P.S.

Isso não está escrito na constituição de país nenhum, mas devia estar subentendido para todas as espécies do mundo: nenhuma espécie, animal ou vegetal, tem jurisdição para proibir a existência de outra.

Imagino que as zebras, se pudessem, até gostariam da ideia. “Fica a partir de hoje proibida a existência do leão. Qualquer leão que se aproximar de nossas savanas deve ser imediatamente incinerado.” Sim, eu sei. O leão é mal mau, pelo menos do ponto de vista das zebras. Mas isso não dá à zebra o direito de decretar sua inexistência. Não faz sentido. Não é assim que o mundo funciona. Não dá resultado. Imagino a zebra aos gritos no meio da correria: “você tem que desaparecer, você tem que desaparecer!” Os leões nem se dariam ao trabalho de responder. E ainda que quisessem responder, não poderiam, porque estariam com a boca cheia de saliva. Isso não dá certo nem hoje nem ontem nem no tempo em que os bichos falavam.

Pois então. Não é uma questão de justiça, nem de segurança, nem de saúde pública. É uma questão de jurisdição. O Homo sapiens não tem o direito de proibir a existência da Cannabis sativa.

Acho que com isso encerro a discussão. Não acham? 😉

Anúncios
124 comentários
  1. Felipe Maddu disse:

    Como canta Caê, É proibido proibir!!

  2. Jefferson disse:

    Ah, mas se fosse fácil assim, mosquitos que transmitem doenças podem entrar com recurso pelo extermínio que os humanos fazem com seus produtos variados, ou as bactérias contra as vacinas. Não foi dessa vez amigo 😛

  3. denis rb disse:

    Jefferson, não conheço nenhum mosquito ou bactéria que seja proibido por lei e que renda cadeia a quem portá-lo.

  4. Eliana disse:

    Denis, será que você não conseguiria produzir uma reportagem sobre um tipo de bullying que é muito forte em nossa sociedade mas que ninguem vê, que é a respeito da sexualidade feminina? Da mesma forma que os negros e os homossexuais tem o direito de se ver livres dos ataques e preconceitos, as mulheres também tem esse direito, talvez até mais, pois somos mais indefesas, somos taxadas de prostitutas, vadias, etc, se um homem se encosta em um homem é gay e ninguem fala nada, mas se for uma mulher…. coitada, a mulher até hoje é muito reprimida e discriminada, por homens e por mulheres.Por que a sexualidade feminina causa tanto medo? Até a relaçao heterossexual sofre preconceito, mais que dos homossexuais…

  5. Eliana disse:

    Eu por exemplo,sempre fui muito bonita e sensual, e os homens sempre me rodearam, e eu fui taxada de tudo, agora que me soltei mais, eu tinha medo até de conversar com os homens para não ter má fama.O pior é que apesar da má fama eu nunca nem cheguei a beijar nenhum dos meus admiradores, era biscate só por ser bonita e atraente… Odeio quando vejo alguem chamar alguma mulher de algum nome. Deveria até haver uma lei proibindo isso. Depois chamam as mulheres de frias ou de sapatão,também do jeito que somos maltratadas por nossa sexualidade…

  6. denis rb disse:

    Eliana,
    Preconceitos são todos ruins.
    Nós, homens feios, também sofremos muito.
    😉

  7. Fernando disse:

    sem liberar experimentei e dela parti para outras drogas sou depentente quimico por 35 anos libere a educaçao primeiro obs graças a um programa de recuperaçao estou limpo a 11 anos e 10 meses mas e so por hoje libere e aguente as conseguencias fica caro para o preço pago pela liberaçao de algo ja liberado

  8. Pedro Borges disse:

    Eu acho interessante o racioncício mas não acho que seja por aí que justificamos os nossos direitos. Ninguem disse que a canabis “não pode existir”. E mesmo que isso tivesse sido dito, não mudaria sua existência e permanência na natureza. O que está em questão é a presença dela na nossa cultura. A partir do momento em que vivemos em sociedade aceitamos compulsóriamente as leis e a constituição que nos regem. Lei do mais forte ou lei do mais fraco? pouco importa. O fato é que as leis e a maioria da sociedade enxergam as drogas e seus usuários como um pacote só, monolítico e desprezível. Algumas indústrias conseguiram que as leis hipócritamente rotulem a cannabis sativa de droga e cigarro, ritalina e cerva tá tudo bem (desce redondo!).

    O pior é que nenhum governo tem a coragem de justificar para a sua sociedade o motivo da criminalização da substância, pois não existe estudo científico sério que justifique o dinheiro publico empregado no suposto “combate às drogas”. Se os critérios fossem objetivos, os numeros estonteantes do cigarro e do álcool (em termos de dano à sociedade e custo público) apontariam para uma inversão de pesos.

    A proíbição da maconha foi inventada pelos Estados Unidos e após vários troca-troca entre republicanos e democratas continuamos no ponto em que eles estávam no começo do século: é coisa de preto, de latino, em suma, de vagabundo. E tem outra falácia: “a maconha é uma porta de entrada para as outras drogas” …. hummm claro… então vamos proibir o caldo de cana, que é porta de entrada para a cachaça, vamos proibir o café também que é porta de entrada para a anfetamina.

    Sendo uma planta com inumeras aplicações (medicina, combustivel, papel, texteis) ela ofende a muitas indústrias e nem Obama, que apesar de parecer esclarecido e honesto, nãotem a coragem de atacar essa questão. No Brasil, quem pensa as leis sobre as drogas parece não saber como elas funcionam no organismo e preferem se ater a “princípios” (muito questionáveis) de “não podemos deixar a juventude imergir nesse mundo horrível e imoral”. É o modo dogmático e acéfalo de fazer as coisas. Pois bem, a maconha é inofensiva. Quer controlar a proliferação do crack? faça políticas para isso, mas pare de gastar orçamento de segurança publica prender skatista de 14 anos cujo unico risco que apresenta à sociedade é comer muito chocolate e viajar ouvindo musica.

