devem ser tratados na porrada.

  17. Joabe S. Arruda disse:

    Chegou a hora de legalizarem a maconha?
    R – Não!

  18. denis rb disse:

    Reginaldo Gadelha, é sempre um prazer ver um uma opinião bem argumentada.

  19. Felipe Maddu disse:

    Com certeza SIM!! O debate ainda é muito primitivo, contudo é válido. Acho que falta pesquisa na área, a cannabis é muito mais do que simplesmente um “tóxico”. Ademais, o que tem que ser proibido é a ignorância, a pobreza, a intolerância e a falsa moral. Sou reticente a liberação das outra, mas liberando a erva natural, esta pode ser utilizada pra acabar com vicio de crack ou cocaína.

  20. Bruno Coelho disse:

    Dênis, nesta questão sou radicalmente contra a sua opinião. Se a guerra contra as drogas não está adiantando não vejo como sua liberação ajudaria. A maconha é porta de entrada para todo um mundo de drogas que termina na decadência do crack e liberá-la seria o mesmo que dizer aos nossos jovens: “olha, droga é legal, usem!!”, do mesmo jeito que muitos deles hoje insistem em começar a fumar mesmo sabendo de seus malefícios. Será mesmo que a maconha não causa tantos malefícios ou eles não são percebidos pelo baixo consumo ou consumo de outras drogas ao mesmo tempo? Não entregaria nunca meu filho a uma babá que usasse maconha, por mais que isso fosse legal, assim como não deixaria nunca com alguém que notóriamente bebe além da conta, apesar de isso já ser legal. A Holanda, que é tão liberal nesta questão, realmente acabou com os problemas relacionados com as drogas?

  21. ACÁCIO disse:

    Deve-se liberar o uso de todas as drogas, usa-a quem quer, além disso o uso de drogas não tem nada a ver com lei nem polícia: é um problema de saúde pública, pois se alguém precisa usar drogas é porque não está bem e, realmente precisa de auxílio médico. Eu, por exemplo, não bebo nada nem fumo nada, embora eu possa compra bebidas e cigarros em qualquer esquina. E já que proibiram a propaganda de cigarros sugiro que proibam também a de carros que é outra droga que só faz mal para os nossos pulmões e matam 40 mil pessoas por ano no Brasil.

  22. carlos ramires disse:

    Outra mentira é que a maconha é porta de entrada para drogas mais pesadas. Porta de entrada para cocaina e crak é o alcool. Não existe drogado que antes não seja um alcoolatra. O Fabio Assunção pode fumar maconha, mas se tomar um copo de cerveja volta para a coca. Duvido que alguém conheça um só usuário de cocaina que não beba.

  23. denis rb disse:

    Respondendo ao Bruno Coelho:
    Pode-se dizer que a Holanda foi bem sucedida em quebrar a conexão entre a maconha e outras drogas. A experiência holandesa pode ser separada em dois períodos. Em 1976, ocorreu a descriminalização do usuário. A segunda, anos depois, se deu com a profissionalização e regulamentação dos koffeshops, lugares autorizados a vender pequenas quantidades de maconha (com muitas restrições). Na 1a fase, houve um aumento no consumo de maconha (que hoje está um pouco acima de média europeia, mas muito abaixo dos EUA). Mas, segundo os especialistas em política pública Peter Reuter e Robert McCoun, houve também uma acentuada diminuição na proporção de usuários de maconha que passou para outras drogas. Isso é fácil de entender: ao regulamentar a venda de maconha, a Holanda tirou-a da mão dos traficantes ilegais. O usuário que quisesse comprar cocaína, portanto, não poderia recorrer ao “fornecedor de sempre”, como acontece aqui. Outro ganho holandês foi que o país não perdeu um contingente enorme da população produtiva. Nos EUA, isso é um problema sério: centenas de milhares de cidadãos em idade produtiva perde anos na cadeia pagando por utilizar maconha, ainda que sem prejudicar ninguém. O governo holandês considera essa “normalização” do usuário, e o consequente ganho de talento e mão de obra, o maior sucesso de seu programa.

  24. denis rb disse:

    Caros,
    A teoria da “porta de entrada” está bem desacreditada. Sabe-se que uma proporção grande dos usuários de cocaína experimentou maconha antes. Mas isso não quer dizer que uma coisa “leve” à outra. É de se esperar que adolescentes experimentem coisas consideradas menos perigosas antes de experimentar coisas mais “pesadas”. Da mesma maneira, quase todo usuário de cocaína bebeu álcool antes de cheirar pó. Mas isso não implica numa relação de causa-consequência.
    O que a experiência holandesa mostra é que a maconha pode sim ser a porta de entrada para o mundo das drogas ilegais – o primeiro contato com o traficante. E que a legalização na verdade pode contribuir para quebrar essa relação.

  25. Helbert disse:

    Dennis,

    vejo que você responde a alguns comentários. Por que não responder à pergunta que fiz, sobre os benefícios esperados com a legalização do uso da maconha E DAS OUTRAS drogas?

    Como isto contribuiria para a melhora da situação lastimável do nosso pais?

    Está meio difícil de responder isto, não é verdade?

    Se falar que maconha não faz mal à saúde, aí já é caso de estudar só um pouquinho…

  26. Marcelo disse:

    Denis vc conhece o hempadão? ó o link aí

    http://hempadao.blogspot.com/

    É um site que reúne muita informação sobre a maconha e apóia a legalização, lá eu encontrei um documentário muito bom o “Super High Me”, uma paródia do “Super Size Me”, neste documentário o protaginsta resolve mostrar quais são os reais efeitos da maconha no organismo, para isto ele fica um mês fumando maconha o tempo todo, da hora que acorda até a hora de dormir, faz diversos testes para avaliar quais alterações ocorrem em sua saúde física e mental além de trazer informações sobre a história da maconha, o porquê de sua proibição nos EUA e os conflitos que existem entre a lei federal americana, conservadora, e a lei que vigora na califórnia que já descriminalizou e legalizou o uso medicinal da erva. Os testes aos quais ele se submeteu e o resultados obtidos mostram como são tolos os preconceitos que atribuem a maconha tantos malefícios.

  27. Helbert disse:

    Mais uma coisa, Denis,

    por que será que nenhuma outra democracia desenvolvida está seguindo os passos da Holanda, já que a experiência foi tão boa?

    Será que quaquer país do mundo desejaria observar um aumento do consumo de drogas, ainda mais por ato oficial?

  28. Marcelo disse:

    O Link pra baixar este documentário e muitos outros filmes, seriados e vídeos sobre o tema podem ser encontrados no link aí abaixo:

    http://hempadao.blogspot.com/search/label/DownDois.

    Muito massa. Há todo um movimento global de luta contra os preconceitos que cercam a maconha. Agradeço que você use este espaço para esclarecer um tema tão polêmico e infelizmente tão mal compreendido pela maioria das pessoas.

  29. Marcelo disse:

    Helbert

    Não houve aumento no uso de drogas, tenho uma prima que viajou à holanda recentemente e ela me disse que na verdade o que aumentou mesmo foi o turismo, movimentando bilhões de euros e sem trazer estes problemas idiotamente vinculados a maconha como violencia ou vandalismo. na verdade o indice de violencia está vinculado ao indice de pobreza, de miséria. O holandeses não fumam mais maconha porque foi legalizada, o que acontece é que depois da legalização as estatísticas sobre o uso de maconha ficaram realmente confiáveis, parece ter subido mas não é levado em consideração que antes os usuários se “escondiam”.

    A maconha é menos prejudicial à saúde (tanto física quanto mental) do que o álcool, a verdadeira porta de entrada para as drogas.

  30. Felipe Maddu disse:

    Helbert, acho que vc não leu direito o post, mas california fica aonde? No Canadá também há estados livres do moralismo. O escapamento de seu carro e dos milhões no mundo todo e as mortes decorrentes do uso indevido do objeto motorizado – com o condutor muitas vezes embriagado -, são infinitamente mais prejudiciais.

  31. denis rb disse:

    Helbert,
    Realmente não respondo a todas as perguntas. Eu até gostaria, mas o blog é apenas uma de minhas tarefas, realmente não daria tempo.

    Vou tentar responder a algumas de suas perguntas.

    1. Não, não me defino como intelectual. Sou jornalista. Sou repórter. Conheço sim esse assunto – li várias revisões científicas sobre os efeitos da maconha à saúde (a melhor delas: The Science of Marijuana, de Leslie Iversen). Li uma boa quantidade de estudos de política pública que tentam medir os prováveis impactos sociais de diferentes abordagens (acho que Peter Reuter é disparado o principal pesquisador desse tema). Li bastante sobre a história da proibição, a cultura das drogas e as experiências de políticas mais tolerantes. Entrevistei boa parte dos médicos, historiadores, antropólogos, políticos, psiquiatras envolvidos nesse debate.
    2. Não, não vou dizer que maconha não faz mal à saúde. Dependência é um fato (afeta algo entre 5% e 10% dos usuários), e pode levar à síndrome amotivacional. O risco de que fumar maconha cause problemas respiratórios similares aos associados ao tabaco é uma possibilidade – ainda não confirmada, mas ainda assim algo para se preocupar. Por isso recomendo o uso de vaporizador, para evitar que a ,aconha precise ser fumada.

    Sua terceira pergunta é mais ampla, por isso abro um comentário específico para ela.

  32. denis rb disse:

    Você me pergunta que bem pode advir da legalização da maconha ou de todas as drogas ilegais. Antes de responder, quero lembrar que a proibição em si causa uma série de males. O maior deles é óbvio: a proibição oferece uma oportunidade de ouro ao “empreendedorismo criminoso”. Sempre que o Estado tenta regular a vida do indivíduo, decidindo o que ele pode ou não pode fazer, gera uma demanda por serviços ilegais. Se a repressão é violenta, o “fornecedor” dos serviços ilegais será violento também. Não é à tôa que quase todo o crime organizado do mundo, incluindo aí grupos terroristas, floresceu em países onde drogas são ilegais, e se financia vendendo-as.
    Além disso, listo outros possíveis benefícios de uma legislação diferente e racional (que pode ou não envolver legalização):
    – mais acesso a informação e cuidados para os usuários. Consequentemente, chance maior de que ele possa escapar dos malefícios das drogas.
    – criação de uma “cultura” ao redor das drogas, o que sabidamente protege os usuários (alguém aí sugere que se proíba os vinhos?)
    – mais arrecadação para o Estado. No modelo que temos hoje, a sociedade inteira arca com o custo das drogas e da proibição. Num ambiente mais liberal, é possível cobrar impostos de quem usa a droga, em vez de socializar o prejuízo.
    – um Estado menos policial, que interfere menos na vida do cidadão. Um ambiente de liberdade, de respeito às instituições, à polícia, à justiça.

    Outra coisa: vc diz no seu email que, liberada a maconha, não haveria argumento para continuar proibindo outras drogas. Discordo. Drogas diferentes oferecem custos diferentes à sociedade. Esses custos podem ser calculados (é isso que Peter Reuter, que citei no meu outro comentário, faz). É legítimo que o estado baseie suas políticas públicas nesses cálculos. (No caso da maconha, é obviamente muitíssimo mais barato – até mesmo lucrativo – para o estado liberar do que proibir. O mesmo não acontece no caso da heroína, que gera violência, criminalidade e altíssimos gastos para a saúde pública).

  33. denis rb disse:

    Ah, sim, Helbert,
    Vc me pergunta tb pq a política da Holanda, se é tão boa, não foi copiada por outros países desenvolvidos. Olha só: Reino Unido, Portugal, alguns territórios australianos, Espanha e vários estados americanos já instituíram políticas de drogas bem liberais, em alguns casos mais liberais do que a Holanda. O mundo não acabou em nenhum desses lugares. Claro que há diversas diferenças entre esses países, e não faria sentido que um simplesmente copiasse as políticas do outro – cada país tem seu ambiente legal e moral. Mas a Holanda há muito tempo deixou de ser um exemplo solitário. É bom lembrar também que o modelo holandês tem suas limitações: por exemplo, há um vácuo legal no que se refere à produção de maconha.

  34. jorji disse:

    Analisemos não só a maconha, mas as drogas em geral, a espécie humana sempre consumiu drogas, e a sua proibição os torna extremamente interessante sob ponto de vista comercial, já que o risco torna essas substâncias quimicas faz os seus preços se elevarem muito, tornando o tráfico lucrativo .Não existe a minima possibilidade de derrotar o crime ligado ao tráfico de drogas, o único caminho para a sociedade é tornar menos traumático essa questão, é liberar todas as formas de drogas, o que é preciso é desenvolver métodos mais eficazes para tratar os dependentes e sua familia, aí entra a medicina (biologia) e a psicologia, tornar essa questão de saúde pública, investir em pesquisas, temos que libertar o drogado de sua própria prisão, usar da sabedoria.

  35. calos disse:

    Denis. Concordo com tudo que vc disse. Menos a afirmação que o alcool não tem relação com o uso de cocaína ou crak. Tem e muito. Pessoas que não bebem, principalmente uisque, não cheiram.
    Voce conhece alguém que só cheire? Que só fuma maconha eu conheço vários.

  36. Roberto Felix - Sobral-CE USA Brazil disse:

    Esta maconha e a cocaina juntamente com o CRACK deveriam dar aos Jornalista da Veja que fizeram a reportagem sobre Sobral. Acredito eles estavam drogados quando vieram a Sobral fazer a Cobertura do Presidente Lula e se drogaram e fizeram outro tipo de reportagem

  37. denis rb disse:

    calos, não discordo de você não. Sem dúvida uísque e cocaína tem algo em comum – seus “baratos” são parecidos, e por isso atraem o mesmo tipo de pessoa. Eu só afirmei que isso não implica numa relação de causa-consequência. O uísque, ao que tudo indica, não “leva” à cocaína. Apenas são duas drogas com algumas semelhanças que tendem a apelar às mesmas pessoas.

  38. Nostravamus disse:

    Como assim, legalizar a maconha, darão, venderão, permitirão o plantio? Os traficantes permitirão que qualquer um a plante? Coitado do FHC, pau mandado igual ao Lula.

  39. Nostravamus disse:

    Study Indicates Higher Rate of Dementia in Former N.F.L. Players (NYT). Achei interessante. E os anabolizantes?

  40. Nostravamus disse:

    Fábio assunção tenta enforcar colega de trabalho, drogas ou marketing?

  41. Escritos disse:

    Lendo seu artigo sobre a legalização das drogas, fiquei até sensibilizado. Os exemplos que justificariam tal liberação, como a lei seca americana, a arrecadação de impostos sobre a venda das drogas, parecem ter sido escritas por um adolescente que coleciona revista de mulher pelada. As grandes famílias mafiosas da europa iniciaram com negócios ilícitos e hoje detém o monópilio de alguns dos grandes conglomerados lícitos do mundo, amigo.
    Além de equivocado, você conhece muito pouco do tema, sugiro voltar estudar. Legalizar a maconha quando estamos tentando desesperadamente fazer com que nossos cidadãos tomem consciência e parem de fumar? Adiantou alguma coisa deixar o cigarro liberado, diminuiu o consumo?
    E as demais bebibas a venda, deixaram de vender por estarem legalizadas?
    Sem querer, algumas pessoas estão fazendo o jogo de grandes grupos de interesses, que desejam legalizar a maconha para venderem ao lado dos doces nas prataleiras dos supermercados. No fundo, a questão é a mesma de sempre, dinheiro, nada tem de saúde pública, afinal o cigarro e a cerveja inocente de final de semana matam muito mais que todas as demais drogas ilícitas existentes.
    A maior prova de que legalizando a maconha não iremos resolver o problema, esta em vermos os números da indústria do tabaco e da bebiba. Aumentaram ano a ano, continuam matando, continuam causando brigas e guerras no trânsito, enquanto os grupos mafiosos que os exploram enriquecem as custas da morte se seres humanos manipulados em um mundo a beira de um colapso. Liberar as drogas? Ótimo, vamos liberar tudo, heroína, cracq, as armas, e darmos assim uns 50 anos de existência para a nossa civilização. Depois, morremos todos pirados e começamos tudo de novo, desta vez, talvez da forma certa.

    Escritor – Curitiba

  42. calos disse:

    Denis. Vou lhe dar outra razão para legalizar a maconha. Milhões de pessoas na faixa dos 50 anos estão contaminadas com hepatite C e não sabem. Essa doença é lenta (30 anos) e quando manifesta os sintomas o cara esta no bico do corvo. Morre de cirrose ou cancer de fígado. Pessoas que usaram seringas reutilizadas, mesmo em farmácias, jogadores de futebol que tomavam clucoenergam, acumpuntura, tatuagens, etc, devem fazer o teste hvc. O Brasil só perde para o japão onde a acumpultura disseminou a doença. Voce já fes o teste?
    A maconha não ataca o fígado como a bebida.

  43. calos disse:

    Denis. Sobre a relação bebida e cocaína, deve-se dizer que a doença é a mesma, ou seja, dependência química. Quem sofre dessa doença, torna-se alccólatra ou alcoólatra drogado. Existem alcoólatras que não usam drogas, mas eu não conheço nenhum usuário de cocaína que não beba.
    Por isso que eu acredito que a maconha pode ser um exelente modo de tratamento para a dependência química.