    Pois bem, eu sou maconheiro mesmo! e se não existisse proibição, poderia fumar algo muito mais saudável que eu mesmo plantaria e sem ter que dar dinheiro para o trafica. O que eu faço no meu meu tempo livre, na privacidade da minha casa, não me impede de ser um bom cidadão. Desprezo a cena daquele filme “tropa de elite” onde o protagonista estapeia uma rapaz responsabilizando-o pela morte do colega.

    por fim, discordo das pessoas que usam o próprio exemplo para justificar a proibição (eu duvido até da veracidade dos termos) não existe morte por overdose de erva. Se você ficou fumando, fumando, fumando e esqueceu do mundo, da sua família e do seu trabalho, é pq vc é um alienado preguiçoso. E para isso vc não precisa de substância específica para se realizar, poderia ter sido com yakult de hora em hora.

  9. denis rb disse:

    Pedro Borges, isso está dito sim, pela lei de vários países. Não se proibiu apenas o consumo, o porte ou a venda da maconha, proibiu-se a existência da planta. Se um pé de canabis crescer selvagem na beira de alguma estrada na maior parte do mundo, é obrigação do Estado destruí-lo. Ainda que seja uma planta nativa. O homem cassou o direito à existência de uma espécie (obviamente sem sucesso. Na verdade me parece que essa planta espalhou-se ainda mais pelo mundo após a proibição. Hoje cresce até dentro de armário. Adaptou-se, diria Darwin).

  10. Marcelo disse:

    Incontestável.
    A Canabis não só tem o direito de existir como os seres humanos, na minha opinião, têm o dever de estudá-la e explorar o seu imenso potencial.

  11. Nayara disse:

    Quando se discute a legalização ou não da maconha, o ponto principal a ser considerado não é o fato dela existir, pois não podemos proibir a existência de outra espécie,e sim o fato dela causar dependência .É ingenuidade achar que ao legalizar a maconha o seu uso irá diminuir,o certo é aumentar as leis de fiscalização para tornar inviável o tráfico de drogas.

  12. Andrey Rodrigues disse:

    A Cannabis pode existir. No sentido literal. Deixem ela lá no mato…sem queimá-la.

    Eu moro e ensino capoeira no bairro da Terra-Firme, o mais violento de Belém. E lá junto à crianças que sofrem com o tráfico, prostituição e toda porcaria do mundo moderno convivemos com “universitários-do-bem-querendo-ajudar”. Eles adoram se misturar… e se misturam tanto que ficam íntimos das bocas das redondezas. Os filhinhos de papai que alimentam o tráfico e a vagabundagem insistem nesse tema de legalização. Branquelos de dread, admiradores do reggae e da vida paz e amor pregam que a porra da erva é santa, milagrosa e não faz tão mal à saúde (se comparada ao cigarro, chumbinho ou a cicuta). Encontram milhares de argumentos para unicamente manterem o seu próprio prazer de fumar.

    Como diria o capitão nascimento: ” Quanto gente ainda deve morrer só para o playboyzinho enrolar seu baseado”.

  13. Canibal saliva disse:

    Encerrou com chave de ouro, é parente do Toffoli?

  14. Canibal saliva disse:

    A Abril poderia vender revistas de canabis, assim depois de ler ficariam doidões.

  15. Marcelo disse:

    ”Quanto gente ainda deve morrer só para o playboyzinho enrolar seu baseado”

    Andrey Rodrigues, eu concordo plenamente. Por quê permitir que morra tanta gente devido à REPRESSÃO contra a maconha quando TODA a sociedade poderia ganhar com a legalização?

    A “porra” da erva não faz mais mal à saúde nem causa tantas mortes quanto o álcool e nem por isso vc, que provavelmente toma a sua cervejinha de vez em quando, precisa comprar de um traficante que põe armas nas mãos de criançãs só pq moralistas imbecis e preconceituosos proíbem.

    Legalizar a maconha geraria milhões de empregos LEGAIS não só com a produção e a venda mais com o aumento substancial do turismo, diminuiria o poder do crime organizado retirando sua maior fonte de receitas, faria o o estado lucrar com a cobrança de impostos que poderiam ser revertidos para o ministério da saúde tratar por exemplo dos alcólatras, o pior tipo de dependente químico, o que fica violento, causa acidentes de trânsito e é o grupo de viciados mais numeroso em qualquer país.

    Sem sombra de dúvida a proibição da maconha gera infinitamente mais prejuízos à TODA a sociedade do que a sua liberação. Na verdade com a legalização a sociedade só tem a ganhar.

  16. Marcelo disse:

    Se vc encontra argumento para manter a legalidade do alcool que, segundo dados do ministério da educação, causa 22,5 vezes mais mortes do que TODAS as drogas ilícitas somadas eu tenho um argumento incontestável para continuar fumando a minha erva:

    A vida é minha e eu faço o que quero com ela. Vá cuidar da sua vida seu hipócrita!

  17. aldo disse:

    leiam essa entrevista da ISTOÉ/GENTE com o Dr. Dartiu Xavier da Silveira , um exemplo que todos ainda devem lembrar …

    http://www.terra.com.br/istoegente/140/entrevista/index.htm

    Dr.Prof Dartiu Xavier da Silveira Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (1978), mestrado em Psiquiatria e Psicologia Médica pela Universidade Federal de São Paulo (1991) e doutorado em Psiquiatria e Psicologia Médica pela Universidade Federal de São Paulo (1997). Atualmente é professor livre-docente da Universidade Federal de São Paulo, consultor do Ministério da Saúde, professor-orientador do grupo Cochrane do Brasil, membro da American Psychiatry Association, da International Association for Analytical Psychology e da Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica, além de pesquisador-colaborador da University of California (UCLA). Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Psiquiatria e Neurociências, atuando principalmente nos seguintes temas: dependência de álcool e drogas, transtornos do controle dos impulsos, comorbidades psiquiátricas, adaptação e validação de instrumentos diagnósticos em psiquiatria, neuropsiquiatria, revisão sistemática e metanálise.

  18. Joabe S. Arruda disse:

    Coitado do Aedes aegypti, então.

  19. Carlos ivan disse:

    A minha opinião como alcoolátra e dependente de tranquilizantes é de liberarem a maconha, uma droga a mais ou a menos não vai fazer difrença…

  20. Vivian disse:

    No mérito, concordo com vc.
    mas “mal” tá errado : mal>bem e mau>bom

  21. Carol disse:

    Eu acho!!! Eu acho que vc fuma um que nem eu!!! rs

    Espero também que não venham me perturbar ou me prender quando eu quiser fazer naturismo numa praia deserta, aonde chegarei com minha bike 😀

    ps: e pra vc ser feio, falta muito! bisou 😉

  22. Felipe Maddu disse:

    Denis, vc deveria falar também das drogas legais-que vendem em farmácia e que precisam ou não de receita-e que nos US o povo sempre se viciou, exemplo disso são os Quaaludes que estão ligados à morte de vários artistas americanos ao longo da história. Aqui vai uma listinha de artistas que morreram, porque exageraram na dose de medicamentos:
    Marilyn Monroe, Dorothy Dandridge, Jimi Hendrix, Bruce Lee, Prinze Freddie, Elvis Presley, Keith Moon,Abbie Hoffman, Steve Clark, Margaux Hemingway, Rob Pilatus, Dana Plato, Ol ‘Dirty Bastard, Chris Penn, Gerald Levert, Anna Nicole Smith, Pimp C, Heath Ledger e por último MICHAEL JACKSON.
    Algo que contribui pra a erva continua ilegal é influência da indústria farmacêutica, uma das mais podres de rica e de caráter.

  23. denis rb disse:

    Vivian,

    Eu sei, claro. Coloquei errado para testar vocês…

    😉

    Obrigado!

  24. Vivaldi disse:

    E isto de que maconha vicia é bobagem. Conheço um pessoal que fuma diariamente há trinta anos e nunca se viciaram! 😉

    Mas realmente condenar uma espécie vegetal ao extermínio é um absurdo, quanto mais por parte do Estado.

    A regulamentação é o melhor caminho para qualquer coisa na sociedade. As armas, os produtos químicos, tudo o que provoca dano é regulamentado para a melhor segurança de todos. Qualquer proibição radical gera tráfico e mercado negro, isto é óbvio.

    Nada a ver com apologia da droga mas o reconhecimento de uma necessidade social.

  25. Eugenio Silva Filhol disse:

    Sr. Denis Russo Burgierman
    Partindo do seu ponto de vista, não é justo tambem prender o traficante, porque ele tambem tem o direito de existir, ou prender o homicida, porque ele quiz matar e ninguem tem o direito de impedir a sua (his) vontade. É muito facil voce querer a legalização da maconha, entretanto a maconha é o inicio do processo de viciação de pobres jovens pobres, que dai em diante irão ao crack. Dai o filho de 19 anos de uma mãe solteira entra em casa, bate na mãe, pega todo o dinheiro dela, vende o liquidificador e a televisão para pagar mais droga. A mãe trabalha como domestica ou professora e já foi abandonada por algum outro bandido que era seu marido, porem ela como mulher digna, trabalha para pagar o vicio do filho, e sofre. Ninguem a ajuda, porem todos a criticam. Depois de algum tempo , o filho já desapareceu por uns dias ela é chamada ao IML para reconhecer o corpo, assassinado porque o filho já havia espoliado tudo que ela mal possuia. E voce me vem com esta historia de zebra e de leão. Acorde rapaz, vai pesquisar o mundo, amadureça, não propague o uso de drogas. Elas matam com crueldade, coisa que o leão não faz. Porque é da natureza do leão matar para comer, mas não é da natureza do homem usar drogas. Se ele as usa é porque talvez existam mais pessoas como voce, do que leoes na Africa. Saudações.

  26. Lourival Costa disse:

    O paralelo estabelecido em seu raciocínio não é aplicável à questão. A existência ou não de qualquer planta ou substância dessa natureza, não quer dizer que tenha que ser eliiminada para conter seu uso, há que ser considerado o malefício que acarreta ao ser humano seu uso contínuo ou de qualquer outra substância entorpecente. Há que ser avaliado também, o custo gerado para a saúde pública no quesito: tratamento de dependente químico, seja de droga ilegal ou legal. Portanto, a apologia de uso de maconha ou qualquer outra droga não deve se dar de forma tão simplista e desarrazoada.

  27. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Se entedí direito, quando você disse: “O Homo sapiens não tem o direito de proibir a existência da Cannabis sativa.”, metaforicamente falou que não se deve coibir o uso da maconha. Estou certo ?

    Na hipotese que meu raciocínio esteja certo, seguindo essa sua premissa seria correto o mesmo proceddimento para o uso de heroina, cocaina, anfetaminas, crack, cristal, praticas de furto, roubo, assassinato, pedofilia, estupro…, resumindo revogam-se as leis ao contrário e vivamos tal e qual julgarmos melhor, extinguindo-se a sociedade e institucionalizando a individualidade.

    Me diga como se fazer isso, se é sabido que o ser humano não vive se não em sociedade, e quando sociedade há de se ter regras para a boa convivência ?

    Complicado o negócio. “Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”.

    Ah ! em falar em bicho, a zebra faz parte da cadeia alimentar do reino animal, não é carnivora (que ironia) é herbívora, obviamente sob seus protestos, afinal que direito ela tem de exterminar uma espécie, mas mesmo contra suas consideraçõs, não consome a plantinha cannabis sativa.

  28. Celso disse:

    Polêmica antiga.

    Veja as páginas amarelas de

    VEJA de 20/12/1995

  29. Geraldo disse:

    Se legalizarem e baratearem o uso das drogas, os droguentos vão se sentir infelizes. O grande prazer deles é dar mansão, carrão, iates, armas e mulheres lindas para os traficantes. Acabando com isso, o que vai ser deles?!

  30. Gilberto disse:

    Tem gente que fuma maconha ” 30 anos” e não é viciado…rsrsrsrs. Materia sem sentido, simplesmente apologia a maconha, que é a porta de outros vicios.