  44. AVELAR AMADOR disse:

    Discussão polêmica que não deve ser deixada de lado…aqui no sertão de pernambuco o Crack está se disseminando de forma assustadora da menor à maior classe social…um amigo q fuma maconha regularmente sem “viajar na maionese” disse me que seu fornecedor de maconha depois de um certo tempo ofereceu-lhe sutilmente o Crack e o mesmo recusou por saber das consequencias mortais do mesmo…E então? Fica o relato para reflexão de cada um…Se fosse ele um transtornado mental teria provavelmente aceitado…pensem nisso !

  45. Canibal New Age disse:

    “Acho que não era eu, devia ser o demônio”, explica Fábio Assunção sobre episódio em que quase enforcou o ator Nill Marcondes, durante o laboratório para viver o detetive Bellini no filme Bellini e o Demônio, como contou Marcondes nessa terça (29).”

    Este cineastas querem sangue.
    Arnaldo Jabor tem sede sangue em Honduras. O cineasta que dirige Fábio Assunção quer sangue e demônios. Estes cineastas precisam vítimas mesmo, hein? Rende bilheteria.

  46. helbert disse:

    Denis,

    Muito obrigado pela consideração e pelas respostas. Entretanto, observe que não haverá benefício em relação aos gastos de saúde e a provocação de acidentes de trabalho e automobilístico. Sou pagador de impostos, deixo 40% do meu dinheiro nas mãos do governo e não aceito pagar mais um centavo para lidar com os gastos que vocês querem criar.

    Não há tratamento eficiente para a dependência à maconham, falo isto “de dentro”, pois sou da área e você pode comprovar este fato na literatura especializada. O SUS não tem a capacidade para fornecer tratamento nem para os dependentes de álcool e tabaco. Somente o uso de medicamentos para estas indicações custa aproximadamente R$300,00 por mês, fora as consultas médicas, hospitalização, etc.

    Já que os traficantes vão continuar com seus empregos, vendendo maconha e as outras drogas (a maconha deles será mais barata, já que o setor privado vende as coisas muito mais barato que o governo), não poderemos esperar nenhuma melhora em relação à violência.

  47. Canibal New Age disse:

    Eu sou o canibal da nova era, prazer, o canibal politicamente correto, você tem preconceito contra canibais? Ora, não seja preconceituoso, canibalizar não faz mal à saude, proibir-nos de canibalizar só aumentará o tráfico humano. Deixe-nos canibalizar em paz. Pedofilia é que é horrendo, nossa. Aceita um convite o almoço?

  48. denis rb disse:

    Escritos,
    Na verdade há sim grande redução no consumo de tabaco em vários países, associado à educação e à difusão de informação, além de forte regulamentação e sérias restrições à publicidade. As novas gerações fumam menos, em especial nos países desenvolvidos. (As vendas mundiais de tabaco, no entanto, crescem, graças ao antigo bloco comunista e aos países árabes). O caso do tabaco vale ser examinado. A estratégia adotada na última década – muita informação, muita educação, muita taxação – funcionou infinitamente melhor do que a estratégia adotada no combate à cocaína – muita repressão, penas de prisão, sufocamento das regiões produtoras.
    Também acho que as políticas públicas para lidar com os males do álcool que começaram a ser adotadas recentemente no Brasil são muito promissoras.
    Veja bem: não estou aqui defendendo as drogas. Estou defendendo uma estratégia minimamente racional no combate aos danos que ela causa. Uma estratégia que não penalize a sociedade inteira para combater um problema pequeno e localizado. Estou defendendo uma política pública baseada em dados e não em moralismo. Estou defendendo o debate, a discussão, em vez do silêncio que parece ser a estratégia preferida de muita gente (“se não falarmos do problema ele vai embora”).
    Morei na Califórnia, onde se produz maconha legalmente para uso médico (e qualquer cidadão pode alegar necessidades médicas para comprar, mesmo que sua “doença” seja ansiedade ou “bloqueio criativo”). Lá a produção está na mão de pequenos agricultores, geralmente orgânicos, geralmente gente envolvida no universo das terapias alternativas. Não há grandes corporações no mercado (pq lá se decidiu que seria assim), não há violência cercando o tráfico. (Veja essa excelente reportagem publicada ano passado na The New Yorker: http://www.newyorker.com/reporting/2008/07/28/080728fa_fact_samuels)
    Acho engraçado que, a cada vez que se discute uma pequena mudança na lei, aparece alguém apavorado dizendo que vai ser o fim do mundo, que se um único baseado for vendido legalmente nossas almas queimarão no inferno e as quatro bestas do apocalipse vão ocupar os lugares da nossa mesa de jantar e palitar os dentes com as tíbias de nossas crianças. Mas claramente não é isso que está acontecendo nos lugares que estão levando o assunto a sério (Califórnia, Oregon, Austrália, Holanda, Espanha, Portugal, Argentina). Inferno é o que temos hoje – Cidade de Deus, Comando Vermelho, PCC, Cartel de Cali, mujehadins, Operação Colômbia, bocas de fumo, adolescentes desperdiçando a vida na cadeia. Por que não deixar os preconceitos de lado e tentar estudar o assunto, aprender com os erros do passado, resolver os problemas?

  49. denis rb disse:

    helbert,
    No caso da maconha, digo para você com absoluta segurança: o custo de proibir é imensamente mais alto que o custo de legalizar. Lembre-se que as consequências dessa decisão não refletem apenas nos gastos com saúde pública – há também os gastos com segurança, sistema prisional etc. E há a possibilidade de um aumento de arrecadação, vinculado a tirar algo da ilegalidade.
    Vc disse que o custo de saúde pública do tabaco não supera a arrecadação de impostos sobre os cigarros. É verdade. Mas o caso da maconha – ilegal – é imensamente pior. A arrecadação é zero.

    O caso da cocaína é mais complicado, sem dúvida. Mas também aí não tenho dúvidas de que o custo social da proibição é imenso e absolutamente ineficaz. Não tenho certeza de que a solução seja legalizar o pó. Mas tenho certeza absoluta de que o sistema atual é ruim e injusto (porque socializa o custo de uma questão privada). Odeio pagar 40% do que eu ganho para financiar uma repressão que não serve para nada.

  50. King Jinm disse:

    Legalizar a Maconha num Pais como o Brasil e puro retrocesso.E ter um pensamento burro quem acha isso como solucao para todos os problemas que este Pais tem.Droga ja basta esses politicos.

  51. Pablo Gomes disse:

    Legaliza logo… eu quero fumar em PAZ.

  52. denis rb disse:

    King Jinm,
    Talvez não resolva todos os problemas do país (se tem uma coisa que aprendi nesses meus 36 anos de vida é que nada resolve TODOS os problemas). Mas, se resolver um, já não vale a pena?

  53. Helbert disse:

    Denis,

    Perdoe-me a insistência, mas ninguém tem esta certeza que você proclama. Um acidente de trânsito, com vítimas fatais, provocado pela maconha, que prejudica a percepção da distância entre dois objetos, por exemplo, cobriria a arrecadação conseguida com uma multidão de maconheiros.

    Se fosse tão bom assim, acredite, os maconheiros já teriam convencido o mundo inteiro. Não é tão bom, de tal forma que somente países decadentes, como por exemplo a Argentina e o México, têm tomado o rumo do legalize já.

    Torçam, então, para o narcotráfico continuar financiando campanhas políticas com toda a força, para vocês terem esta chance aqui no Brasil.

    Sou do outro time, o que não percebe os benefícios advindos da criação de uma nova legião de zumbis.

    Com certeza, não voltarem a incomodá-lo mais.

    Grande abraço.

  54. denis rb disse:

    Helbert,
    Tem muita gente interessada em leis mais racionais, mas garanto para você que o narcotráfico não está entre eles. Eles estão felizões com o atual esquema.

  55. Paulo disse:

    A hora é de legalizar SIM.

  56. Daniel disse:

    Se com o álcool legalizado já ocorrem tantos males,imagina com a maconha e outras drogas sendo liberadas?Se a repressão ás drogas não está dando resultado,por acaso está dando a liberação em outros países?Por acaso o nosso sistema público de saúde,que já não dá conta dos nossos problemas,conseguirá prestar atendimento à legião de drogados que virá?Por acaso é justo um drogado tomar o lugar num leito de hospital de um aposentado que trabalhou a vida inteira?Vale lembrar que a Holanda liberou as drogas e o número de drogados lá só aumentou,sem falar que Amsterdam virou o maior ponto de vendas dos grandes cartéis,afinal,nada melhor do que vender seu produto em um lugar cuja legalidade está garantida.Em suma,os drogados vão se drogar ainda mais e os chefões das drogas vão enriquecer mais ainda,até porque é ingenuidade achar que se as drogas forem liberadas,um traficante vai tirar uma carteira de trabalho no dia seguinte e procurar um emprego honesto…

  57. Cassio disse:

    Daniel, não seja ignorante.

    A holanda é um dos paises que possui a menor taxa de crime no mundo. As cadeias la estao sendo fechadas por falta de criminosos e a venda de maconha em coffe shops (e consumo permitido apenas la dentr ou em casa) atrai turistas e aumenta a economia do país.

    A legalização da maconha não é um libera geral. E sim uma venda regulamentada e taxada pelo governo, o que tiraria a erva das mãos dos traficantes. Ou seja, é um recurso a menos que eles teriam para ganhar dinheiro. E eu garanto para vc que boa parte da grana que eles conseguem para comprar armas vem da maconha.

    Ou seja, a legalização tiraria boa parte da renda deles, enfraquecendo o crime organizado. Pense um pouco antes de falar besteira.

    A taxação da maconha serviria para arrecadar impostos que irão para o sistema de saúde, para tratar aqueles que precisarem. Eu particularmente não conheco nenhuma pessoa que é dependente quimica e fisica de maconha (somente maconha), muito menos até do que pessoas alcoolatras ou viciadas em nicotina, que alias, causam mais danos e morte do que a maconha. (Nunca foi registrada uma morte por uso da maconha).

    De resto, a policia estara la para prender os verdadeiros criminosos.

    Legalize Já!
    Evolução!
    Chega de violencia e crime organizado!
    LIBERDADE DE EXPRESSÃO!

  58. Rafael disse:

    Herbert, países decadentes?? E que tal a Holanda, Portugal e a Espanha também?! A última coisa que o narcotráfico quer é a legalização. Os lucros deles vem justamente porque com a proibição eles monopolizam a venda e podem cobrar preços absurdos pelo produto por ele ser ilegal.

    Daniel, já foi visto em países onde foi descriminalizado (Portugal e Espanha por ex.) que o número de usuários de maconha se manteve estável, e o número de usuários de drogas mais pesadas (as verdadeiras culpadas pelos malefícios ao usuário) diminuiu porque se quebrou o vínculo do usuário com o traficante. E querer vir falar em aumento no número de usuários na Holanda!? Ponto de venda de cartéis?! Vá ler sobre o assunto antes de vir aqui falar essas coisas. A Holanda tem menos usuários de maconha que os EUA, o país que mais investe no mundo em repressão.
    E uma coisa você está certo: se a maconha for liberada um traficante não vai tirar carteira de trabalho e virar trabalhador honesto, mas ele vai perder essa gigantesca fonte de renda que é o tráfico de drogas. O dinheiro do tráfico os tornou tão poderosos que eles dominam comunidades inteiras e corrompem desde policiais até políticos e juízes.

    Sem contar que a maconha não é uma droga nociva como pensam, falando em aumento nos custos de atendimentos, ocupação de leitos hospitalares. O álcool é muito mais nocivo, você pode morrer por intoxicação por álcool por beber demais em uma festa, assim como por uso crônico, já a maconha não existe sequer um caso de morte documentada em milhares de anos de uso.
    A proibição causa mais danos a sociedade em 1 dia do que a maconha já causou em toda a nossa história.

    Sem contar a violação absurda dos direitos individuais da população que é proibir o uso de uma substância. Se a pessoa não está fazendo mal a ninguém, não é da conta de ninguém e não cabe ao governo torná-la um criminoso por isso.

    LEGALIZE E REGULAMENTE JÁ!
    CHEGA DE MORTES POR INTOLERÂNCIA E DESINFORMAÇÃO!

  59. Guilherme AS disse:

    Passou da hora de gerar emprego ao invés de vagas políticas de condutas absolutistas?

  60. joao disse:

    só com a legalização da maconha o estado pode ter controle sobre ELA , como por exemplo faz com o alcool ( impostos,idade minima para o consumo,pesquisas , usos industriais ) .Além disso para aqueles que ainda acham que com a legalização o tráfico de drogas ganhará “rios de dinheiro” como diz ACM NETO está redondamente enganado , pois , como já foi comentado , O ESTADO TERÁ PLENO PODER SOBRE A VENDA TIRANDO O MONOPÓLIO DO NARCOTRÁFICO . Isso é algo simples , só os cegos de “informação e ignorância” não conseguem ver.

    se maconha fosse vendida em cada esquina nos estabelecimentos legalizados (como na holanda e na california). estes Lugares que geram empregos, impostos , tem um controle na venda e na qualidade etc etc. PENSO PELO SENSO CRITICO que o usuário não iria se expor aos perigos de subir no morro , e passaria a comprar maconha LEGALmente na tranquila paz de saber que ao fumar o seu “baseado” está diminuindo o poder do tráfico , GERANDO RENDA PARA O PÁIS que pode ser usada para lidar com o Narcotraficante(podendo diminuir assim a violencia urbana de cada dia ) ou esse dinheiro poderia ser usado para a SAÚDE pública, educação , campanhã de redução de danos ,etc!

    A fibra do canhãmo é excelente para uso industrial . (papel,concreto que absorve 110kg de CO² por m²( todos preocupados com a emissao de CO² e uma das soluções é trocar o cimento pela maconha ,),leite,manteiga,adubo,corda,ração animal ,cosméticos em geral,biodiesel etc etc ) .

    não pensem que ela só serve para FUMAR! temos que abrir a mente e ver o seu POTENCIAL ECONOMICO!!!

  61. Gabriel disse:

    Daniel,voce conhece alguem que foi parar no hospital ocupando leitos devido ao uso de maconha?eu nao,pelo contrario,maconha e cura,varios paises usam como medicina e a estudam a anos porque sabem do potencial da erva,algo que no Brasil nem o estudo e permitido,voce acha que um pais como Eua,Holanda,Portugal receitaria essa tal erva do demonio como voces dizem pra pessoas doentes se ela realmente fizesse mal,eles sao loucos entao?gastaram milhoes em estudos e quem esta certo e voce?so pq voce nasceu escutando seus pais falarem que faz mal e pronto,sem fundamento nenhum,so pq e “fato”?O pior cego e aquele que nao quer ve

  62. Isaac Descartes disse:

    Alguns pontos (desculpem a falta de acentuacao grafica):

    1 – ‘Maconha e cura’ e um pessimo argumento, estao comprovados os males que causa a saude, isto sim so nao ve quem nao quer. Alem de riscos a coletividade, similares aos trazidos pelo consumo de alcool. Nao que estes males sejam causa suficiente para a proibicao, afinal gordura, cigarro, alcool, entre outros causam males a saude, prejuizos a sociedade e/ou riscos a coletividade e nao sao proibidos… Mas temos que evoluir neste ponto do dialogo, afinal nem tudo que e natural e saudavel, e maconha nao e alface.

    2 – A legalizacao da maconha nao eliminara o trafico de drogas, que vai se adaptar a ela e focar na venda de drogas mais pesadas alem da venda de maconha no mercado informal a precos mais baixos. A eliminacao do trafico seria talvez possivel com a legalizacao de todas as drogas, mas o problema nao estaria resolvido, pois o crime mudaria o foco para outras barbaries como sequestros, assaltos, etc… O problema do crime organizado so pode ser combatido com educacao. Legalizar a maconha nao traz o beneficio de cidades mais seguras, este ponto precisa tambem ser consolidado para lidarmos com ele no debate.

    3 – Quanto ao texto do Denis, parabens por levantar a discussao, mas um ponto a ressaltar e que a repressao ao consumo de drogas no governo Reagan nao pode ser colocada como causa do aumento no consumo das drogas. A legalizacao leva ao aumento do consumo, como aconteceu com o alcool nos EUA e mesmo com a maconha na Holanda. E preciso levar isto tambem em consideracao no debate.

    Por fim, acho que se chegarmos a maturidade de concordar que liberar a maconha nao acaba com o trafico, que maconha nao e alface e nao faz bem a saude, e que a legalizacao leva ao aumento do consumo, poderemos racionalmente discutir os beneficios (arrecadacao, liberdade individual) e racionalmente confronta-los aos maleficios (similares aos do alcool). Nao podemos nos deixar levar nem pelo discurso ‘moralista religioso’ nem pelo ‘legalize ja maconha e saude’.

    Assim poderemos racionalmente e sem preconceitos decidir nosso caminho como sociedade.

    Para finalizar, o consumidor nao e considerado criminoso no Brasil. Existem varios caminhos entre legalizar geral e proibir/criminalizar geral que devem ser ponderados, repito, sem preconceitos de ca ou de la.

    Agora pra nao deixar este texto muito impessoal, eu nunca consumi, nao consumo, nao pretendo consumir maconha mas conheco pessoas maravilhosas que o fazem ou fizeram e me inclino a defender o direito individual destas pessoas de faze-lo, mas nao sem antes discutir exaustivamente sob quais restricoes/condicoes e quais as consequencias para a sociedade.