  31. Ludwig Kayaman disse:

    Denis, parabéns, mais uma vez, pelas postagens tão polêmicas e argutas. Desde 2002, em sua reportagem para a Super, que incorporei esse argumento “de espécie”, que é tão simples de entender. Mas o ser humano é essa m… mesmo, acredita que é o mais importante deste planeta, sendo apenas parte dele, e importante não pela sapiência, mas pelo poder de destruição, que deve ser detido. Precisamos, sim, discutir sobre a cannabis e destruir sofismas como aquele do personagem Capitão Nascimento, que muitos citaram acima. Quase todos os maconhistas (fumantes profissionais da erva) gostariam de comprá-la em locais apropriados, pagando imposto ou que quer que seja. Aí no Sul sei que predomina essa visão “nascimentista” porque realmente o tráfico aí é pesado, mas, aqui no Nordeste nem tanto. Apesar das mortes, das gangues, das franquias com os traficantes do Sul, nós temos uma cultura mais caseira do uso da erva. Eu não me sinto “patrocinando” o tráfico quando vou adquirir minha erva. Compro de um trabalhador, pois o conheço muito e sei que ele não é bandido. Mas, claro, que gostaria de fazer isso sem a adrenalina de poder ser preso a qualquer momento por uma ação tão capitalista quanto essa. De fato, se pudéssemos ter uma planta que fosse em casa, isso já seria uma pesada e tanto no comércio da erva pelos “traficantes pesados”. E, se for para citar algum personagem, fico com Cassange, um escravo africano, do livro “Ataliba, O Vaqueiro”, do piauiense Francisco Gil Castelo Branco, publicado no Diário de Notícias do Rio de Janeiro, em 1878, o qual deve ser, certamente, o primeiro personagem que faz uso dessa erva na literatura brasileira e que, ao fazê-lo, sempre está em momentos de descanso, de paz, pitando em seu cachimbo sua “diamba” africana. Essa paz eu quero!

  32. V_ disse:

    Olá! Eu sou de argentina (peco desculpas por o meu portugues!). Aquí “despenalizaron” (já no é proibido), o uso pessoal…um dos juízes pro-legalizacao do uso disse que “até uma planta está bem” e que isso “acabaria com o tráfico”…da para pensar…eu estou de acordo con que nao a proibam… eu nao uso, mas sei que o negócio acabaria se todos teriam sua planta na casa…

  33. denis rb disse:

    Andei deletando uns comentários ofensivos.
    Vcs podiam me poupar esse trabalho (e poupar a vcs mesmos de passar um tempão escrevendo para ninguém ler) e seguir as regras:
    1. Não vale ofender ninguém.
    2. Não vale comportamento criminoso (apologia do crime, calúnia, difamação, injúria, preconceito etc.)
    São só duas, gente. Não é tão difícil gravar. Mesmo que vc tenha a memória de curto prazo um pouco prejudicada 🙂

  34. Francisco disse:

    Em Curitiba sábado passado dia 3 de out., oito pessoas inocentes foram chacinadas por traficantes
    nas ruas do seu bairro. A chacina ocorreu porque os traficantes queriam ”vingar” o assassinato de um dos seus colegas realizado por uma quadrilha concorrente. Entre as vítimas uma mulher de 28 anos e seu bebê de 5 meses. Todas essas mortes e todas as milhares que já ocorreram e ainda as que vão ocorrer, poderiam ser evitadas se as ”drogas” fossem liberadas. O marcelo dia 2 de out. 1:32 falou muito do que eu gostaria de falar sobre o assunto. Mas não podemos confundir o assunto droga com mazelas sociais como a pobreza, falta de estudo e saneamento básico etc. Pois se o Brasil tem dinheiro para copa do mundo e olimpíadas, por que então não há dinheiro para resolver a falta de escolas, universidades,hospitais, redes de esgotos etc??????????

  35. Zenobio - Santos/SP disse:

    Denis,

    Salutar sua atitude em deletar comentários ofensivos.
    E até agradeço seus comentários e vou procurar ajuda médica, pois minha memória de curto prazo com certeza está prejudicada. Não me lembro de ler tais regras antes da sua postagem de hoje.
    Sem ofensa, por favor, faça o mesmo, levei um tempão respondendo uma ofensa recebida e obvio que ninguém vai ler, enquando o comentário ofensivo a mim foi lido por muitos pois ficou no forum um tempão e você só agiu após o envio de meu comentário.
    Não considere isso uma provocação, somente ainda acredito na democracia, liberdade de expressão e abomino a censura.
    Agora e somente agora acho queficou bem claro as regras.

  36. denis rb disse:

    Zenobio,
    Explico:
    Não deletei imediatamente o comentário que ofendeu você porque julguei que ele era aceitável. Dizia-se lá que tal coisa é ideia “de imbecil”. Como a ofensa não era direta, não se estava atribuindo a imbecilidade a uma pessoa específica, achei que dava para deixar. Mas aí veio você com “imbecil é você” e achei melhor tirar as duas, para evitar polêmicas e acusações de favorecimento.

    As regras realmente deveriam estar claras aqui nessa página. Vou providenciar.

  37. Zenobio - Santos/SP disse:

    Noto que é norma em todos os debates em que se trata da liberalização da maconha a comparação entre as drogas ditas lícitas e ilícitas.

    Faz sentido a comparação, mas também noto que os usuários de drogas pendem para o lado que lhes convém, ou seja, se a bebida alcoólica e o tabaco são liberados, por que a maconha – por exemplo – não pode ser ? Não seria o mais correto, não que eu seja o dono da razão, o pensamento contrário: Se as drogas são proibidas e a bebida alcoólica e o tabaco são drogas não deveriam ser proibidos ? Pelo menos seria um pensamento mais saudável.

    Sem entrar no mérito das implicações entre a liberações e as proibições, por serem polêmicas e controversas, droga é droga e mata, seja qual for a forma de uso, social, recreativa, aguda ou crônica.

    O usuário é um fomentador crucial para o tráfico, porque o que gera a demanda é a procura. Não importa se foi comprada diretamente do ponto de tráfico ou de um amigo que vende autonomamente, de qualquer maneira está alimentando os grandes traficantes, porque atras de um pequeno “avião” existe uma estrutura “empesarial” muito bem organizada, ou somos tão ingenuo a ponto de achar que o pobre vendedor processou o produto artesanalmente em sua garagem só ganhar uns trocados ?

    O consumo da maconha é corrente e escacarado, o usuário não é considerado criminoso (o traficante sim) e sim um doente conforme a Organização Mundial da Saúde – OMC, existindo inclusive um Código Internacional da Doença – CDI. Então porque tanta celeuma ? As vezes me parece que na verdade a intenção dos defensores é salvaguardar sua reputação, já que uma vêz liberalizada ele não seria vulgarmente rotulado de maconheiro, mas não esqueçamos que estamos no Brasil e até que esse conceito entre no sangue, após legalizada, se a for, irá demorar muito tempo para que o usuário da maconha não seja chamado de maconheiro pejorativamente.

    Finalizando, sou contra as drogas lícitas e ilícitas, pois conheço o problema de perto. Nenhuma delas tem um índice aceitável de uso seguro, comprovado cientificamente.