    Nao gostaria de ver meus filhos num mundo em que a maconha, o alcool ou o cigarro sejam idolatrados como estilos de vida. Sao apenas drogas, quica necessarias, que tiram nossa cabeca desta loucura cotidiana por alguns momentos, mas podem trazer consequencias devastadoras.

  63. carlos disse:

    Sabe quem são contra a liberalização da maconha? Traficantes, policiais, alcoólatras, religiosos. Porque será?

  64. Canibal New Age disse:

    Você e suas soluções fáceis, dar maconha para as crianças, cada um tem sua plantação no quintal, colocar geradores eólicos nas casas; sim, tudo muito fácil, é só por uma hélice de 3 toneladas girando e acertando pássaros, morcegos e outros seres. Tudo para você tem solução fácil. Ai ai! adolescentes, querem tudo de graça, até drogas.

  65. Paulo Muchon disse:

    Está mais do que claro que a política de drogas adotada nos ultimos anos é falha. É preciso achar uma alternativa à política proibicionista, e com certeza começar uma tentativa nova pela legalização da maconha, que das ilícitas é a mais leve e a mais consumida no mundo, ja é um bom caminho.

  66. Isa disse:

    Isaac Descartes,
    Você parte de premissas infundadas e, ironicamente, carregadas de preconceito.

  67. Gerson B disse:

    Eu achei a posição do Isaac Descartes (1/10/09-7:04 am) bem equilibrada, com um visão ampla do problema. Concordo com ele.

  68. Bruno Coelho disse:

    Dênis, como sempre, tudo que você escreve está bem fundamentado, porém ainda me custa a acreditar que no Brasil dos Sarneys, Lulas e outros que tais, seja possível só com a liberação acabar com a bandidagem em torno da maconha. Ela só mudaria de lugar, sairia dos morros para as repartições responsáveis pelo trâmite dessa liberação.
    Além disso, se a polícia não consegue entrar nos morros hoje como o poder público poderá garantir nossa segurança quando os bandidos apelarem para outros crimes e assim manter sua renda?
    Não creio que consiga. O Brasil tem que expurgar muita coisa em todos os seus níveis de poder para que eu acredite que uma proposta como essa traga realmente algum alívio para o nível de violência que temos hoje.

  69. denis rb disse:

    Concordo, Bruno Coelho,
    Mas acho que mudar as estruturas e parar de cometer os mesmos erros que favorecem sempre as mesmas pessoas é o primeiro passo para “expurgar muita coisa”. Tire as coisas das sombras, da ilegalidade, abra as janelas. “A luz do sol é o melhor desinfetante”, já disse o juiz da suprema corte americana Louis Brandeis, o homem que inspirou Roosevelt implementar mais transparência no estado e na economia americanos.

  70. Felipe Maddu disse:

    Legalizar vai ser que nem o fim da obrigatoriedade do diploma, não vai mudar praticamente nada, é fato consumado. Mas só é assim, pois os artistas da Globo/classe média-que eu considero uma droga, por que não? vicia muitas donas de casa!!! hahaha-também está aderindo a cannabis. O ideal seria que todos pudessem plantar. Daí não iríamos contribuir nem pro tráfico e nem pra uma suposta indústria corrupta da maconha. Legalize geral, pela liberdade de escolha e pelo fim da hipocrisia!
    Muitos medicametos tem efeito colateral, mas os benefícios são inúmeros, por isso vou repetir um pouco do amigo João:

    A fibra do canhãmo é excelente para uso industrial . (papel,concreto que absorve 110kg de CO² por m²( todos preocupados com a emissao de CO² e uma das soluções é trocar o cimento pela maconha ,),leite,manteiga,adubo,corda,ração animal ,cosméticos em geral,biodiesel etc etc ) .

  71. Marcelo disse:

    Prezados senhores de bem,

    infelizmente nos vemos cercados pelos corruptos
    e pelos traficantes. Nossas crianças estão sendo
    prostituidas e nossos jovens cada dia se drogam
    mais (lembro-vos que hoje existem drogas sintéticas).

    Ficar indiferente ao fato é ser conivente com
    a atual situaçao, onde fechar os olhos para o problema
    somente fortalece a desordem.

    Devemos encarar de frente a questao das drogas,
    que ceifam milhares de vidas anualmente, e discutir
    idéias que possam trazer mudanças positivas!

    A marginalidade nunca pode ser bem vinda, sou contra
    as drogas, principalmente as sintéticas, mas sei que elas
    sempre estarao entre nós. Devemos enterder a sociedade!

    A descriminalizaçao do usuário não aumenta o consumo
    como muitos pensam, ela reduz o consumo. Os números
    são inversamente proporcionais. Quem não sabe disso é
    porque não estudou o assunto como se deveria.

    Abraços, com esperança!

  72. Marcelo disse:

    ….lembro-vos que a Cannabis (maconha) nao é uma droga,
    e sim uma planta!

  73. King Jinm disse:

    Veja so Denis,se uma droga resolver um problema vc acha que valera a pena.Entao e melhor legalizar todas e varios problemas serao resolvidos por valores vale quanto pesa.Ex:maconha,um problema,cocaina quatro problemas ,heroina seis problemas e assim por diante.Fim dos problemas,tudo resolvidos com drogas blz.Amanha volto para o Brasil pra ficar doidao……

  74. Rafael disse:

    Apesar de tudo que se fala sobre os malefícios da maconha, em milhares de anos de uso não existe sequer 1 caso de morte registrado por uso de maconha. Agora pensem quantas vidas são perdidas todos os dias por causa dessa guerra sem sentido contra o seu uso. Simplesmente não faz sentido.

    Obviamente o crime organizado não iria acabar como muitos falam, mas com certeza perderia parte do seu poder por causa de todo o dinheiro que deixaria de ser canalizado para o mercado negro. Ele não acabaria pois sempre vão existir criminosos, mas com as drogas ilegais nós damos um mercado bilionário de bandeja para eles se fortificarem e causarem todo o caos que vemos diariamente no nosso país.

    A proibição não funciona, e não é uma questão de como ela é implementada aqui no Brasil, ela não funciona em lugar nenhum do mundo, nem nos países mais ricos e desenvolvidos nem nos países mais pobres e sem recursos. Ela não consegue cumprir nenhuma de suas metas, não impede a obtenção, não diminui o uso, não diminui o mal causado (aumenta na verdade pois não há controle de qualidade), é um fracasso total. A única coisa que ela faz é aumentar o mal causado pelas drogas, jogar o comércio na mão de criminosos sem escrúpulos, faz a corrupção explodir e faz com que haja uma discriminação incrível para com os usuários de drogas, fazendo com que eles muitas vezes não procurem tratamento caso necessário.

    Muitos criticam a legalização citando a Holanda. Realmente o modelo holandês não é perfeito, mas na minha opinião ele não é perfeito não por ser liberal, mas justamente por não ser liberal o suficiente. Lá se permite a venda de pequenas quantidades em coffe shops mas não se permite o cultivo para uso comercial, o que faz com que a demanda continue sendo suprida ilegalmente. Embora isso resolva o problema do usuário, permitindo que ele obtenha maconha de qualidade legalmente, sem ter que entrar em contato com traficantes que muitas vezes vendem diversas outras drogas, ele não tira os criminosos da jogada, pois não regulamenta o cultivo.

    Eu vi comentários falando que o usuário não é mais considerado criminoso no Brasil, mas isso não é verdade. O usuário simplesmente não tem pena restritiva de liberdade (não vai para a cadeia) mas ainda é criminoso, é fichado e punido. E isso acaba fazendo muito mais mal para ele do que o uso da maconha em si, uma ficha criminal marca a pessoa pelo resto da vida. E por que? Por fazer algo que não prejudica nenhuma outra pessoa. Sem contar que a grande da maioria das pessoas presas por tráfico de drogas são na verdade usuários inofencivos, que são jogados na cadeia ao lado de criminosos perigosos. Como acham que eles sairão da cadeia depois desse convívio?! Depois de sofrer tamanha injustiça?! A lei de drogas do Brasil é uma linha de montagem de criminosos!!

    A descriminalização do usuário e a regulamentação do cultivo para uso pessoal já seria uma grande coisa!

  75. carlos disse:

    A maconha legalizada levaria progresso e economia para o nordeste, pois o clima é ideal.

  76. JonasRasta disse:

    A hipocrisia que impera neste país é que não deixam as coisas evoluírem, zumbis? pelo amor de Deus, quantas mortes o tabaco e o alcool causam todos os dias no Brasil? a maconha vem sendo estudada a muitos anos e está mais do que claro que ela tem propriedades benéficas para sociedade, fora que só pelo simples motivo de quebrar o ciclo do tráfico já é um grande avanço! esses pré-conceitos, idéias nada fundamentadas e pré-estabelecidas são de uma burrice, de uma ignorância tamanha que me desanima! um menino que toma tapa na cara da polícia por estar fumando um baseado, e ainda, em muitas das vezes o que o policial pega com ele, usa ou mesmo vende na maior cara de pau, isso vocês acham normal? por uma planta, que comprovadamente tem vários benefícios, temos que lutar por leis que regulamentem mas que não serceiem o seu direito individual de consumir, de plantar na sua ksa, para seu próprio consumo, chega de hipocrisia, já passou da hora das coisas evoluierem, LEGALIZE JÁ!!!!

  77. Carlos Magno Cardoso disse:

    Todos conhecem o estrago que as drogas fazem ao ser humano, à família e à sociedade. Crimes horrendos podem ser cometidos por indivíduos maconhados.
    Só há traficantes porque há usuários. Então, descriminalizar uso de droga é uma imensa idiotice. Ao contrário, o que deve ser feito é aumentar as penalidades para os dois casos; sendo que para o usuário a prisão deveria ser em instituição fechada e com tratamento obrigatoriamente incluído. Já para o traficante, dobro da pena e nada de regalias, com cuprimento total da pena em regime fechado em segurança máxima.
    Parece que a inversão de valores é a máxima da época; até ministro de estado e ex-presidente sem o que fazer defendem tal anomalia.
    Faça a enquete com pais que têm filhos usuários e verão a satisfação que terão com tal idéia.
    Só peço que Deus ilumine aos que têm o poder de tal decisão. Eu não tomaria parte dela; minha consciência não permitiria, ao ver o mau que faria a tantos.

  78. JonasRasta disse:

    você deve ser daquele tipo de bebum que bate na mulher, toma todas por ae e chega em casa vira homem, e vem com aquele discurso velho de estrago nos lares, estrago nos lares mais do que a droga do alcool e do cigarro fazem, jamais a maconha irá fazer, te garanto! o que faz estrago nos lares é a falta de diálogo, de amor, de exemplos, isso sim companheiro!

  79. denis rb disse:

    Opa, JonasRasta, vamos pegar leve, sem ofensas aqui. Teve um comentário deletado.

  80. fumomaconhamesmo disse:

    Todos conhecem o estrago que as drogas fazem ao ser humano, à família e à sociedade. Crimes horrendos podem ser cometidos por indivíduos maconhados.(Carlos Magno)

    MEU DEUSSSSSSSSSSSS,totalmente sem fundamento,ontem eu fumei 5 baseadas e nao sai por ai matando os outros,enquanto muitos depois de beberem muita cachaca chega em casa e mete a porrada na familia,atropela,mata.Se alguem ta ”maconhado” o maximo que ela vai matar e a larica,que e sempre inevitavel

  81. Trentino disse:

    Sr. Carlos Magno, me perdoe a palavra, mas o Sr. entende de política social tanto quanto deve entender de astronomia.

    Descriminalizar a maconha não é pra agradar maconheiro: É simplesmente porque a guerra contra as drogas já se mostrou completamente inútil nos modelos atualmente empregados. O Sr. quer a mesma coisa que eu quero: Que o crime organizado se desfaça e acabe-se a violência. Portanto, apoie esta idéia. Se tem uma idéia melhor, sugira ao Estado, por favor.

    As drogas fazem parte da sociedade, é algo fruto de estudo antropológico. Álcool é pra sair da realidade, mesmo que um pouco. Os “indivíduos alcoolizados” tu não conta que fazem besteira e cometem crimes, mas os “maconhados”…

    Amigo, se for pra falar uma asneira tamanha destas, é melhor nos privar de lê-lo.

  82. Trentino disse:

    Tudo é uma questão de propaganda também. Estas pessoas que comentam aqui com certeza nasceram depois de 1920, onde até então cocaína, maconha e heroína eram vendidos nas farmácias, inclusive esta última era de licença de venda da Bayer. E não eram o diabo para ninguém, eram apenas… medicamentos.

    1 – Durante a Lei Seca nos EUA, a propaganda anti-álcool era EXATAMENTE IGUAL à propaganda anti-drogas, com inúmeros cartazes falando que álcool era coisa de louco, demente e criminoso, e mostrando cartuns com pessoas morrendo e matando, falando “Bebida: Não entre nessa”. E hoje temos propaganda de bebida cheio de mulheres seminuas gostosas. Se o Carlos Magno, ou qualquer outro nunca bebeu ou bebe aqui, eu sou mico de circo.

    2 – A Lei Seca Americana só se encerrou, em 1933, porque O ESTADO TEVE MAIS PREJUÍZOS TENTANDO COMBATER O TRÁFICO, SONEGAÇÃO FISCAL E PRODUÇÃO ILEGAL DE BEBIDAS, onde um dos cabeças era, inclusive, Al Capone.

    3 – O uso da maconha, ao ser descriminalizado (e permitido o plantio caseiro para consumo próprio) vai desestabilizar o arrendamento do tráfico, cuja base financeira principal é a maconha. E podem apostar, cavalheiros, que o problema não está na substância, e sim nas pessoas. Quem realmente gosta de maconha vai plantar em casa, coisa que muitos fazem exatamente porque não querem ser coniventes com esta rede de violência e crime.

    4 – Praticamente todos os países que descriminalizaram o uso verificaram uma diminuição na quantidade de usuários.

    5 – Quando algo é proibido, é mais atrativo. Até em historinhas do Chico Bento isto é parodiado.

    Alguem quer me contestar? Mas por favor, apresente algo melhor, dispenso disparates.

  83. Trentino disse:

    Portanto, ao invés de colocarem suas opiniões próprias, tratem um problema de Estado com UMA SOLUÇÃO PARA TODO O ESTADO, e não apenas porque você é evangélico, Testemunha de Jeová ou algo em que as drogas firam a tua moral pessoal. Inclusive, hipocrisias à parte, as pessoas que estão teoricamente acima de qualquer suspeita, como políticos e empresários conhecidos, PATROCINAM SIM, O TRÁFICO DE DROGAS. E são pessoas, cidadão, como você, que chegam e metem o pau na discriminalização com argumentos pífios. Aí é muito fácil, não?

    Pessoal, esqueçam se vocês gostam ou não de drogas, PENSEM COMO UM TODO. É o Estado Brasileiro em questão, e não a tua opinião. Apóiem a discriminalização e a legalização, e paguem para ver.

  84. Rafael disse:

    Uma coisa que deve ficar clara é que APOIAR A LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS NÃO QUER DIZER APOIAR O USO DE DROGAS, é simplesmente dizer que uma pessoa não deve ser considerada uma criminosa por fazer uso de uma substância. Assim como SER CONTRA A LEGALIZAÇÃO NÃO É SER CONTRA O USO DE DROGAS

  85. Rafael disse:

    Uma coisa que deve ficar clara é que APOIAR A LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS NÃO QUER DIZER APOIAR O USO DE DROGAS, é simplesmente dizer que uma pessoa não deve ser considerada uma criminosa por fazer uso de uma substância. Assim como SER CONTRA A LEGALIZAÇÃO NÃO É SER CONTRA O USO DE DROGAS, ser contra a legalização significa apoiar que o usuário seja tratado como criminoso.

    Assim como por exemplo eu acho que as pessoas não devem fumar tabaco, mas isso não quer dizer que elas devam ser presas por isso. As pessoas simplesmente tem que receber informações confiáveis sobre a substância para que se decidirem usar, elas o façam da forma menos danosa possível.

  86. Eduardo Gomes do Prado disse:

    Quero aproveitar e deixar aqui, um poema “Maria Joana” do meu livro: Aprendiz de Poeta, lançado em 15 de Agosto de 2009:

    Maria Joana

    Foi coisa de pele,
    paixão à primeira vista,
    coisas que a gente só vê
    em filmes, novelas e bancas de revistas.

    Conheci Maria Joana nas rodas de amigos
    na porta da escola onde ela ficava de um lado para o outro
    de mão em mão feito uma bola.
    Maria Joana era toda especial,
    tinha um jeito bem diferente,
    um cheiro bem natural.

    Maria Joana era toda bela,
    envolvida num vestido de seda,
    parecia uma Cinderela.

    O tempo foi passando,
    a dependência aumentando,
    eu abraçava Maria Joana e
    Maria Joana ia me escravizando.
    Eu já não ia mais para a cama
    sem antes dar uns aperto, uns tapas e uns
    beijos em Maria Joana.

    Maria Joana era conhecida em toda
    a cidade, transitava de “avião”
    sem problema por toda a comunidade.
    Não agüentei as pressões e os
    preconceitos vindos da sociedade,
    abandonei Maria Joana, perdi a felicidade.

    Aqueles momentos com Maria Joana eram fantásticos,
    ela me deixava no mundo da fantasia, tudo era belo era pura magia.
    Hoje eu ainda sinto seu cheiro e lembro-me das brincadeiras
    e das viagens que a gente fazia.

    Tenho tido alucinações,
    as vezes fico deprimido,
    fico morrendo de saudade
    de Maria Joana, que nos
    momentos de tristeza e solidão
    era o meu melhor comprimido.

  87. carlos disse:

    Sabe porque muita gente é contra a descriminação da maconha? Alguns por preconceito, outros por medo, mas grande parte simplesmente vive ($$$) de combater as drogas. Ongs, centros de reabilitação, policiais que só prendem micro traficantes e extorquem os grandes, etc.

  88. Ana Vitória disse:

    por Lysander Spooner

    Vícios são aqueles atos pelos quais um homem prejudica a si mesmo ou sua propriedade. Crimes são aqueles atos pelos quais um homem prejudica a pessoa ou a propriedade de outrem.

    Nos vícios, a própria essência do crime — isto é, o desejo de prejudicar a pessoa ou a propriedade de outrem — inexiste.
    …………………………………………………………………………………………………………………………….
    Se não lregulamentarem o uso a maconha, que então roíbam o consumo de alcool:

    * acomete de 10% a 12% da população mundial e 11,2% dos brasileiros que vivem nas 107 maiores cidades do país;
    * a incidência é maior entre os mais jovens, especialmente na faixa etária dos 18 aos 29 anos, declinando com a idade;
    * o álcool é responsável por cerca de 60% dos acidentes de trânsito e aparece em 70% dos laudos cadavéricos das mortes violentas;
    * de acordo com a última pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID) entre estudantes do 1º e 2º graus de dez capitais brasileiras, as bebidas alcoólicas são consumidas por mais de 65% dos entrevistados, estando bem à frente do tabaco. Dentre esses, 50% iniciaram o uso entre os 10 e 12 anos de idade.

  89. denis rb disse:

    Ana Vitória,
    E não acho absurda a hipótese de que a legalização da maconha pudesse implicar na redução do consumo de álcool. (É uma especulação, claro, mas faz sentido.)

  90. Ganja disse:

    teve um FULANINHO aí que afirmou que a descriminalização irá AUMENTAR o uso. (?)
    É nessa hora que vc entra com o embasamento científico, pesquisas, e argumentos concretos para corroborar com o que vc diz.
    Onde está?
    Não estou vendo nada disso.
    Vc deve ser daqueles que pensa em uma tatica SUPER INOVADORA contra as drogas né?
    gastar MAIS DINHEIRO no COMBATE.
    Essa é uma tatica usada a apenas uns 40 anos, e vem dando resultados CHULOS em qualquer país que a adotou.
    Se vc discorda me aponte um país que se livrou de qualquer tipo de droga, através da repressão e combate.

    Só mesmo um hipócrita de marca maior pra dizer que o consumo aumentaria com a descriminalização.
    Proibido ou não, USA QUEM QUER !
    Nunca ouvi falar de uma pessoa que tenha deixado de experimentar porque é proibido, ou pq está na lei.
    O que faz a pessoa usar ou não são diversos fatores pessoais, morais, éticos, etc…
    Não seja um imbecil, descriminalizar a maconha é dar ALTERNATIVA ao usuário, que nao seja financiar o tráfico e girar essa gigantesca engranagem, violencia, drogas, corrupção…
    Um puta ciclo vicioso.

  91. juber disse:

    TODO USUÁRIO DE DROGAS DEVERIA SER PRESO POR QUE SE NÃO EXISTISSE O USUARIO NÃO HAVERIA PRODUÇÃO DE DROGA NENHUMA PARA CONSUMO COM O OBJETIVO DE DROGAR-SE,FICAR DOIDÃO,MALUCO.

  92. Galera! disse:

    QUEM PLANTA SKUNK NÃO FUMA CRACK!!!

    Vamo fazer parte dessa campanha!

  93. Marcelo disse:

    “se não existisse o usuário” juber?

    Então acho que vc defende a pena de morte para toods os usuários de drogas não é mesmo?

    Porque mesmo presos os viciados não deixam de se drogar, na verdade na cadeia não falta droga de nenhuma espécie, a diferença é que enquanto estão presos nós é que sustentamos os viciados. Somos nós que pagamos os impostos que mantém as cadeias não é mesmo?

    Já imaginou prender todos os usuários de maconha? precisariam construir (e manter) umas 10 mil cadeias a mais no Brasil. E quem pagaria a conta? Vocês, caretas.

  94. denis rb disse:

    Muita gente – proibicionistas e anti-proibicionistas – vieram aqui dizer que é o álcool o verdadeiro mal. Eu queria só lembrar que uma dose de álcool ao dia, de preferência acompanhando as refeições, de preferência vinho tinto, tem um imenso efeito benéfico protetor contra o câncer e doenças cardíacas. Digo isso porque vejo no debate uma tendência de repetir nosso equívoco histórico. O de achar que há substâncias boas e substâncias más. A maconha é má? Não? Então só pode ser boa. Não é assim que funciona. Há usos bons e maus de qualquer substância, inclusive da maconha. Conheço muita gente que usa álcool e maconha de um jeito que não atrapalha a vida, ou que até é benéfico.
    É por isso que é besteira achar que é absurdo permitir que aumente o número de usuários de maconha. Não há problemas em que aumente o número de usuários, desde que diminua o número de usuários que façam mal uso. Idealmente 100% da população adulta deveria beber álcool uma vez por dia em pequenas quantidades – isso reduziria imensamente os gastos com saúde pública. Infelizmente sabemos que isso nunca vai acontecer porque sempre haverá gente querendo abusar. O problema, no entanto, não está nas substâncias. Está na gente.

  95. joao disse:

    para JUBER
    se fossemos pensar como você teriamos que prender todos os fumantes de cigarro e alcoolatras.

    triste seu comentário

    passo…

  96. gelso disse:

    sera que os traficantes não estão misturando na maconha o crack?isto viciaria mais os depedentes?
    a maconha é muito consumida e a ganancia pelo dinheiro dos traficantes?tenham cuidado para ñ cair nesta.

  97. Fred disse:

    MACONHA MISTURADA COM CRACK ?

    tá… vamos supor que isso que falaram, não fosse um absurdo…

    Muita gente planta em casa e mesmo, pra não fumar maconha estragada que pode ter MISTURADO: fezes de rosseiro, mijo de policial, sujeira das maos dos bandidos e SANGUE DE GENTE INOCENTE…. então se tivessem misturado o crack na maconha, sem o maconheiro perceber, quem planta em casa não correria esse risco… e muitos outros… além de não contribuir com dinheiro para o armamento da bandidagem e propina de policial corrupto!

    Não queremos nos involver com crime para pode desfrutar de uma criação divina!!

    basta…

  98. karlos disse:

    Defendo a liberalização da maconha, mas uma verdade deve ser dita. Fumar maconha o dia inteiro deixa o caboclo vagabundo, mas fumar a noite moderadamente, ela é afrodiziaco.

  99. Silva disse:

    A discussão acerca da liberação da droga só permanece porque a esmagadora maioria brasileira que é contra, em razão dos inúmeros motivos já comprovadíssimos do prejuízo que isto traria para a sociedade (o exemplo claro é a bebida alcoólica e o cigarro que são liberados e cada vez mais cerceados) não se manifesta.
    Aliás infelizmente no Brasil estamos muito carentes de manifestações daqueles que ainda mantém este País de pé, apesar dos pesares.

  100. juber disse:

    Triste João é ver pessoas como FHC,a própria ONU falarem em descriminalizar a DROGA.È a extrema falência da lei e da ordem.Triste é ver cidades tomadas pela bandidagem,governos apoiados e patrocinados por eles.Isto é triste.Triste é ve-los viciando estudantes nas escolas.E por aí vai.
    Digo e afirmo:depois que livraram a cara dos viciados a coisa debandou.

  101. juber disse:

    Caro Marcelo,se naõ usar drogas é ser careta eu o sou desde jovem.No meu tempo de jovem tinha muitos amigos que não eram careta e usavam drogas.Andavam sujos,passavam o dia assentados nas praças e abandonavam a escola.Digo a você:todo o esforço que o governo fizer para diminuir a oferta de drogas ainda é pouco mesmo que neste processo muitos tenham que morrer.

  102. Marcelo disse:

    Juber,
    “Careta” é apenas uma gíria, reconheço que é um adjetivo pejorativo mas não chega nem aos pés das ofensas que nós usuários ouvimos por aí. Seus amigos drogados podem ser vagabundos e não gostar de estudar ou de tomar banho mas eu e muitos (creio que os “bons” são maioria entre nós) maconheiros como eu estudam, trabalham e levam uma vida muito mais tranquila do que os alcoolatras que conheço.

    Como assim “ainda é pouco mesmo que neste processo MUITOS tenham que morrer.”?

    Lembre-se que um dia pode ser vc ou alguem da sua familia morto por uma bala perdida de uma arma comprada por bandidos com o dinheiro da maconha (que poderia estar nas maos de gente honesta e trabalhadora como eu). O”esforço” que o governo faz para reduzir NÃO está dando resultado, a legalização NÃO vai aumentar o consumo da maconha (vc fumaria maconha só pq foi legalizada?).

    Por quê permitir que morra tanta gente devido à REPRESSÃO contra a maconha quando TODA a sociedade poderia ganhar com a legalização?

    A maconha não faz mais mal à saúde nem causa tantas mortes quanto o álcool e nem por isso vc, que provavelmente toma a sua cervejinha de vez em quando, precisa comprar de um traficante que põe armas nas mãos de crianças só pq moralistas imbecis e preconceituosos proíbem.
    Legalizar a maconha geraria milhões de empregos LEGAIS não só com a produção e a venda mais com o aumento substancial do turismo, diminuiria o poder do crime organizado retirando sua maior fonte de receitas, faria o o estado lucrar com a cobrança de impostos que poderiam ser revertidos para o ministério da saúde tratar por exemplo dos alcólatras o pior tipo de dependente químico, o que fica violento, causa acidentes de trânsito e é o grupo de viciados mais numeroso em qualquer país.

    Sem sombra de dúvida a proibição da maconha gera infinitamente mais prejuízos à TODA a sociedade do que a sua liberação. Na verdade com a legalização a sociedade só tem a ganhar.

    Por fim, se vc encontra argumento para manter a legalidade do alcool que, segundo dados do ministério da educação, causa 22,5 vezes mais mortes do que TODAS as drogas ilícitas somadas eu tenho um argumento incontestável para continuar fumando a minha erva:

    A vida é minha e eu faço o que quero com ela. Vá cuidar da sua vida seu hipócrita!

  103. Marcelo disse:

    oops, ato falho, os dados são do ministério da saúde, não da educação.

  104. Ciça disse:

    Marcelo,
    Continue fumando sua maconha, usando um produto que tem 465 substancias venenosas, mas não a defenda de forma que outros venham a usar. Penso que os maconheiros defendem a legalização com n argumentos, mas o único motivo é que querem ter facilidade para comprar a droga. Nós que não gostamos de droga nenhuma, nem legal , nem ilegal, agora temos que conviver tambem com a fumaça nojenta de maconheiros? Já não chega a de cigarro, que aliás em boa hora, esta sendo proibido de usar em lugar publico? Chega de venenos espalhados pelo ar.Queremos ar puro e nossos pulmões limpos e nossa cabeça sóbria .E como sempre, como todo maconheiro , voce esta argumentado que a existencia de um erro ( alcool) justifica a existencia de outro ( maconha) . Atenção,pois 2 erros não fazem um acerto.
    E se eu não fumaria por se tornar legalizada, não diria o mesmo de milhares e milhares de adolescentes por aí. Já pensou essa turma.rebelde, noiada, desmotivada e sem objetivos , argumentando com os pais que agora podem fumar porque não é ilegal?
    E o dinheiro que seria gerado com esse comerçio, mal seria suficiente para pagar o tratamento de saude dessa turma, pois mais cedo ou mais tarde a fatura dos usuarios chega . Pesquisas cientificas comprovaram que a maconha é 10 x mais cancerígena que o tabaco. ( Comprove pesquisando na net. )

  105. Ciça disse:

    Denis Russo Burgierman;

    Quem esta proibindo a cannabis sativa de existir?
    E nem proibimos tambem a existencia da papoula, erythroxylon coca ,mas não é porque algo existe que deve ser usado e ainda por cima mal usado.Ou quem se candidata a fumar um cigarro de acónito ( planta que mata rapidamente por parada respiratória)?
    Acorde! Só não queremos mais um produto cancerigeno liberado por aí, e nós que nos preocupamos com nossa saude, tendo que aspirar fumaça da maconha alheia! Já chega a de tabaco , eca!

  106. aldo disse:

    “mas o único motivo é que querem ter facilidade para comprar a droga”
    ciça maconha é uma planta , pode ser PLANTADA em vez de comprada.E a qualidade é absurdamente superior

    trabalho em pesquisa científica sobre narcoticos , tenho que ficar atualizado sobre o tema semanalmente . POSSO LHE DIZER com TODA certeza que todas as pesquisas científicas que saem sobre a maconha x câncer não passam de papo furado . Isso acontece porque até agora ninguém teve a permissão de pesquisar a maconha ao longo prazo (10 20 30 anos) em HUMANOS .isso acontece justamente por ela ser proibida. Somente orgão do governo e industrias farmacêuticas tem esse poder.TODA PESQUISA VINCULADA EM UMA UNIVERSIDADE é de curto prazo .Assim não podemos ter certeza sobre a cannabis causar ou não causar cancêr em HUMANOS(por ser algo crônico).
    Nem mesmo a literatura medica comenta sobre isso.

    Outra tese que refuta isso é o remedio SATIVEX (http://www.gwpharma.co.uk/faqs.asp#faqs3_1) usado em pacientes com CÂNCER!!! não é estranho isso ?!

    em quanto tempo você acha que esse medicamento foi elaborado ? 10 -15 anos de pesquisa e milhoes de gastos ! .

    agora acho ridiculo você se basear em uma pesquisa ,sem ter fundamentos da sua veracidade .

  107. juber disse:

    OH Marcelo,além de fumar você também bebe,certo?Se eu não faço uso também não apoio os dois e por que não os três incluindo aí o cigarro.Só não entendi o hipócrita porque não uso e não tenho vontade de usar.O que eu fiz no meu primeiro comentário foi discordar veementemente da legalização das drogas e neste quesito entendo que o usuário é o cupado pela oferta das mesmas no mercado.Como cidadão tenho compaixão pelos viciados e desejo sua recuperação.

  108. Ciça disse:

    Aldo.
    Eu sei que maconha é planta e pode ser plantada, mas o tabaco tambem é e vc ve muita gente cultivando ? E melhor comprar pronto né? E esses estudos a respeito de legalização, todos visam o DINHEIRO, que isso vai render para o governo, de impostos, taxas etc. Vc acha que eles vão autorizar a cultivar? Vá sonhando! Se cada um pudesse cultivar em casa, ficaria ao alcance de crianças, já imaginou o risco?
    SATIVEX é um remedio usado para aliviar as dores de quem sofre de esclerose multipla, uma doença grave. E se é remedio, como tal tem tambem contra indicações não é? Eu nunca disse que maconha não pode ser util para algo. Só tenho certeza que voce colocar uma fumaça venenosa dentro de seu pulmão ( que é um orgão indefeso e se fosse para ele lidar com fumaça , teria filtro ) causa inumeras doenças, inclusive já comprovado por pesquisadores no EUA, que causa cancer de testiculo – comprove no link http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/2009/02/090209_maconhacancertesticulo_ba.shtml.
    O pulmão do ser humano foi feito para aspirar ar puro , limpo, fresco. Negar isso é total desconhecimento de anatomia basica. Se voce foge disse, tudo bem, é so aguentar as consequencias depois ok?
    PS ; O THC ta sendo usado tambem para estimular a fome de quem tem aids e cancer. Se habilita?

  109. Marcelo disse:

    Não Juber eu não bebo, mas defendo o direito de quem o faz. chamo-o de hipócrita pq vc fica aí querendo NOS (sim, somos muitos) proibir de usar maconha, disse até que todos devemos ir para a cadeia e que as NOSSAS mortes são “aceitáveis”, mas nunca defendeu a proibição do alcool, uma droga muito pior que causa muito mais mortes. Isto é hipocrisia.

  110. Marcelo disse:

    Ciça, vc por acaso defende a proibição do alcool? Se não, é tão hipócrita quanto o Juber. Ademais, o que eu faço com o meu pulmão é problema meu. Não estou fazendo propaganda da maconha para que outros fumem, só exijo o MEU direito, assim como defendo o direito das pessoas que bebem e fumam cigarros.

    “Essa turma.rebelde, noiada, desmotivada e sem objetivos” não pede a autorização dos pais para usar droga nenhuma seja ela legal ou ilegal. Se estão “rebeldes, noiados, desmotivados e sem objetivos” não é por causa da maconha que nem usaram ainda e sim por problemas sociais, familiares ou psicológicos.

    E te digo mais, é muito melhor que tenham acesso à maconha (uma droga leve, sim, mais leve que o alcool) sem precisar se envolver com criminosos que vão oferecer coisas piores como o crack e a cocaina, outra coisa boa da legalização da maconha: diminui o consumo das drogas pesadas de verdade pois corta o contato dos usuários com os traficantes, isto sim é comprovado não esta sua pesquisa aí que vc nem citou a fonte. Assista o documentário “Super High Me” (eu postei o link para download num comentário laaá embaixo) e vc vai ver os usos medicinais da erva e seus reais efeitos no corpo humano.