    Os que insistem que a maconha não faz mal e que nunca foi comprovado nada sobre seus malefícios, denonam uma caracteristica típica do dependente químico, a NEGAÇÃO. Procurem informarem-se a respeito.

    Quanto outras utilizações da cannabis sativa, na medicina, sua resina, cânhamo…, são outros quinhentos.

  38. denis rb disse:

    Zenóbio,
    Desculpe, mas há uma quantidade bastante grande de informações no seu comentário que simplesmente não estão corretas. Veja só:
    – “Droga é droga e mata, seja qual for a forma de uso” – isso não é verdade, não tem nenhuma sustentação nos fatos, nas pesquisas, é um preconceito de fundo religioso. A forma de uso na realidade faz toda a diferença. O mesmo vinho que causa mortes no trânsito, se consumido em doses pequenas todos os dias prolonga a vida e combate doenças cardíacas. Da mesma forma, a maconha tem comprovados usos terapêuticos. Repetindo mais uma vez: jamais foi documentada uma morte causada pelo uso de maconha.
    – “O usuário de maconha não é considerado um criminoso” – claro que é. Na maioria dos países do mundo, inclusive o Brasil, é (embora se evite penas de supressão de liberdade para réus primários). Há exceções – Argentina e México entre elas, mas mesmo a Holanda ainda criminaliza o usuário, a não ser os que consomem nos koffeshops.
    – “Nenhuma delas tem um índice aceitável de uso seguro, comprovado cientificamente” – não tenho ideia de onde você tirou essa constatação “científica”.

  39. Marcelo disse:

    Ei Dennis vc deletou um comentário meu que não tinha comportamento criminoso nem ofensas a ninguem… pelo menos eu acho que não…

  40. Zenobio - Santos/SP disse:

    Denis,

    Realmente, nada mais tenho a comentar, só a lamentar.
    O pior cego é aquele que não quer enxergar.
    Quando você nem pensava em nascer eu já estava envolvido com drogas, sou adicto em recuperação há anos, tenho 54 anos e vivi os anos da revolução dos costumes “sexo, drogas e rock-and-roll”, conheço mais de drogas e drogados do que sua filosofia pode imaginar.
    Ví e vivi os horrores das drogas, posso narrar fatos e tenho um arsenal de material científico com provas cabais dos malefícios das drogas. Posso falar porque ví, vivi e vejo ainda, não foi de ouvir falar.
    Nunca ninguém soube de alguém que morreu por fumar maconha, não se conheçe nenhum caso de overdose de maconha, se é isso que você quer dizer, mas quantas estão esquisofrenicas, com doenças hapáticas graves, enfartaram, tiveram AVC, foram a óbito por doenças desencadeadas pelo uso da maconha ? Lógico que o médico vai atestar o óbito pela doença que a matou e o historico, o que originou a doença ? Quem quer saber ?
    Hoje trabalho informalmente com dependentes químicos e posso te mandar em “off” (tenho seu e-mail) materiais, links, depoimentos, literaturas técnicas, caracteristicas psicologicas tipicas do dependente sempre dissimulando, contatos em clinicas psiquiatricas e de recuperação de dependentes químicos, onde você poderá comprovar “in loco” os fatos e como você sabe tem aquele velho jargão “contra fatos não há argumentos” em troca você me manda material, etc. que provem que a maconha não faz mal.
    Quanto ao uso terapeutico (neste caso desnecessário, mas vou citar, tem acompanhamento médico), veja no final do meu comentário o que eu disse. Portanto não sei onde errei neste quesito.
    Ainda sobre terapia, se usada como mencionado no paragrafo anterior, já está respondida, mas acho que o debate não é esse, então se igualaria a chamada automedicação (outro velho jargão: “entre o remédio e o veneno a diferença está na dosagem”).
    Para terminar, primeiramente peço para não deletar este comentário pois tomei o cuidado de não lhe ofender sem fugir da minha verdade e ainda assim porque não é pessoal é para os que comungam a mesma opinião que a sua. Em segundo, no Brasil, consumidor de maconha não é considerado perante a lei (está no código penal) criminoso e sim contraventor.

  41. denis rb disse:

    Zenobio,
    A Lei 11.343, de 23/8/2006, institui o sistema nacional de políticas públicas sobre drogas. No capítulo III, intitulado “Dos Crimes e das Penas”, define-se que:
    “Quem adquirir, guardar, tiver em depósito, transportar ou trouxer consigo, para consumo pessoal, drogas sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar será submetido às seguintes penas:
    I – advertência sobre os efeitos das drogas;
    II – prestação de serviços à comunidade;
    III – medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo.”
    Ou seja, portar maconha é sim crime, não é contravenção, como está claro no nome do capítulo. Veja a íntegra da lei aqui: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11343.htm
    Quanto a sua afirmações: maconha pode sim ser um disparador de esquizofrenia. Jamais li pesquisa séria nenhuma relacionando o uso de maconha aos outros males que você cita. Como li vários estudos longitudinais e pesquisas que colocam estudos em contexto, minha sensação é que você está especulando.
    Você pede bibliografia sobre o que afirmo. Volto a indicar o livro The Science of Marijuana, de Leslie L. Iversen. Este livro ajudou a informar a política antiproibicionista do Reino Unido.
    Quanto a deletar sua mensagem: fique tranquilo. Se você não ofender ninguém, pode argumentar sobre qualquer opinião (chamar outro leitor de imbecil configura ofensa).

  42. denis rb disse:

    Zanobio,
    É óbvio que esquizofrenia não é café pequeno. Por favor pare de colocar palavras na minha boca. Pacientemente, repito mais uma vez: maconha faz mal à saúde. Não estou discutindo isso. Não estou aqui defendendo a maconha. Mas tenho que corrigir quando alguém escreve dados especulativos ou desinformativos.

  43. Zenobio - Santos/SP disse:
  44. Marcelo disse:

    Quanta bobagem…

    Quem falou em descriminalizar todos os crimes?

    Parece argumento de um certo blogueiro deste site que é capaz dos mais delirantes raciocínios.
    Então legalizar a maconha, para que usuários não sofram violência policial ou precisem se envolver com criminosos de verdade enquanto compram ou consomem uma substancia muito menos nociva que o alcool e que nunca teve nenhuma só morte comprovada (diferente do alcool, que mata não só que bebe mas inocentes no trânsito todos os dias) é a mesma coisa que legalizar o homicídio, o estupro, a pedofilia… É um argumento tão sem sentido, que nem merce resposta.

    Mas vou dá-la assim mesmo: crimes contra outras pessoas ou contra o seu patrimonio como homicídio, estupro, pedofilia, assalto, roubo… não podem ser colocados no mesmo saco das ações que só prejudicam a própria pessoa que a pratica.

    Alguém que prejudica outrem deve ser afastado do convívio social, pagar pelo mal que fez à outra pessoa e (num mundo ideal) ser reeducada para não repetir este comportamento quando cumprir sua pena. Não há razão em prender alguém que tem um comportamento auto-destrutivo pois além de não representar ameaça às outras pessoas a cadeia não o fará deixar de ser auto-destrutivo, no máximo o estado tem o dever de tentar por meio de ações educativas (nunca repressivas ou violentas) tentar faze-lo mudar de comportamento.

    Acho que agora meu comentário passa no teste de qualidade né Denis?. Foi mal, vou tentar ser menos agressivo daqui pra frente… = )

  45. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Denis,

    Endendo sua posição, então vão mais alguns materiais que relatam doenças (por mim citadas) associadas a maconha, para sua analise se são especulativos ou não (importante frisar que as matérias não são de minha autoria, confirme as respectivas fontes).

    É a segunda vêz que estou mandando este comentário, não o delete a tres por quatro, pelo menos de uma satisfação para o ato, o leitor merece respeito. Censurar por censurar algo que tem muito a respeito do que se está falando é autoritarismo.

    http://www.antidrogas.com.br/abc.php
    http://www.medcenter.com/Medscape/OtherProfessional/content.aspx?id=4837
    http://www.terra.com.br/istoe/edicoes/2069/nao-sou-ex-drogado-sou-vencedor-apos-17-anos-o-ator-143424-1.htm
    http://boasaude.uol.com.br/news/index.cfm?news_id=5212&mode=browse
    http://boasaude.uol.com.br/news/index.cfm?news_id=5617&mode=browse
    http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1125926-5603,00-USO+REGULAR+DE+MACONHA+PODE+AUMENTAR+RISCO+DE+SURGIMENTO+DE+PSICOSES.html
    http://boasaude.uol.com.br/news/index.cfm?news_id=5700&mode=browse
    http://boasaude.uol.com.br/news/index.cfm?news_id=6189&mode=browse
    http://noticias.uol.com.br/bbc/2006/02/01/ult2363u5696.jhtm
    http://boasaude.uol.com.br/news/index.cfm?news_id=5272&mode=browse
    http://boasaude.uol.com.br/lib/showdoc.cfm?LibCatID=-1&Search=maconha&LibDocID=2765
    http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL467910-5603,00-MACONHA+ELEVARIA+RISCO+DE+ATAQUE+CARDIACO+REVELA+ESTUDO.html

  46. Luiz disse:

    Zenóbio, na minha humilde opnião você esta distrocendos os fatos…que faz mal, todo mundo sabe, alias nada nessa vida é 100 % positivo….Eu li o livro do Denis e no meu entender o que ele quis dizer é que precisamos de novas politica contra as drogas, ja que as atuais se mostraram ineficientes..A maconha precisa ser tratada como um problema de saude publica e nao de segurança…Voce postou varios links dos maleficios da maconha ,mas onde estao os dos beneficios que ela pode proprocionar?
    No meu ponto de vista, os beneficios que a maconha e a discriminilização do usuario podem trazer, superam os maleficios facilmente. Tanto em termos economicos, como de saude e principalmente de segurança. Acho que voce deveria começar a pesquisar um pouco mais sobre os benefecios dessa PLANTA. Cabe a voce “pesar” a balança.
    Existem dois lados. Disso todos sabem. É preciso mudar, tentar, inovar. Ja passou da hora.

  47. Tiê Passos disse:

    Como esses assuntos causam polêmica, tem gente que é a favor de proibir tudo que possa alterar a consciência “padrão”, O humano tem várias substâncias que alteram a percepção, e não é à toa. Quem não gosta quer radica-la, Proibam o bacon ! faz muito mais mal !!! Cortem as arvores de amarula pois deixam os elefantes e macacos bebados.. há
    Pra mim, não importa todos esses comentários contra a legalização, acho rídiculo essa atitude, só não legalizam porque os corruptos ganham com isso, quem não quer fumar não fume ! Só deixem eu plantar meu pézinho em paz, não quero dar dinheiro a traficante, não quero fumar o que não conheço a procedência. País evoluido é país que legaliza a maconha ! Vamo para com essa babaquice imposta por um americano interessado no dinheiro !!! acordem !
    Humano se acha demais, acha que pode proibir uma planta. Proibam o uso de armas de fogo.. muito mais útil e benéfico para a sociedade.

  48. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Srs. Luiz e Tiê Passos,

    Por favor leiam meu comentário de outubro 5, 2009 às 4:31 pm, e encontrarão as respostas. Desnecessário repeti-las.

    Sr. Tiê Passos,

    Quanto a plantar, mesmo prá consumo próprio é complicado, porque neste caso é considerado crime mesmo.

    Desculpe minha ignorância, que aliás é patente neste assunto, diga se entendí bem:
    – Você quer semear, regar, podar, etc. seu pezinho de cannabis, esperar ele crescer, colher, secar, selecionar as melhores folhas, moer, para então fumar, depois reiniciar o processo e esperar um tempão enorme (é, porque deve ter a safra e a entressafra) prá fumar de novo ? Se meu pensamento estiver correto, mesmo na minha ignorância arrisco dizer que é indiscutível que você nunca podera vir a ser um dependente químico. Jamais Porque equivaleria tomar uma cervejinha ou 10 mg. de um remédio hipnótico qualquer, entre duas a tres vezes ao ano. Acho até que os entendidos do assunto chamariam de terapia.

    Grato

  49. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Em tempo: Leiam também o comentário de outubro 5, 2009 às 6:41 pm.

  50. Luiz disse:

    Denis, favor não aceitar meu comentario..coloquei os links de maneira incorreta..logo estarei arrumando.