    Por fim, em nenhum lugar onde a maconha foi legalizada ela deixou de sofrer restrições até maiores que as que o cigarro sofre hj. Sendo legalizada, os usuários só poderão usá-la em SUAS casas ou em lugares específicos para isto os “Coffe Shops”, se vc não quer sentir o cheiro MARAVILHOSO da maconha basta não frequentar estes lugares, eu tbm defendo o seu direito de não gostar da maconha.

  111. Marcelo disse:

    Sabe Dennis, este tema “bombou”. Por quê vc não repete? Tem tanta informação interessante sobre este assunto, sei lá… nos dê exemplos de lagalizações que deram certo, proibições que dão errado (não vale citar o Brasil… hehe).

  112. juber disse:

    Caro Marcelo,quem sou eu para proibir alguém,sou sim favoravel ás leis restritivas que punem mas nem deputado eu sou para fazer leis.Quando eu falei de que ¨neste processo muitos morrem¨estava me referindo ao combate por parte da lei aos delinquentes e alguém sempre morre não é?Em nenhum momento te chamei de viciado até porque quando postei meu comentário estava dando a minha opinião à pergunta do blogueiro,por isso não falei do àlccol que realmente é uma droga também perigosa e perniciosa mas que rende impostos ao governo e por isso não é combatida.Pode ter certeza de uma coisa:se o governo um dia liberar as drogas não será por que ele quer garantir direitos para os usuários e sim faturar impostos em cima.Por favor não me chame de hipócrita por que em nenhum momento eu fingi no meu comentário e outra coisa:chega um momento na vida em que qualquer viciado(em qualquer coisa) quer abandonar o vício,por ele se torna ruim para a própria pessoa.Abraços.

  113. Marcelo disse:

    Perdoe-me juber, eu exagerei.
    Retiro o que disse, vc não é hipócrita. Só é alguem preocupado com a precária situação da nossa sociedade e que, na minha opinião, está equivocado. Visto que prender usuários de drogas, ou proibir a maconha nunca resolveu o problema e nunca resolverá, pelo simples fato que é uma maneira errada de se tratar o problema, a repressão ou a violencia policial não é a solução para os nossos problemas sociais.
    Educação sim, geração de empregos sim, enfraquecimento do crime organizado sim (se liberassem e regularizassem a maconha seria o fim do poder paralelo). A legalização não beneficiará criminosos. Pense nisso.

  114. Marcelo disse:

    Eu me sinto ofendido quando sou tachado de marginal ou quando dizem que devia ir para a cadeia só porque uso maconha, isto é um grande preconceito, uma grande injustiça. Sou estudante, estudo história na UFPE) e trabalho em dois empregos, nunca roubei nem fiz coisa alguma que prejudicasse outrem para comprar drogas.

  115. Marcelo disse:

    Mas, veja bem…
    Vc é um cidadão de um país democrático, sua opinião conta, o seu VOTO conta, se vc é a favor de determinada postura votará em um candidato que a apóie. Não subestime este poder.

  116. karlos disse:

    É difícil discutir um tema onde impera, ainda, uma ideologia de caças as bruxas. A américa latina toda, incluindo Brasil e México, virou vítima dessa ideologia implantada pelos americanos. A lei antidrogas brasileira é uma fábrica de bandidos. Um micro traficante sai da cadeia um bandido perigoso. A polícia, em paises onde o estado não funciona, caso do terceiro mundo e do Brasil, acaba corrompida ou lutando para enchugar o barco furado. Culpam os usuários com a seguinte lógica: se não existisse população não existiria o ladrão.

  117. Ciça disse:

    Marcelo,
    Ficou com preguiça de procurar? Eu sugeri que procurasse na net… Digite assim no google : Maconha causa cancer? Aparece 432.000 links para vc se informar….
    Eu tambem não sou hipocrita Marcelo. com certeza defendo a proibição de alcool tambem, sabendo que é inutil, pois se fosse proibido hoje, amanha já teriamos traficantes de bebidas não é?
    Marcelo, não se esforce tanto para se sentir “normal’ e aceito por todos mesmo fumando sua maconha. O conceito de normalidade é elastico e com certeza te cabe dentro….porém assuma que vc faz algo que te torna , no mínimo irresponsável com sua propria saude ( seu direito, não precisa argumentar de novo )
    Eu de minha parte sou feliz por não precisar de muleta nenhuma na vida, Nascemos precisando apenas de 04 As : ar, agua , alimento e afeto, para vivermos bem. Quaisquer outras necessidades alem dessas foram criadas obedecendo os interesses gananciosos de alguem.Sempre tem alguem querendo lucrar com as mazelas humanas não é?
    PS – Pena que o que te faz feliz não custe apenas dinheiro . Drogas cobram seu preço em saude tambem. Que seu preço te seja leve…
    Adeus….

  118. denis rb disse:

    Ciça,
    O link entre uso de maconha e câncer no sistema respiratório é tênue, mas isso não significa que ele não existe. Há ainda uma quantidade muito pequena de estudos estabelecendo essa ligação, a maioria deles bem recentes. O problema é que faltam estudos – e as leis draconianas são um dos impedimentos para que haja mais pesquisas e que elas seja menos abrangentes.
    Eu, da minha parte, acredito sim que deva haver risco. E por isso recomendo que a maconha seja vaporizada, em vez de queimada. Há um bom vaporizador portátil chamado Iolite, fabricado na Holanda e encontrável pela internet. Não é barato: custa perto de 200 dólares.

  119. Marcelo disse:

    Ciça, não quero ser aceito por pessoas preconceituosas como vc. Só quero exercer o meu direito de fazer o que eu quiser com a MINHA vida sem precisar ficar me escondendo da polícia.

    E essa história de “irresponsável com sua própria saúde” é uma grande bobagem, vc vai por acaso tentar obrigar, por força de lei, todos os obesos e pessoas com colesterol alto a fazerem dieta? Colesterol alto e problemas de saúde relacionados à obesidade matam muito mais que a maconha e nem por isso vc quer proibir comida gordurosa ou fechar todas as lanchonetes que não forem vegetarianas. Se continuar assim jajá vai querer proibir o sexo tbm (DSTs, matam pra caramba tbm né?).

    Vc por acaso se deu o trabalho de investigar alguns destes 435 mil sites? A maioria nega esta idotice. O que ocorre é que a maconha QUANDO FUMADA, devido ao processo de combustão, pode vir a causar câncer, mas esta não é a única maneira de se usar maconha (ou THC, o principio ativo), ela pode ser comida em bolos e brigadeiros (sei fazer uns que ficam divinos…), ingerida em pílula, vaporizada em um maquininha que eu tenho (éééé… pois é…. e vc nem sabia num é?).

    O cigarro é muito mais cancerígeno eu garanto. E muitos daqueles sites falam em tratamentos baseados em maconha.

    Vc assistiu o filme que indiquei? O “Super Size Me”? Precisa abrir sua mente viu? se continuar assim tão estreitinha vai ser atropelada pela contemporaneidade… Porque eu garanto, não vai demorar uma década para o Brasil legalizar a maconha.

  120. Marcelo disse:

    Ah já ia esquecendo,
    A maconha não é uma muleta, não preciso desesperadamente de maconha todos os dias da minha vida como o seu preconceito tolo acha que são os maconheiros, na verdade uso bem pouco. É uma coisa que eu gosto, como uma cervejinha com os amigos, ou um cineminha. Nada mais.

  121. Marcelo disse:

    P.s. Não quero nem nunca quis ser “normal”. Isto realmente não é para pessoas excepcionais como eu…

  122. Ciça disse:

    Marcelo,
    So de curiosidade. voce defende a legalização de todas as drogas?
    Seu argumento ( fazer o que quer sem ter policia no seu pe ) , serve para todos não?
    Usuarios de cocaina, heroina, crack , ou qualquer outra droga, tambem tem direitos ( afinal o corpo é deles, façam o que quiserem não?)

    Quanto a comprovar que maconha causa cancer ou outras doenças, as pesquisas não são tão complicadas como vcs pensam. Basta ir nos hospitais oncologicos e perguntar para os doentes Voces usavam tabaco maconha, ? surpresa, surpresa, a maioria eram viciados ……( cerca de 85%)
    Aliás, esse estudo já foi feito…..
    Engraçado vc achar que eu não sabia que maconheiros comem ou vaporizam maconha. Saibam que é o BENZOPIRENO, contido na cannabis que é o agente cancerigeno principal ( tem mais uns 464 ) tanto faz o jeito de usar….
    Justamente por ter lido tanto é que sou CONTRA drogas, legais ou ilegais…:)).
    E dos 432.000 links que falei, a maioria informava a ligação cancer – maconha.
    Será que vc estava chapado na hora que procurou?
    E o que vc estava fazendo na net antes das 6 00 . ( respondendo meu post). ?
    Ta com tempo? E seus 2 empregos e sua faculdade? :)))

  123. denis rb disse:

    Ciça,
    Vamos com calma com essas afirmações genéricas e sem comprovação.
    A maconha vaporizada tem 70% menos benzopireno do que a fumaça de maconha. E tem também menos da maioria das substâncias cancerígenas do fumo. As substâncias cancerígenas são, em linhas gerais, as mesmas do cigarro, liberadas pela queima da folha. Queimar coisas e respirar a fumaça é má ideia – faz muito mal. É como colar a boca no escapamento do carro. O THC em si jamais foi ligado ao câncer.
    Quanto aos 432.000 links, quero lembrar que uma pesquisa no Google não é “científica” (assim como “perguntar nos leitos dos hospitais” tampouco é). É óbvio que há muitas citações na internet desse tema explosivo (basta ver os comentários a este post para perceber que as pessoas se inflamam com o assunto), mas links no Google não configuram comprovação. Para buscar comprovação, é preciso ter disposição para ler artigos científicos, livros nunca publicados no Brasil, estudos longitud inais, metanálises. E isso eu fiz. Volto a afirmar: a possibilidade de que haja alguma conexão entre fumar maconha e câncer, inclusive de pulmão, existe mas foi observada numa quantidade relativamente pequena de estudos. Por conta disso, recomendo a vaporização, já que é melhor não brincar com a saúde. A vaporização parece ser bastante segura, pelo que se sabe hoje.

  124. Fred disse:

    Ciça, e outros proibicionistas radicais.

    O Alcool, Tabaco, CLONAZEPAM, Maconha, Heroína, Gordura Trans, Detergente, qualquer produto que use embalagem plástica, carros etc…. tudo isso faz muito mal, e não temos mais tanta opção de escolha.

    E é justamente por fazerem mal, que devem ser(continuar sendo) legalizados. Pois proibir, significa uma guerra sem fim, sem solução, que leva todo o dinheiro para o caixa do crime organizado que explora um mercado marginalizado pela sociedade/governo/loby/corruptos, causando mto mais danos que qualquer substância em qualquer dose…

    O Individuo, deve ser penalizado no ato de uma conduta criminosa e danosa(que nao seja ele mesmo) e acabou…

    Atroupelou, estuprou, roubou, matou ? estando OU NÃO sob o efeitou de qualquer droga, deve receber a mesma pena severa pelo ato e não pela droga…

  125. Marcelo disse:

    Sim Ciça, defendo.

    Na minha opinião a maconha deve ser liberada como o alcool e o cigarro. O governo deveria ter o controle da distribuição das drogas mais pesadas (para acabar com o crime organizado de uma vez) de forma a identificar, cadastrar e tratar dos viciados em drogas mortais (que só devem sair com prescrição médica e em quantidade determinada apenas para os usuários que se submetem ao tratamento do seu vício) por exemplo com as técnicas de redução de danos. Já ouviu falar? Consiste em substituir, aos poucos se necessário, um vicio em drogas pesadas por uma droga leve como a maconha depois ir reduzindo a dosagem desta tbm. Esta técnica tem se mostrado muito eficaz em diversos estudos que li a respeito.

    Evidentemente que isto só se aplica numa sociedade muuiiito mais avançada do que a que temos hj, quase uma utopia. Óbvio não defendo uma mudança tão radical para o momento atual, até porque o nosso estado ainda é muito corrupto e sem dúvida funcionários públicos desviariam drogas para o tráfico fora do controle público, que deverá continuar ilegal. Mas esta é, na minha opinião, a maneira correta de se combater as drogas. Aceitando o fato de sua existencia, da enorme demanda que as políticas proibicionistas nunca conseguiram diminuir (o que só fortalece o crime organizado) e buscar esta redução de uma maneira pragmática.

  126. Ciça disse:

    Fred,
    Discordo totalmente que não tenhamos escolhas, como voce afirma. Temos sim e principalmente com aquilo que colocamos para dentro de nosso corpo Se voce injetou, inalou, cheirou, comeu, bebeu, com certeza escolheu isso porque vc diria que alguem fez isso sob ameaça de uma arma?
    Todos os dias tomamos decisões que afetam nossa vida ou de outrem, O tempo dirá se elas estão certas, Aprendemos com nossos erros e com os erros de outros. Voce conhece a história de algum drogado que terminou bem? Eu não!
    Agora porque temos de conviver com esses perigos que vc aponta, justifica-se erramos mais ainda, liberando algo que comprovadamente faz mal? Leia a reportagem de Veja, publicada em janeiro de 2008.
    (colei abaixo ) Como essa , existem várias,

    ….De volta à realidade

    A Inglaterra restabelecerá
    punição severa para a maconha

    Chris Jackson/Getty Images
    Jovem fuma maconha em marcha contra a proibição da droga, em Londres

    Até 2004, a Inglaterra tinha uma das legislações antidrogas mais severas da Europa. Naquele ano, no entanto, uma decisão do governo teve o efeito de um sinal verde para os usuários de maconha: a droga foi reclassificada pelos órgãos de saúde do país e passou a ser considerada menos perigosa. Como conseqüência, a punição para usuários pegos em flagrante praticamente extinguiu-se: hoje, quem é apanhado com maconha na Inglaterra não está sujeito a mais do que uma bronca do policial responsável pela ação. A decisão de afrouxar a vigilância em relação ao uso do entorpecente foi justificada, na ocasião, com o argumento de que a polícia deveria concentrar-se na repressão a drogas com maior poder de destruição, como a cocaína e a heroína. Prova de que o raciocínio estava equivocado é o fato de que o governo inglês planeja voltar atrás na resolução. O primeiro-ministro Gordon Brown aguarda apenas a conclusão de um estudo que vem sendo feito pelo Advisory Council on the Misuse of Drugs, conselho que avalia os efeitos do uso de drogas, para anunciar que a maconha voltará a pertencer ao grupo dos entorpecentes sujeitos a repressão severa (neste caso, com multa e cinco anos de prisão para o usuário). O estudo, cujos resultados preliminares já são de conhecimento do governo, mostrará que a maconha prejudica a saúde mental dos consumidores mais do que se imaginava.

    Ainda que esse estudo não trouxesse nenhuma novidade a respeito dos danos à saúde causados pela maconha, a lógica mais trivial já recomendaria apertar o cerco aos seus usuários. Em sintonia com a política antitabagista da Europa, o cigarro está proibido nos pubs ingleses desde julho. E a ciência já comprovou que a maconha – que também aumenta o risco de infecções e inflamações nas vias respiratórias, além de conter substâncias cancerígenas – pode ser tão ou mais maléfica do que o tabaco para os pulmões.

    CLONAZEPAM, que eu saiba é um medicamento, descoberto, ou criado por laboratorio de renome, objetivando ficarem mais e mais ricos, porem traz alívio para certos tipos de doenças. E como todo remedio tem seus efeitos colaterais e contra indicações. Os medicos avaliam o custo/beneficio.
    Nada a ver com usar drogas por livre escolha ( pelo menos no inicio ), depois coitados, se são nossos parentes são chamados de ” dependentes quimicos” , estranhos são chamados de DROGADOS mesmo….

  127. Marcelo disse:

    P.s. Tenho acesso a internet no trabalho, em casa e na faculdade, e sim, me sobra tempo para namorar, jogar videogame, ir ao cinema, assistir documentários e seriados legais (acompanho uns cinco), visitar amigos, ler notícias na net, postar comentários em blogs, mandar emails… enfim ter uma vida social e ainda por cima fumar um baseado de vez em quando.

    Já vc, se conseguiu averiguar pelo menos um quinto dos “435 mil” sites que acusam a maconha de causar cancer não tem uma vida social né mesmo? Faça a busca: “maconha cura cancer” e vc vai encontrar uns 42 mil sites, menos do que os 435 mil mas, em se tratando de google (ainda mais neste tema que vc tem que descontar o preconceito de religiosos e pseudomoralistas), quantidade não é qualidade não é mesmo?

  128. Marcelo disse:

    E aí Ciça, vc vai tentar obrigar obesos a fazerem dieta, por força de lei, só pq “faz mal a saúde” ser obeso?

  129. Marcelo disse:

    É isso aí Fred, falou e disse,
    Tbm acho que uso de drogas não pode ser usado na defesa de crimnosos que roubam, assaltam, matam ou fazem qualquer coisa que prejudique outros. Lembra daquela Suzane Von Richtoffen que palnejou o assassinato dos pais com o namorado? Veja só, aquela víbora alegou que o namorado viciou ela em maconha e ela só concordou em participar daquilo pq estava “emaconhada”. Isto não existe!!! Ninguém perde o senso de realidade a este ponto ou fica tão manipulável como ela afirmou usando maconha. Eu garanto.

  130. Ciça disse:

    denis rb,

    Eu não inventei esse percentual. Li em reportagens que transcreviam artigos cientificos.

    “Quanto aos 432.000 links, quero lembrar que uma pesquisa no Google não é “científica” ”

    Eu sei disso Denis, porem varios links dentre os acima, nos levavam a trabalhos publicados em revistas cientificas, de estudos feitos por renomados pesquisadores americanos e canadenses.
    Discordo que não seja “cientifico”, vc estudar a vida pregressa de doentes oncologicos, pois sabemos que varios tipos de cancer são detonados exatamente pelo estilo de vida da pessoa.
    Uma vida saudável e sem vícios, ” desligaria ” o gene do cancer que porventura eles tivessem.

    Pessoal, nós so temos esse corpo , peças de reposição são dificeis ( transplantes ) , Temos que habita-lo por um tempo, que embora determinado não sabemos qto é , portanto vamos cuidar dele com todo carinho. Que tal?

  131. Felix disse:

    Ciça,

    Sinceramente acho muito bacana a sua defesa por um corpo e uma vida saudáveis, longe de vícios e substancias que podem causar danos a médio e longo prazo.

    No entanto, como pode ser saudável para alguém ser preso e humilhado publicamente por usar algo que só faz mal à própria pessoa, como fumar maconha?

    O que lhe pergunto é: Por que a lei deve punir o maconheiro? Afinal, não é ele mesmo que está se punindo ao fazer o uso e estar exposto aos danos provocados pela maconha?

    A minha defesa aqui é pela liberdade. Se eu não vou fumar perto de você e nem te prejudicar de forma alguma, porque tenho que ser privado de realizar a minha vontade de fumar maconha?

    Imagina só o tanto de meninos de rua que poderão voltar pra escola se eu puder comprar a minha maconha na padaria. Você não acha isso uma idéia interessante?

    Eu não faço uso de cocaína e nem de outras drogas, mas sou a favor de uma legalização completa exatamente para por um fim no financiamento do crime organizado.

    Acho que devemos combater as drogas sim, mas como fazemos hoje com o sal, o açúcar, o colesterol, entre outras coisas: Com educação e informação. Proibir não é o caminho. Proibir apenas cria muita lenda e mistério, o que ironicamente acaba atraindo mais a juventude.

    Ciça, respeito muito a sua disposição para se abrir ao diálogo. A maioria das pessoas nem quer ouvir falar em maconha, essa “coisa de marginais”….

  132. Felix disse:

    Complementando:

    Ciça, eu não duvido que maconha faça mal, que cause cancer ou que leve as pessoas à loucura.

    Agora, se isso é argumento para se proibir algo, é realmente espantoso que, só para citar um exemplo, o Mc Donalds ainda tenha permissão para funcionar com o cardápio que eles possuem.

    As leis necessárias para proteger a sociedade das drogas já estão aí: não se pode dirigir, pilotar, ou fazer uso de máquinas drogado. Não se pode fumar em ambientes coletivos fechados. O uso de drogas em qualquer processo penal pode ser um agravante. Não pode existir bares ou tabacarias perto de escolas. A publicidade é totalmente restrita.

    E eu sou a favor dessas e de todas as leis que podem proteger os OUTROS dos efeitos das drogas consumidas por um indivíduo.

    Dito isso, pergunto: Por que proibir o uso e comércio?

    Alguém é capaz de me dar uma resposta não moralista ou preconceituosa?

  133. Ciça disse:

    Felix,
    Creio que eu tenho a resposta que vc quer. Raciocine comigo.Voce imaginaria que seriam necessarias leis para me obrigar a usar cinto de segurança ? Limitar a velocidade nas estradas?Afinal deveria ser de meu extremo interesse preservar minha vida e integridade fisica não? No entanto, olha a ignorancia humana….Corremos, matamos e morremos nas estradas, aleijamos e somos aleijados ;portanto existirem leis que visam nos proteger de nossas decisões erradas é normal e desejavel. E quando vc argumenta que as drogas so prejudicam o usuário, vc esta enganado. O fato de vivermos em sociedade, nos tornam interdependentes todos pagamos pelos erros de alguns,pois é sabido que na esteira da vicio de drogas.vem o crime. Mesmo se as drogas fossem liberadas , elas teriam um preço, e viciados sem animo algum de trabalhar , roubariam , matariam, para compra-las na farmacia da esquina. …
    Voce pode pensar assim: tudo isso que ela esta descrevendo ja existe, mesmo as drogas sendo proibidas, porem….a liberação sempre traz o aumento do consumo, gente desinformada , poderia pensar … ” Ah….se ta liberado é porque é bom, agora posso usar”, assim como pensam que podem comer a comida do McDonald , afinal a lanchonete esta aberta, o governo não proibiu….

    Drogas,trazem doenças, os viciados onerariam o sistema de saude….que é pago por todos….

    Observo que apreciadores da cannabis, tendem sempre a compara-las com outros males que julgam maior ( outras drogas, alcool, tabaco, etc etc ).Porem, eu digo e repito : 1, 2, 3 n erros, intercalados , sobrepostos, acumulados, justificados, não fazem um único acerto….
    Discorda?

  134. Ciça disse:

    complementando.:

    Por que em lugar de procurarmos um suposto “mal menor”, não vamos todos procurar um “bem maior “?

  135. Marcelo disse:

    Onde está o “bem maior” em se proibir, com estrondoso fracasso, a maconha?

  136. Fred disse:

    Ciça, eu não acho que usar drogas seja um caminho, ou de sucesso ou de derrota.

    Mas veja, você tem um iPod ? ou um iPhone ? ou um pc com Windows(que foi copiado da apple pelo Bill Gates).

    Nossa, que coincidência, você também não vive sem um computador ? Então veja, a história de uma das pessoas que mais se deram bem… o nosso amigo Steve Jobs, que relata que uma das coisas mais importântes na vida dele, foi tomar LSD…

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Steve_Jobs
    http://macmagazine.uol.com.br/2008/02/20/20-curiosidades-sobre-steve-jobs/
    http://www.meiobit.com/meio-bit/miscelaneas/criador-do-lsd-deixa-uma-mensagem-para-steve-jobs

    Existem pessoas que sabem fazer escolhas responsáveis(sim como usar maconha ou lsd ou alcool por exemplo) sem causar dano a ninguém. E essas pessoas não podem pagar pelo preço da contuda das pessoas de má índole.

    Nem o resto do povo, que escolhe não usar nada, e fica no meio dessa guerra ridícula…

    Vai, continue apoiando essa guerra!!!

  137. Fred disse:

    Ô, pessoal da moderação ? cade voces ? 🙂
    meu último comentário esperando moderação faz horassss

  138. Fred disse:

    Ciça, eu não acho que usar drogas seja um caminho, ou de sucesso ou de derrota.

    Mas você perguntou, se eu conheço alguém que “usa drogas” e se “deu bem”.

    Pois sim. E o que seria de TODOS NÓS se não fosse o Steve Jobs ?

    Alguém aqui sabe quem é Steve Jobs ?
    Não, mas todos usam o sistema criado por ele, e copiado pela M1cr0soft…
    E usam 1P0ds e 1Ph0nes…

    Ciça, procure algo sobre a biografia do Steve, e depois me diga se você acha que ele SE DEU BEM OU NÃO ? ok ?

    Procurando sobre a biografia dele, atente-se para A CARTA, escrita a ele, por Albert Hoffman…

    E como ele, existem milhares de pessoas, talentosas, geniais, que usam ou não alguma substância que vc julga ser o demônio…

  139. Marcelo disse:

    Que usa drogas e se deu bem?
    huumm… Tem o Marcelo D2, o Bob Marley, o John Lennon (este só não está se “dando bem” ainda pq foi assassinado), e estes são só alguns que se deram muuiito bem… Ficaram ricos e famosos.

    Que se deram bem de maneira até satisfatória eu conheço: meu professor de Teoria da História, minha prima que é bióloga e tem uma bolsa de doutorado (ela fuma todos os dias), Um amigo que faz dois cursos em universidades públicas (Ciências Sociais e História), o irmão dele que faz Filosofia tbm numa universidade pública e muitos outros. Todos estes fumam bastante e há anos (meu professor, há décadas…).

    A Ciça pensa que todo maconheiro fica idiota, preguiçoso e inútil.

  140. Felix disse:

    Poisé, Ciça, eu encaro da seguinte forma: o único mediador entre uma pessoa e os limites entre o bem e o mal é o próprio indivíduo. E ninguém mais… Inclusive essas leis que você citou não servem para, como você disse, “nos proteger de nossas decisões erradas”, COISA NENHUMA! Elas servem é para nos PUNIR no caso de tomarmos essas decisões. A lei sempre atua no pós, e não no antes. Ela não impede o crime. Pode até desencorajar, mas o livre arbítrio vai sempre falar mais forte.

    Ninguém é dono da verdade ou conhece o que é certo para o mundo. O que você chama de “bem maior”, nunca passará de algo que você ACHA que seja algo benéfico para a toda humanidade. Mas é apenas a sua opinião. A moral é algo individual e intrasferível.

    Se as pessoas querem correr com seus carros sem cintos, comer no mc donalds ou fumar maconha, a decisão é delas e apenas delas. Não sua, ou do Estado. Este último deveria garantir apenas que os hábitos de um não podem prejudicar o outro.

    A experiêcia de cada um em relação ao mundo é única. E não é você e nem ninguém que pode dizer o que cada pessoa pode ou não fazer com seu corpo. Acredito inclusive que uma péssima experiência com as drogas (coisa muito comum), pode servir como algo que possa trazer um grande crescimento a uma pessoa. É assim que conhecemos nossos próprios limites.

    Infelizmente (ou felizmente) o Homem é um ser imperfeito, e assim para sempre será. Quando você chama alguns seres humanos de ignorantes, está na verdade expondo a sua própria ignorância. Eu realmente sou contra que o Estado me obrigue a usar cinto de segurança ou que ele me impeça de me matar, da forma que for. Acredito que cada um é mestre de si mesmo. O Estado só deve proteger o OUTRO. E não me proteger de mim mesmo. “A liberdade de um acaba no direito do outro”.

    Sendo assim repito minha pergunta: Se eu fumo minha maconha em paz e não faço mal a ninguém, por que eu devo ser preso e humilhado? Que bem maior é esse?

    Sistema de saúde oneroso? A maconha legalizada, assim como o tabaco, seria extremamente taxada, dinheiro mais que suficiente para ser investido nesse “complemento”. E o sistema de saúde está aí pra isso mesmo… para cuidar de todos sem distinção. Se isso é argumento, deveríamos todos nos trancar em casa, o que nem adiantaria, pois viver é perigoso mesmo…

    Sobre o fator que as pessoas matam, roubam, entre outras coisas, para conseguir drogas, não é argumento, pois isso já acontece de qualquer forma com a droga ilegal e não mudaria mesmo com a legalização. E mais, não é só com drogas não. Há muitos exemplos disso, como crianças que roubam a carteira dos pais pra comprar figurinha ou gente que alimenta mal seus filhos para estar sempre com a roupa da moda…

    Ciça, o mundo é feio mesmo, e acredito que a proibição das drogas só ajuda a piorar o quadro, pois ataca um direito fundamental do homem que é a liberdade de fazer o que bem entende com ele mesmo. Essa liberdade continuará sendo exercida, você queria ou não. É fato: as pessoas NÃO vão parar de usar drogas, você ache bom ou não. Proibir só torna esse mecanismo mais perverso e violento. Até quando a gente vai ter que viver nesse mundo de traficantes e capitães Nascimentos? Se não legalizar, a resposta é simples: Pra sempre…

    Você fala em erros sobrepostos: Imagina como seria o seu mundo dos “acertos”: tráfico de bebida, de gordura, de açúcar… Sério, imagina se fossemos proibir tudo que faz mal a saúde?

    As pessoas não usam maconha, ou alcool, ou cocaína, ou gordura, ou açúcar porque são ignorantes ou burras não… Mas simplesmente porque dá prazer a elas. Prazer.

    Ciça, se você não gosta, não use. Se você acha errado, oriente. Mas eu repito, por que nessa história toda, só porque eu gosto, eu tenho que ser preso e humilhado?

  141. Ciça disse:

    Felix,

    Belo raciocinio heim? Tava demorando alguem falar do livre arbitrio, vazio existencial, busca pelo prazer, etc,etc. Defende que o “outro “ dever ser protegido, náo “eu“. Porem na pratica. … se voce corre na estrada voce arrisca a matar/aleijar outros. Se vc ta doidao pelas drogas voce mata “outros“ para consegui-la .Muitos drogados já mataram pai, mae, avos, para conseguir dinheiro para as drogas. Como vc faria para proteger essas pessoas inocentes , que se tornam vitimas da busca desenfreada pelo prazer? .Na verdade tudo se resume a isso; ou bem ou mal vivemos no mesmo espaço, ocupamos o mesmo mundo e leis restritivas, punitivas, sáo tentativas ainda canhestras de moralizar isso. Que os “outros“ náo paguem a conta pelo SEU prazer/ descuido/ .

    Se voce tem que ser preso e humilhado é porque voce desobedeceu uma LEI (proibido maconha),como qualquer outro “fora da lei“. Ou vc acha que a policia tem que livrar a cara dos maconheiros? Rsrs

    Qdo eu disse “ignorantes“, me referi a pessoas, sem informaçóes, sem conhecimento, sem visáo ampla e de diversos angulos da mesma questáo, portanto sem meios de decidir direito (se usa ou náo drogas).

    “Infelizmente (ou felizmente) o Homem é um ser imperfeito, e assim para sempre será“.
    Ja desistiu de melhorar pelo menos a si mesmo? Náo desista! Ate o ultimo dia de sua vida , voce pode aprender algo e ser uma pessoa melhor.

    Sei la…acho que essa “ discussáo “, com voces nao esta me acrescentando nada….e COM CERTEZA, náo esta acrescentando nada para voces tb. Acho que nao convencerei nenhum de vcs a deixar o seu PRAZER,, ja que e so nisso que egoisticamente parecem pensar, nao importando o preço a ser pago, seja ele dinheiro saude ou respeitabilidade ( porque quer vcs queiram ou náo, a maioria de nos os “cara limpas“, “caretas“ nao respeitamos os que precisam de tais muletas, sejam eles famosos, ricos, ou o papa ) rsrs, (remember MJ )
    Ja sei, ja sei…..vcs nao se importam com nosso respeito.

    Mas, tive uma ideia interessante… Em lugar de ficar lutando para mudar leis que discriminam vcs, feita pos gente idiota que que tenta fazer um mundo melhor ( ta longe, mas ainda chegaremos la ),porque náo lutam pela criaçao de um pais/ estado, ( nome sugerido : Crazyland ) – onde todos que gostassem de drogas poderiam se mudar.? Lá , do gari , ao presidente, passando por medicos, juizes promotores,todos os seguimentos e uma sociedade , teriam sua droguinha favorita assim ninguem seria discriminado. Náo seriam chamados de maconheiros, drogados, nunca mais. Seria so bro, mano
    para la e para ca. ?
    Os maconheiros poderiam cultivar sua maconha de alta qualidade, (white widow seria banal)
    A cocaina seria refinada por quem a aprecia e por ai afora….Cientistas ( multi-adictos), pesquisariam noite e dia por drogas mais e mais potentes.
    Sindrome de abstinencia? Coisa de um passado remoto, “ Se lembra bro, quando faltava heroina?“

    Mortes? A maiora por excesso de PRAZER…

    Assim vcs poderiam construir/destruir suas vidas a vontade, sem incomodarem e serem incomodados.
    que tal ?
    Antes que alguem diga que eu e minha turma é que deveriamos nos mudar…
    Negativo. E mais facil para vcs…. afinal sao minoria…

    PS : detalhe : passagem so de ida… comandante do aviao ( sonifero e efedrina, maconha para relaxar nas horas vagas )

    Adeus……

    .

    .

  142. Ciça disse:

    Marcelo e Fred;

    Voce esta desinformado, seu xara D2 disse recentemente: “Maconha? E so marketing, gosto mesmo é de uma cervejinha” ( pesquise na net….olha a preguiça….)
    Steve Jobs? Aquele esqueleto ambulante, que esteve afastado por meses do trabalho e precisou até de transplante? Agora já sei porque….
    Bob Marley? Morreu de cancer….
    Marcelo,
    Seus conhecidos , ” estao dando” certo, por enquanto. Aguarde o futuro…..(a quimioterapia os espera na curva…..)

  143. Marcelo disse:

    Ciça, desinformada é vc,
    Nem todo cancer vem do uso de drogas e não existem provas que foi a maconha causou a doença de Bob Marley.
    Como assim, D2 não fuma maconha? de onde vc tirou esta idéia ridícula? Talvez ele beba mais do fume mas sem dúvida ele fuma.
    A doença de Steve Jobs não tem nada haver com drogas. Deixe vc de preguiça, vá checar suas informações para ver se para de falar bobagens.

    Se vc respira o mesmo ar poluído que eu, come alimentos cheios de aditivos químicos ou simplesmente está viva (visto que a maioria dos casos de câncer tem raízes genéticas), vc tem praticamente as mesmas chances de desenvolver câncer, quanto eu ou meus amigos.