  51. Luiz disse:

    Zenóbio, no platio indoor é possivel fazer com que a planta produza flores na época que você quiser…você pode ter uma estufa separada por partes…por exemplo, uma para vegetação(período em que a planta cresce, mas não produz) e outra para floração(periodo em que ela ira produzir as flores)…com isso voce pode ter planta com diversas “idades”, produzindo flores quando você quiser..alem disso é possivel armazenar o fumo até a proxima colheita.

    Se estiver com disposiçao segue abaixo algumas matérias sobre o assunto.

    Many uses:
    http://abovetheignorance.org/index.html

    Lots of information:
    http://www.druglibrary.org/schaffer/Library/effects.htm
    http://www.druglibrary.org/schaffer/library/mjgate.htm
    http://www.druglibrary.org/special/tart/tartcont.htm
    http://www.druglibrary.org/schaffer/alcohol/vcl1.htm

    Toxic dose:
    http://www.jackherer.com/comparison.html

    General Information:
    http://www.legalizationofmarijuana.com/

    What can you call this, the drug bible?
    http://www.biopsychiatry.com/

    A ton of information:
    http://www.artimmersion.com/Magi-to-Mari/marijuana.php

    Most informative article:
    http://www.cosmosmagazine.com/node/1441

    Safe to use when driving:
    http://cannabisculture.com/articles/4131.html

    Tobacco marijuana comparison:
    http://www.biospace.com/news_story.aspx?NewsEntityId=20

    Legislation keeping it in schedule:
    http://www.millionmarijuanamarch.com/mmm1_047.htm

    Marijuana law:
    http://www.iowamedicalmarijuana.org/States/Default.aspx

    Marijuana is safe:
    http://www.schmoo.co.uk/thclub/research.htm

    Protects against Alzheimer’s:
    http://news.bbc.co.uk/2/hi/health/4286435.stm

    Medical studies:
    http://www.cmcr.ucsd.edu/geninfo/research.htm

    Pot shrinks tumors:
    http://www.alternet.org/story/9257/

    Doesn’t cause cancer:
    http://www.ur.umich.edu/0607/Oct16_06/01.shtml

    Negligible risk:
    http://norml.org/index.cfm?Group_ID=4305

    Government perspective:
    http://www.nida.nih.gov/Infofacts/marijuana.html

    Fonte : http://www.growroom.net/board
    Créditos : bWd

    Denis favor apagar meus comentarios desnecessarios, peço desculpas pelo flood.

  52. Tiê Passos disse:

    Oi Zenóbio, li o seus depoimentos, num tem muito o que falar para você, tem a opinião formada, enraizada e tudo mais, vou ficar só criando discussão que para mim e para você já devem ser claras, e sobre o plantio, nada q 3 pezinhos não resolva a minha “dependência” hahaha, não sou quimicamente viciado, talvez em glutamato monossódico ou alguma quimica que eles acrescentam nas comidas industrializadas, para um alimento durar anos, ou ficar “saborosa”.. ou viciante mesmo ! E as folhas não se fuma é só um simbolo o que se fuma são as flores. E o tempo de crescimento varia de 3 a 12 meses… 1 pé bem cuidado dá para um usuário de peso fumar 3 meses… 3 pés = a 9 meses… 9 meses = ao crescimento de 1 pé… pronto ! Não tenho elas plantadas pelo medo da punição, mas adoraria.

  53. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Cada um na sua. Cada indivíduo é um ser único. Como disse Nelson Rodrigues: “Toda unanimidade é burra”.

    Mas veslumbro um novo problema, será que o podutor de maconha “indoor”, devidamente estabelecido, pagando impostos, com grandes investimentos em obter (alugar) uma área, compra de estrutura e suportes para a produção, portanto não disponível para outras atividades e dedicação total ao cultivo, ou de outra forma poderá delegar a administração a contratados (diretos ou tercerizados, não importa), o que poderia inviabilizar a coisa, não deverá negociar o excedente para continuar gerindo a manutençao de sua produção ? Ou como se manteria após o término de seu estoque ? Creio que como qualquer atividade produtiva, tenha que ser continua.

    Povavelmente sim. Nesta hipotese que atitude ele tomaria a respeito de um sem numero de pequenos produtores, operando na informalidade, mais ou menos o que aconteçe com com donos de lojas comerciais que se veem com camelos estabelecidos na sua calçada vendendo produtos identicos, mas mais barato porque não pagam impostos ?

    Pirei na batatinha, né ? Mas no Brasil é assim, a visão é limitada, não existe horizonte. É tudo um grande carnaval, vamos nos divertir, quarta-feira de cinzas a gente vê o que faz da vida.

    É como a celeuma quanto qual o orgão de ve ser responsável pelo assunto das drogas, é da saúde, não é da polícia, não é da saúde, não é da polícia…e ninguém faz nada, fica todo mundo na arquibancada esperando alguém dar o pontapé incial.

    Repito: Cada um na sua.

  54. Luiz disse:

    Bom vamos por partes. Em primeiro lugar,eu me referi ao plantio indoor mais como um hobbie e nao como um meio de produção de maconha. Para a produção de maconha seria necessário tudo isso que você citou, como impostos, compra de estruturas e suportes. Sinceramente, nesse segundo caso não sei qual seria a melhor forma de regularizar a produção de maconha. Principalmente no Brasil ” onde tudo é um grande carnaval “. É um caso que precisa ser estudado, mas para que isso aconteça, precisamos descriminalizar o uso da erva. Em segundo lugar, posso estar enganado, me perdoe se eu estiver, mas você vê as coisas do lado errado. Para você o simples usuario de maconha talvez venha a ser um viciado que precise manter o seu vicio, para mim não. Pode até parecer uma comparação banal, mas para mim, ter o hábito de “fumar um”, é igual ao de tomar um copo de café na manha todos os dias. Tudo é questão do ponto de vista. São raros os casos em que a pessoa cria uma real dependencia com a droga. Acredito que isso possa ser resolvido com uma simples mudança de cultura, mas para isso, primeiro precisamos descrimiar o seu uso. Apagar esse fantasma que existe em torno da palavra maconha.