    Este foi a última coisa que postei para vc. Vc baixou demais o nível desta vez, quando disse que meus amigos terão câncer. Isto não tem graça. É atitude de gente que não tem respeito pela vida.

    Passar bem.

  144. Fred disse:

    Ciça, Aí que tá… cada um tem uma opnião sobre SE DAR BEM…

    Pra mim, criar coisas úteis, e agradáveis é se dar muito bem. Muito melhor do que viver 100 anos, sendo escravo das idéias alheias, e não se realizar pessoalmente.

    Quanto ao “esqueleto ambulante”, cuidado ao cuspir pra cima… mas isso é o suficiente pra ver o quão fraco é o seu caráter, e os seus argumentos…

    MAS POR QUE NAO CONSEGUE PARAR DE USAR AS CRIAÇÕES DO ESQUELETO AMBULANTE ENTÃO ?????

    Me responda ? só isso ? Não tem como vc responder nada aqui no blog, sem usufruir das criações do esqueleto ambulante… né ? a não ser que vc conecte usando o MS-DOS…

    E disse pra vc pesquisar por si mesma, pq o meu primeiro post sobre isso ficou preso na moderação por algumas horas…

    Veja lá o post anterior ao que eu disse isso… Tem o link para wikipedia do Steve.. e lá tem tudo ou o link para o que não tem lá…

  145. Fred disse:

    Marcelo, é incrível como A MURALHA de estigmas morais não se desfaz facilmente.

    Isso é puro apego a própria crença antiga, ou seja, a pessoa acredita naquilo a tanto tempo, que não consegue se desfazer dessas crenças assim, pois muitas das suas idéias ficam abaladas ao ver que algo que era tão certeza já não é mais, E O RESTO ENTÃO ??

    Então é mais fácil ignorar os fatos, do que ter que RE PENSAR todas as suas idéias….

  146. Felix disse:

    É Ciça, você apelou.

    Seu discurso parece até de um facista, clamando pela purificação da humanidade.

    Vícios existem, e não é só por drogas não. As pessoas se viciam por TV, internet, biscoito Maria e até por outras pessoas. E até roubam e matam por essas coisas. E claro, como você mesmo disse, a droga legalizada diminuiria esse tipo de crime porque não faltaria.

    E você andou em círculos. Segundo a lei, existe algo chamado AGRAVANTE. Exatamente para o caso de eu pegar um carro doidão e atropelar alguém. 30 aninhos pra refletir… Por isso que a criminalização das drogas só visa “proteger” o usuário de si mesmo, o que eu combato, ainda mais porque, com essa “proteção” milhares de pessoas que não tem nada a ver com a história são afetadas negativamente (vide os aviõezinhos dos morros)

    Você pelo jeito deve ser o mais perfeito dos seres né? Você não faz nada na sua vida que não seja virtuoso ou explêndido? Pessoal, talvez a Ciça seja a reencarnação de Cristo ou algo assim.

    Sobre CrazyTown eu nem vou comentar, mas imagino um lugar bem feliz, pra dizer a verdade.

    E você disse adeus porque não tem mais argumentos. Pelo menos nenhum argumento que ultrapasse sua moral e seus desejos eugenistas purificadores preconceituosos. A Justiça deveria, pelo menos a princípio, ser cega.

    Ciça, você se foi mas eu sei que você leu meu comentário.

  147. Fred disse:

    Ciça, outra coisa, SE UM DIA eu tiver Câncer, a última coisa que farei é uma quimio/radio terapia…

    Sabe pra onde eu vou ? Pro Canadá, ou pra Califórnia, me tratar com CANNABIS… que além de muito mais saudável/garantido, é mais barato também…

  148. Fred disse:

    Ciça, quem é egoísta ?

    Egoísta, é quem quer que essa guerra continue, pra que eu pare de fumar a minha maconha, que afinal vem da terra, é de graça, infinita, faz me sentir muito bem obrigado, e não prejudica a nenhum outro ser, se não ,como voce acredita, a mim…..

    O usuário só é obrigado a dar dinheiro pro traficante, pq é desencorajado a plantar(mtas vezes enquadrado direto em tráfico de drogas equivocadamente)… Quem planta, por mais que fume 1 kilo por dia, nunca vai ficar sem, desde que seja permitido o plantio para o consumo próprio.

    Será que é difícil ver que estamos discutindo UMA POSSIBILIDADE de melhorar a situação atual, não para uma perfeita, mas para uma possivelmente melhor… ???

    Não vamos chegar a lugar algum, discutindo se eu devo parar de usar, ou se vc deve começar a usar… E sim, se essa guerra precisa existir só pra você poder escolher NÃO USAR…

    Quem é egoísta afinal…

  149. GABRIEL disse:

    Triste? Vão se ****** vocês, vou falar oque é triste…

    Triste é ver uma cambada de político aprovando leis que só beneficiam a ELES, enquanto tem seres humanos (assim como nós, mas não como eles), que estão passando FOME, estão sem OQUE COMER, estão MORRENDO NAS FILAS DO SISTEMA RIDICULO PUBLICO DE SAUDE!

    TRISTE… TRISTE É VER ESTE TANTO DE GADO, ISSO MESMO, GADOS, QUE SÃO TOCADOS PARA ONDE A ELITE QUER..

    SOU A FAVOR DA LEGALIZAÇÃO DA MACONHA? TANTO FAZ… OQUE EU QUERO, É QUE COMECEMOS A LUTAR PELOS NOSSOS, E NÃO PELO DINHEIRO, COMECEMOS A ESTUDAR OQUE É BOM E OQUE É RUIM PARA A POPULAÇÃO, QUEREMOS SER TRATADOS COM DIGNIDADE..

    FODA-SE A MACONHA, FODA-SE A DROGA, FODA-SE TUDO, EU FUMO MACONHA SIM, PORÉM OQUE MAIS ME PREOCUPA AGORA, É CONCERTAR A CAGADA QUE JA FIZERAM, EM RELAÇÃO ÀS LEIS DESTE PAIS, EM RELAÇÃO À SERIEDADE DOS POLÍTICOS, EM RELAÇÃO A TUDO E A TODOS..

    PRECISAMOS É ABRAÇAR UNS AOS OUTROS E PERGUNTAR “OQUE VOCE PRECISA”, E NAO SIMPLESMENTE LUTARMOS PELO QUE É BOM PARA NÓS..

    CHEGA DE PALHAÇADA! VAMOS AJUDAR O BRASIL!

    http://cannabisisland.blogspot.com

    MEU BLOG!

  150. GABRIEL disse:

    SÓ PARA COMPLETAR…

    SOU MACONHEIRO E TENHO ORGULHO DISSO, PORQUE TODOS MACONHEIROS QUE CONHEÇO, SÃO MTO MAIS HUMANOS DO QUE OS “NÃO MACONHEIROS”,

    O PROBLEMA NÃO TA EM “CHEGOU A HORA DE LEGALIZAR A MACONHA”, E SIM EM: “CHEGOU A HORA DE PENSARMOS MAIS COMO UM TODO, E MENOS COMO INDIVIDUO..”

    ENQUANTO TIVER GENTE MORRENDO PELA SAUDE DO PAIS, ENQUANTO TIVER GENE PASSANDO FOME, OU, ATÉ MESMO SENDO PRESO INJUSTAMENTE, NÃO VAI TER PASSADO ESTA HORA, ESTE MOMENTO..

    LEGALIZEM A MACONHA, PROIBAM A MACONHA, LEGALIZEM A COCAINA, PROIBAM A COCAINA, ISSO NÃO ME IMPORTA, MAS PELO AMOR DE DEUS, OLHE PARA OS NOSSOS, COMO SE FOSSEM PARTE DE NÓS, E NÃO SE COMO FOSSEMOS MELHORES QUE ELES!

    http://cannabisisland.blogspot.com

    MEU BLOG!

  151. Márcia disse:

    “Maconheiros são mais humanos” , o que é isso?
    Eu espero que não seja legalizada. E para os que a defendem, que sejam corajosos como o governo da Califórnia, fazendo um plebiscito com a população. De preferência, incluindo a pergunta: você preferiria operar o seu filho com um médico usuário frequente de maconha ou com um não usuário frequente de maconha?

  152. Rômulo disse:

    Eu sou a favor da legalização, mas acho que isso demora, justamente por conta de opiniões distorcidas como essa da Márcia… Vai ser tendenciosa assim lá longe!

  153. Lucas disse:

    Eu acho que não se deve legalizar.
    Drogados tem de trabalhar e não comprar droga. Falam que o cigarro é pior do que a maconha, e pode ser, mas para isso tem que levar em conta pesquisas CIENTIFICAS e não opiniões de Lula, Obama e deste blogueiro acéfalo. Além do mais, cigarro não causa lerdeza, nem alteração no estado de consciência.

    Lametemos pessoas que já não fazem nada para melhorar o país, ainda querem sua droguinha no super-mercado

  154. Lucas disse:

    Este Gabriel dono de um blog que faz apologia ao uso não só de maconha como de ácidos e outros tipos de droga, deveria parar de entrar em contradição ao dizer que maconheiros são mais humanistas, pois dizer “no meu circulo de amigos, na favela, na roda do pagode os maconheiros são humanistas” não vale.

  155. Monica disse:

    Denis,

    Parabenizo vc pela pesquisa, pelo livro publicado e também pela coragem de postar, numa revista tão reacinário como esta, um texto tão bem escrito e abordando um tema tão polêmico. Sou profissional de saúde e, como tal e como cidadã, sei da delicadeza que envolve o debate, principalmente por nos recusarmos a discutí-lo de forma ampla – todos os segimentos sociais – desprovidos, no limite do possível, de preconceitos.

    Muito me entristece uma série de comentários aqui colocados pq percebo o quão longe estamos de abordar o uso dos psicoativos enquanto uma questão de direitos/deveres/comprometimentos pessoais e de saúde pública, não mais enquanto um caso de polícia, com a algumas décadas vem sendo abordado.

    Me entrisece tbm e me envergonha ler comentários de profissionais de saúde, provavelmente “empregados” do SUS, desconhecendo que a tempos o Ministério da Saúde adota oficialmente a Política de Redução de Danos para orientar os serviços e açoes responsáveis por este tipo de demanda. Enquanto empregados do SUS, temos obrigação de SABER e lembrar que a saúde pública é uma conquista do povo brasileiro, que durante décadas reinvindicou, e conquistou, o direito à saúde enquanto uma obrigação UNIVERSAL do estado. E, enquanto obrigação, para todos, não distingue a oferta de serviços, independente da queixa/demanda colocada. Os usuários de psicoativos, óbvio, enquanto cidadãos brasileiros, estão incluidos!!! E, se não conseguimos regular e exigir o trabalho ético – que exige não apontar dedo e o máximo possível desprovido de preconceitos – nos equipamentos de saúde, que pelo menos os Conselhos de cada categoria fiça isto, por favor?!

    Não vou repetir aqui todas as questões, cintíficas ou não, colocadas e por isto, desgatadas. Mas acho importante defender este que é um dos grandes mitos dos estados modernos ocidentais, e pelo qual pagamos um preços MUITO, MUITO alto: o da liberdade (desde a Revolução Francesa, lembram?). Não cabe ao estado estabelecer ou impor o mais apropriado para vida ou saúde de cada um, cabe, fundamentalmente, oferecer “retaguarda” para estas escolhas. Nós acordamos isto coletivamente quando defendemos o direito inalienável de atonoma para a conduçaõ da própria vida (se não for isto é o que, ditadura, fundametalismo, estado de exceção?).

    E, enquanto profissional de saúde, tbm defendo a idéia de adoção de alternativas mais lúcidas para lidar com a questão, que não pela via comprovadamente falida da repressão. A legalização abriria um espaço importante para pesquisas, estudos e criação de políticas públicas mais consistentes para estruturar a prevenção (é assim que estamos diminuindo o consumo de outras drogas, como o cigarro e, possivelmente logo, logo, a de bebidas alcóolicas tbm, visto que estas últimas ainda possuem lobby e campanhas publicitárias e apelo muito fortes).

    E pessoas, por favor, quem é pueril o bastante para acreditar numa humanidade sem uso de substâncias, quaisquer que sejam?

    Dia cinco de dezembro, em várias capitais brasileiras, é o dia da Marcha. Visibilizar a questão é de extrema importâcia!

    E MARCELO, como faço pra ter seu endereço eletrônico?

    Abraços.

  156. Marcelo disse:

    haaã… Eu, Mônica?
    Tenho mado de postar meu e-mail assim pra td mundo ver…

  157. Marcelo disse:

    Oops é “medo”

    Dá p me achar no orkut:
    Marcelo Vieira
    atlântida, pernambuco, Brasil
    namorando (na foto do meu profile aparecemos eu e minha namorada)
    Frase: “Não há fatos, só interpretações.” Friedrich Wilhelm Nietzsche.

  158. carlos disse:

    Veja como são as coisas. Se aquele deputado bebado que matou dois jovens em um acidente de carro, tivesse cheirado uma carreira de cocaína, não teria causado o acidente. A cocaína por ser estimulante, deixaria o cara mais ligado.

  159. denis rb disse:

    Marcelo,
    Se vc me autorizar, envio seu email para a Monica. (Daqui tenho acesso a todos eles).

  160. Marcelo disse:

    Ah, então pode mandar o meu e-mail pra Mônica sim, por favor.
    Muito obrigado Denis.
    P.s. Cadê o novo post? Que demora!! Volta logo desse feriadão! =)

  161. Artur disse:

    A maconha já é proibida, caso os contrários à legalização não saibam.

    Mesmo assim é muitíssimo fácil de se conseguir um pouco da erva, em qualquer cidade, em qualquer estado.

    A proibição somente gera a ilegalidade, gera custos para o estado que vive guerreando contra as drogas (e assim desviando as verbas para os seus indevidos bolsos), quando deveria tratá-las como se fosse um problema de saúde.

    Os contrários à legalização devem entender que ninguém será obrigado à fumar da erva, e a proibição não impede ninguém de consumi-la.

    E caso não tenham notado, por serem um bando de alienados, escravos da ditadura da televisão, o consumo desta em locais públicos já é cultural, ou vcs nunca foram à praia? nunca foram a um parque? ao estadio de futebol? faculdades? em todos estes lugares há pessoas consumindo maconha NESTE momento.

    Devemos deixar de ser hipócritas, afinal de contas pq tabaco e alcool sao tolerados e a maconha não????

    Tá mais do que na cara que existem grandes políticos lucrando muita grana com a proibição das drogas, só não vê quem é muito alienado.

  162. Luciana Corrêa disse:

    Esse papo é chato….vamos tomar cerveja e conversar de outra coisa….kkkkk

  163. Edirardo disse:

    Achei interessante a abordagem do Denis Russo sobre os trés pós, como sendo um equívoco da ciência, e por isso faço uma ligação em forma de questionamento sobre a legalização da maconha. Sabemos dos diversos males que a ilicitude desta drogra causa na sociedade, mas será se sabemos mensurar os prejuízos de uma legalização, visto o enorme poder que as grandes corporações (caso resolvam comercializá-la) exercem sobre nossos hábitos e vícios? A quem será que realmente interessa a legalização?

  164. Artur disse:

    A proibição da maconha provoca muito mais danos e violência, que o seu uso legalizado jamais poderia fazer.

  165. kikogolf disse:

    Bebida, cigarro, junk food e obesidade, refrigerantes cheios de açúcar ou adoçantes cancerígenos. Carros que poluem, ônibus peidorrentos de óleo diesel cheios de enxofre. A lista vai mais adiante.
    A maconha é a droga mais consumida no mundo e ainda perde para todos estes exemplos anti ecológicos e mortais.
    Legalizar é controlar. Controlar é diminuir os riscos e os danos.
    Melhor fumar um e ficar tranquilo do que beber uma e sair matando!!!

    legalize e organize!

  166. Bia disse:

    Talvez eu esteja um pouco atrasada nessa discussao, mas vamos là! Quero tbm dar minha opiniao em relaçao aos comentarios que li por aqui!

    Eu acho engraçado essas pessoas que sao contra a discriminalizaçao da maconha. Acho que eles pensam que teriam varios maconheiros pelas ruas roubando, matando… afinal, estariam doidoes e sem saber o que fazem. Hahaha!

    Essas pessoas sao as mais ignorantes. Ignorantes no sentido literal da palavra. Com certeza nunca fumaram e, por isso, nao tem muitos argumentos nessa discussao.

    Eu posso estar errada, mas nunca ouvi um caso de alguem que matou uma pessoa por ter fumado maconha. Tbm nunca ouvi que alguem tenha morrido de overdose de maconha. Tbm nunca ouvi dizer que o cancer é causado pelo THC.

    Fuma quem quer, bebe quem quer. Nao é o Estado que tem que decidir isso. Cada um é responsavel por si mesmo até que nao afete a liberdade do outro. E para aqueles que nao sabem, a maconha é encontrada facilmente em qqer lugar, a qqer hora. Nao é por causa da legalizaçao que uns iam passar a fumar. Quem quer, fuma desde jà.

    Voces que se intitulam “caretas” nao é pq nao fumam ou nao aceitam que as pessoas fumem. Careta significa que a mente de voces é completamente fechada. E nao sò para esse assunto. Voces vivem em outra realidade hipòcrita e egoista.