  55. Marcelo disse:

    Zenóbio vc está pensando que é muito difícil e dispendioso produzir maconha, mas não é.
    Não é necessária uma graaande estrutura se vc só fuma diariamente por exemplo. Como já foi falado em um comentário abaixo, uns três ou quatro pés produzem o suficiente e existem diversas técnicas de plantio bem simples que facilitam o processo.
    Na verdade nem precisa de um quintal espaçoso ou de luz solar, ela pode ser plantada dentro de um armário usando uma luz especial, esta técnica permite até acelerar o crescimento da planta mantendo-a “acordada” o tempo todo, ela cresce duas vezes mais rápido (ou mais) pq fica fazendo a fotossíntese o tempo inteiro e não só durante o dia. Não dá muito trabalho é plantar e esperar, não exige que se dedique exclusivamente, uma horinha de trabalho por semana (ou menos) é suficiente.
    E o custo do cultivo caseiro (mesmo com todo o aparato) é bem menor do que seria o custo se comprada sempre de um traficante.

  56. Felipe disse:

    Infelizmente nao passamos de uma sociedade estúpida!

    Somos todos ignorantes e preconceituosos. Enquanto

    o orgulho e ambiçao (o mesmo que atingem nossos

    deputados) nao forem controlados estaremos entregues

    ao caos!

    Devemos fazer a nossa parte e nao deixar o preconceito

    e o medo invadir nossos corações!

    A Cannabis deve ser respeitada e reinserida em seu habitat!

  57. Felipe disse:

    … e devemos todos nos unir como cidadãos,

    alguns são contra a Maconha, outros são favoráveis,
    outros são indiferentes, mas estamos todos no mesmo
    barco! Devemos expor nossas opiniões, devemos ter nossos
    ideais e nossas preferencias, mas nunca podemos nos separar.

    humildemente é o que acho!

  58. salime disse:

    sou portadora de uma doença incurável a cirrose por ter feito uso da maconha, ou a “plantinha” inofensiva por longos 32 anos, usei diariamente, fumava de 15 a 20 ou mais “baseados” por dia, e hj sofro as consequencias dessa “inofensiva canabis” q tanto defendi nesses 32 anos de uso.
    Portanto quem quiser ter uma prova viva de que CANABIS faz mal venha conhecer-me…

  59. Zenóbio - Santos/SP disse:

    A quem possa interessar e pode disponibilizar aproximadamente 45 minutos de seu tempo, segue link da transmissão (só audio) do Programa Recuperação da Radio Boa Nova de Guarulhos, a respeito de informações validadas cientificamente sobre dependência química (dentre outras a da maconha) e tirar suas próprias conclusões:

    http://www.radioboanova.com.br/transmissao/0501909091.htm

  60. Rafael Claudio disse:

    Não concordo!

    A constituição brasileira prega que o Estado tem o DEVER (veja bem, não é o direito, mas o dever) de zelar pela saúde do povo, mesmo que tenha de agir contra sua vontade. A maconha causa diversos males (e o que não causa em excesso?), mas ela vicia e tira a razão de quem a consome.
    Estamos vencendo (finalmente) uma longa batalha contra o tabaco, não vejo razões para começar outra. Aliás, deve-se perseguir (sim, perseguir) quem teima em consumir maconha em público, pois isso induz outras pessoas ao vício.

  61. Chesterton disse:

    Deniis, o Direito não inclui animais ou plantas. Trata da relação entre humanos exclusivamente.

  62. denis rb disse:

    Não senhor, Chesterton,
    No caso referido – a proibição da existência da Cannabis sativa pelo Homo sapiens, a humanidade se arvorou a usar o Direito para arbitrar sua relação com uma espécie vegetal.
    Quando falo de “proibição da existência”, não exagero. A maioria dos países realmente decidiu que qualquer planta Cannabis sativa encontrada em território nacional deve ser destruída.

  63. Artur disse:

    Salime : você está MENTINDO, cannabis nao causa cirrose, o que causa cirrose é a m…. do alcool que vc consome.
    E se ela é TAO prejudicial há mais um motivo para a sua legalização, pois somente com a legalização a erva poderá ser estudada a fundo.

    A cannabis é utilizada para redução de danos em aloolotras, como vc deve ser, e dependentes de outras drogas, ela é utilizada, inclusive, no tratamento de cirrose, dá uma pesquisada sobre cannabis medicial e saberá o que estou falando.

    ZENOBIO :
    Ja q vc tem tempo, dá uma olhada no you tu be, o documentário GRASS. Garanto que abrirá um pouco essa sua mente escravizada e alienada.

    Rafael Claudio: Justamente por ter o dever de manter a suade do povo a cannabis deve ser legalizada, assim como as suas pesquisas e o uso medicinal, a erva é utilizada contra inumeros males, pesquise, vc tem acesso À informação, deixe de ser outro alienado.

  64. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Artur,

    Embora eu ache que o Denis não deixe passar nossos comentários, vou faze-lo mesmo assim.

    1- Depois que passar essa sua noia, agora sua cognição deve estar comprometida, leia o artigo do link que segue e verá que nunca foi proibido o estudo a cerca da maconha (não sei de onde você tirou essa sua ideia que precisa legaliza-la para estuda-la) e tirando o eventualmente possível uso medicinal ela é maléfica:
    http://msn.minhavida.com.br/conteudo/2904-Na-adolescencia44-maconha-tem-efeitos-ainda-mais-devastadores.htm

    2- Quando fumar a dita, não escreva nada, fica um tremendo amaranhado de asneira sem nexo os quais nem vou me dar ao trabalho de detalhar. Quando estiver sóbrio leia o que escreveu e, sei lá, talvez compreenda do que estou falando;

    3- Sua atitude somente corrobora o que se tem dito a respeito dos malefícios do uso indiscriminado da maconha (no estudo divulgado no link acima, fala claramente da atitude que você acaba de tomar e é típica do mal causado pelo uso da maconha);

    4- Não tenho nada contra você se entupir de maconha, o problema é seu, vocêé dono do seu nariz e a mim não afeta em nada. Ou já te proibí de fumar alguma vez e não me lembro ?

    Vai com calma, você pode achar que ela é tudo de bom, você tem este direito, mas crer que é o elixir da longa vida, só crendo também, que há vida após morte.

    Manera na dose e quando começar a sentir formigamento pelo corpo, corre e procura ajuda…se der tempo.

  65. Artur disse:

    Zenobio

    Eu não havia fumado da erva quando escrevi o post anterior. Mas se tivesse fumado quero que saiba que isso nunca me altera a consciência. Quem quer fazê-lo acreditar que altera a consciência também é favorável à proibição.

    O link da matéria que você me indicou não tem base científica séria para o estudo. A maconha utilizada para tal