    Eu, mesmo nao fumando maconha, adoraria morar na “Crazyland”. Tenho certeza absoluta que seria um lugar muito melhor para se viver e que eu estaria em contato com pessoas muito melhores.

  167. Estela disse:

    Sou psiquiatra, e atendo, com frequencia cada vez maior, pacientes psicóticos que apresentaram seu primeiro surto desencadeado por drogas. Atenção: NÃO ESTOU AFIRMANDO QUE ESSAS DROGAS CAUSAM PSICOSES, APENAS QUE O CONSUMO DESSAS SUBSTÂNCIAS DESENCADEOU O QUADRO, que talvez fosse eclodir mais tarde, se o paciente não as usasse.
    Quero dizer que, se houvesse alguma chance de um indivíduo permanecer assintomático, o uso de drogas acaba diminuindo muito essa chance. Estatísticas sobre internação psiquiátrica comprovam isso. Por outro lado, o doente mental que passa a consumir drogas apresenta muita dificuldade para controlar seus impulsos e envolver-se num programa de tratamento. Aos incrédulos, sugiro que ouçam as famílias dos doentes.
    Sei que a maioria da população não sofre de doenças mentais tão graves, mas muitos de nós têm pelo menos um parente ou conhecido nessa condição… e, se não tiver, não vai gostar muito se for abordado na rua por um psicótico em surto que fugiu de casa ou algo assim.
    Não estou fechando questão a respeito da legalização ou descriminação, mas acho que há múltiplos aspectos dessa discussão que estão sendo desconsiderados e que é necessária a participação dos profissionais de saúde e da comunidade científica para enriquecer o debate.

    • denis rb disse:

      Estou de pleno acordo contigo, Estela. A questão das psicoses certamente é relevante para o debate. Concordo muitíssimo que a comunidade médica deve estar envolvida na discussão. Mas acho também que ela não pode ter o monopólio dela – nem ela nem o aparelho repressor. A questão das drogas envolve a sociedade inteira, portanto a sociedade inteira deve ser envolvida na busca por soluções. Inclusive os usuários.

  168. José Bueno disse:

    Bem então lá vai,sou usuário a mais de 20 anos,fumo porque gosto,trabalho normalmente,nunca ataquei ninguém,principalmente por ter fumado um,difícil alguém que me conhece suspeitar que faço uso de maconha,sou uma pessoa do bem,me sensibilizo com desigualdades sociais,estudo,tenho boa memória,respeito as pessoas,quando fumo um,me sinto mais relaxado,tranquilo,dou boas risadas,mas o que me incomoda é o risco de ir comprá-la,no geral quem vende tem caráter duvidoso mesmo,é fato,pois quem se arrisca a comercializar tal coisa,costuma não ter boa índole, salvo algumas exceções,corro o risco de ser abordado por polícia e ter minha imagem de pessoa do bem prejudicada,já que estava comprando “droga” o que se pensa é que é mala,vagabundo,não presta,enfim com a legalização poderei adquirir minha erva com mais tranquilidade sem me expor a situações de risco,quem quer cometer qualquer agressão,crimes,o faz porque quer e não porque está sob influência de maconha,mas drogas químicas essas realmente são perigosas,em todos aspectos,principalmente o crack,que destrói a vida de qualquer usuário…

  169. arnaldo disse:

    Esse escritor, jornalista é o melhor, me influenciou muito, e hoje estou prestes a publicar meu primeiro livro, só tenho agradecer ao denis russo.

  170. Eduardo disse:

    Peraí!! Vamos ver a situaçao da civilizaçao brazuca: escolas uma merda; sistema de ensino dos piores do planeta; hospitais dignos de Boris Karloff; segurança somente para os Vagner Love amigos de traficantes; tráfico pelas esquinas; assassinato por um tênis; doenças extintas ainda assolam por aqui; corrupçao de cima a baixo em todos os escaloes do Estado; salários baixíssimos em relaçao a outros países (alguém tem que pagar pela corrupçao!); aposentadoria miserável para a maioria e muito boa para uma curriola; cargos comissionados para a parentada sem mérito e PhDs ganhando uma mixaria; sistema político que eterniza a escória no poder pelo voto obrigatório; bala perdida; crâneos de garotos esfacelados; pessoas assadas em ônibus por assassinos; dinheiro do “superavit” nao aparece nunca; metade do ano é de feriado; carnaval; samba; churrasquinho; futebol…e por aí vai o nosso perfil. No meio disso tudo, morre uma artista por causa do tráfico de drogas (autorizado pelo Estado!) e aparecem estudos e mais estudos (muitos pagos com verbas públicas!) sobre a conveniência ou nao de liberar as drogas. Citam exemplo da Holanda nessa liberaçao, mas nao citam a Holanda como modelo de escolas e etc. Dizem que, se o álcool faz mal e é livre, por que nao liberar a maconha (estranhamente nao se insurgem contra o álcool, mas sim a favor de mais um mal!)? Concluindo: será que nao poderíamos mobilizar essa massa de preocupaçaoes para consertar o óbvio, que está uma merdona, e deixar as amenidades para depois?

  171. Miguel Angelo Moreira disse:

    Em 1989 o Wall Street Journal publicou carta do economista Milton Friedman (Nobel de economia em 1976). Alguns trechos: “A ilegalidade (das drogas) gera lucros obscenos que financiam as táticas assassinas dos barões da droga; leva à corrupção dos agentes da imposição da lei…Tivessem as drogas sido descriminalizadas 17 anos atrás, o crack nunca teria sido inventado…A descriminalização agora é ainda mais urgente que em 1972…O adiamento irá apenas piorar as coisas…O álcool e o tabaco causam muito mais mortes em seus usuários… ”. As ideias Friedman estão mais atuais do que nunca. Corajosa, principalmente em ano eleitoral, a postura do ex-presidente FHC em defender a descriminalização de todas as drogas. Não se trata de banalizar o uso de drogas, mas sim medicalizá-lo, ou seja, reconhecer que se trata de um problema de saúde pública cuja solução talvez seja o fornecimento das drogas pelos agentes de saúde com o acompanhamento clínico do usuário, visando sua reabilitação. Dada a importância do tema, esta discussão deveria estar mais presente na mídia.

  172. Roberto disse:

    O Denis é uma mente extremamente aberta e muito honesto com a realidade.
    Não considero a maconha como entorpecente e se for não esta no nivel do alcool e nem das drogas ditas ‘pesadas’.
    Existe o aspecto economico da ‘canabis sativa’ que vai desde a produção de fibras(tecido), papel e alimento(tofu) que é feito a partir da raiz da planta. Tem um valor agregado muito alto, mas não interessa para certas areas da economia.
    O plantio não requer cuidados especiais e nem adubos produzidos pelas multinacionais, afinal é um simples ‘mato’ que cresce sozinho.
    Fico com a solução apresentada pela inesquecivel BUSSUNDA.
    MACONHA QUANDO NÃO TEM FAZ MAL.

  173. Como disse Márcia, vamos votar aqui, na Califórnia, na próxima eleição que vem em novembro sobre a legalização da maconha. Chegou a hora de acabar a enganação, quase toda pessoa que quer usar a maconha, já foi legalizada pelos propósitos médicos. Apesar de tudo, a pena por possuir até 28 gramas e uma multa máxima de US$100.

    As gigantes empresas farmacêuticas querem que o plebiscito seja derrotado, pois antecipam uma queda dos seus lucros que realizarão no futuro. Quem precisa de morfina quando a maconha e tão disponivel quanto a morfina? Ou a metadona? Isso é o que as forças opostas ao plebiscito tremem.

  174. Memyself disse:

    Jovem mata mãe e irmã em Santa Catarina e diz que era incomodado por fumar maconha

    FLORIANÓPOLIS – Um jovem de 20 anos matou a mãe e a irmã em Lages, na Serra de Santa Catarina, na noite desta quinta-feira. O crime foi no início da noite no edifício Flamboyant, um condomínio de alto padrão no centro da cidade. A menina, que faria 12 anos no próximo dia 30, era portadora da síndrome de down.

    Gustavo Henrique Waltrick fugiu e foi preso pela Polícia Militar após ter batido o carro perto do parque ecológico da BR-116. O acidente foi comunidado à PM pelo vigia de uma empresa que fica às margens da rodovia.

    Gustavo havia chegado à empresa pedindo para que chamasse a polícia, pois havia sofrido um sequestro-relâmpago. Seu carro teria sido batido e abandonado pelo sequestrador a cerca de 12 quilômetros da empresa.

    Quando os oficiais chegaram ao local, encontraram o carro de Gustavo, um Uno, batido em um barranco na BR-116. Dentro do veículo, havia um revólver calibre 32 com uma munição e outras 36 munições soltas.

    A polícia desconfiou da versão de sequestro quando encontrou roupas de Gustavo no carro. O jovem, bastante nervoso, teria tido que o sequestrador as roubou de sua casa, onde também teria matado sua família.

    Os corpos foram encontrados em um quarto do apartamento por volta das 20h.

    Gustavo acabou confessando o crime, garantindo que não agiu de forma premeditada. Para a polícia, ele disse que sua mãe sempre o incomodava por ele ser viciado em maconha. Naquele dia, ele teria usado a droga e resolveu matar a família.

    A equipe que fez a prisão conta que o rapaz falava que queria morrer. O jovem foi encaminhado para a delegacia e o Instituto Geral de Perícias (IGP) realiza perícias no apartamento da família.

    http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2010/04/09/jovem-mata-mae-irma-em-santa-catarina-diz-que-era-incomodado-por-fumar-maconha-916288437.asp

  175. Victor M. R. Speranza disse:

    Nossa, Ciça, suas opiniões seriam muito importantes na revista Ti ti ti!
    Por favor vai, pesquise, analise, conheça e comente sobre um assunto que então, talvez você entenda!

  176. Rasta! jah vive disse:

    ola! meu pensamento eh assim ! consigo ver muitos pros e alguns contras a legalisaçao so sera de bom senso se o plantil tb for legalizado !a industrializaçao da maconha tb me preocupa ,porque como com o tabaco. Farão de tudo pra diferencia seu produto causando assim um grande perigo a sua naturalidade !essa questaun dos empostos,naun consigo intender como seraun cobrados por um produto q brota do xaum ,rarrarararararararara!mais eh isso ai. tomara q o futuro seja bom com aqueles q aman a natureza e o fato de estar com ela ! deus disse : “Buscai a mim no elixir das plantas ! ” e isso me da forças pra luta !!!!!!! jah blees rapazeada ,aqui mais um sobrevivente .queimando nas ruas ! eh nois q ta !!!!! paz e bem !!!!!!!

  177. Li disse:

    Quem quiser fumar vai fumar de todo jeito…então…

  178. José Roberto disse:

    Nossa! com tanto filosofo assim, o Brasil parece mais a Grecia antiga. Que tal legalisar o crack, as nossas tranformarem numa imensa cracolandia (legalisada) sem nenhuma descriminacao! Isso sim é moderno, nao acham? se as pessoas “normais” quiserem circular por elas terao que pagar pedagio….isso mesmo….mais igualdade social e liberdade, né nao?

  179. Marcelo B disse:

    Estava pesquisando um filme e cheguei sem querer até essa página.. li por curiosidade, e percebi o quanto polêmica é essa questão da legalização da maconha, eu tenho muitos amigos que fazem uso constante dessa susbstância, eu já fiz, e não gosto.. só me deu sono isso… A vantagem da LEGALIZAÇÃO é que não vai mais dar dinheiro da marijuana a traficantes, o governo cobrará impostos caros, como o do cigarro, a desvantagem é que se for muito mais caro, continuará a ter os pontos de venda, “ilegal” por valores abaixo do mercado, como acontece com cigarros, que muita gente trás do Paraguai.. agora, sejam as drogas legais (álcool/cigarro) ou ilegais, o perigo está no uso diário e abusivo e consequente dependência física ou psicológica, e isso nada mudará legalizando ou não…. e quem fuma, continuará fumando e quem não gosta não… assim como acontece com o cigarro..

  180. Solano disse:

    pois é moçadinha moderna, o lança perfume era usado nos antigos carnavais para arrepiar as meninas, ..o clorofórmio e o éter eram usados em hospitais, mas aí .. sabe como é, né..?. a turminha da alegria sintética descobriu nas fungadas os grandes efeitos desses voláteis em suas emoções cerebrais tão carentes de sensações artificiais …
    E agora que a cambada descobriu na lixeira as tais propriedades medicinais da canabis, ninguém mais segura o fumo no rabo..!! viraram cientistas e moralistas de plantão, fazendo discurso intelectualizados nas bocas de fumo, apesar da ignorância dos “freqüentes”, vivem agora enfatizando os efeitos terapêuticos e sociais da liberação da erva, .. acham que liberando a erva, os traficas vão ficar todos bonzinhos e serão cidadãos decentes ….
    Mas achei interessante e com muita criatividade essa de colocar a canabis como um uso natural por ser uma erva, muito assim “ecológico” de vossas partes, ..pensava que só os intelectualóides drogados usassem demagogia de boca de porco como apoio para falar de liberdade, de direito, mas pelo jeito até os manos esfumaçados de 2.º grau arrepiam no verbo agora … já vi até alguns comentando que ficam “chapados”, e depois dizem que num faz mal não..(rs..) eita que falta de informação a do povo não-drogado, né gente..? Besteira citar aqui as maluquices da moçada drogada em escolas, colégios, universidades, repúblicas, festas, bares, boites, restaurantes, reuniões, etc..etc…besteira, tudo besteira. Afinal, o alcool e a nicotina é liberado, isso sempre foi uma ótima fonte de argumentação..!!
    Noutra situação até diria que tenho pena dos maconheiros, mas aqui, para os drogados “conscientes” .. quero mesmo é que se entupam dessa bosta, que puxem fumo até queimar os bagos, …drogado internado é prejuízo prá família, mas sua ausência é lucro para a sociedade.
    Essa cambada que puxa, só se bancam de macho pra declarar isso no virtual quando protegidos pelo anonimato, no real também bancam os certinhos se fazendo de santinhos por pura hipocrisia, igualzinho a muitos artistas e “celebridades” por aí que financiam o tráfico e depois se vestem de branco em passeatas distribuindo flor.
    Pura hipocrisia, haja estômago pra agüentar isso …

  181. Rogério disse:

    É brincadeira, um monte de gente fumante de palha querendo legalizar a maconha. Acham que maconha não faz mal e não vicia, o problema é que não sabem o que é maconha. Começa a fumar skunk da Holanda todo dia, fica nessa por meses ou anos e dps para de fumar pra vê só a merda que é a abstinência dessa porcaria. A maconha vendida no Brasil tem em média 2 % de THC, as vezes nem isso (aqui no rio de janeiro fumo prensado geralmente é marrom e estragado por ser mal armazenado e demorar muito pra chegar na mão do consumidor-THC qdo oxida vira CBN e ai fica aquele cheiro de “amônia” horrível e aquela onda morgante com dor de cabeça que todo brasileiro maconheiro conhece bem. Maconha boa dá euforia. Na Holanda a média de THC vai pra 15%. Nos EUA é 10%. Conheci um americano ai q deu 1 tapa só no meu beck e já ficou doido. A galera aqui do Brasil precisa só de meio tapa eheheh. É por isso que tem gente que para de fumar maconha e não sente abstinência forte e outros param e começam a enlouquecer e passar muito mal. Pesquisem no google “marijuana withdrawal” e procurem por comentários de gente reclamando dos sintomas (isso sim é informação real, pessoas reais com experiências reais).
    Os sintomas da abstinência de maconha com alto teor são muitos, basicamente são os mesmos sintomas da abstinêcia de morfina/heroína (calafrios, arrepios, insônia, dor e cãibra no estômago, falta de apetite/perda de peso, nausea, vômito, diarréia, pressão sanguínea alta, sensação de estar com gripe/vírus, dores pelo corpo, sudorese, febre baixa ou apenas sensação de febre e tremedeira. Além disso tem os sintomas mentais e emocionais q são os piores: psicose (muito pensamento psicótico toda hora), transtorno de ansiedade, ataques de panico, depressão e irritação . Visão desfocando tb acontece muito, taquicardia às vezes assim como falta de circulação, pés e mãos gelados e dormentes. Falta de ar tb pode rolar. O que difere muito a abstinência de skunk de outras drogas é que ela não vem de uma vez só. Os sintomas vêm e voltam como bumerangue durante váriasss semanas…dependendo do nível de intoxicação podem ser muitos meses.
    Efim, sou a favor da descriminalização da maconha e totalmente contra a legalização. E tomem cuidado com skunk ou com aqueles prensados verdes ou amarelos tipo skunk…digo isso por experiência própria e espero que o que eu to relatando aqui sirva pra evitar que outros tenham que passar pelo que eu passei e ainda passo.

  182. Marcelo disse:


    Vc viaja hein, Rogério!?

  183. Rener Melo disse:

    Denis, onde a gente pode comprar seu livro?
    Beijos!

  184. denis rb disse:

    Rener,
    O livro está esgotado, mas tenho uma pilha razoavelmente grande no meu armário. Me mande um email (endereço lá em cima) com seus dados e te envio um.
    abs!

  185. Matheus Carvalho disse:

    Não dá pra achar em lugar nenhum?

  186. denis rb disse:

    Dá sim, Matheus,
    Me mande um email (no endereço lá no alto da página, em cima do título do post)

  187. Marcelo disse:

    Vou mandar um e-mail tbm. Quero muito ler este livro. abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: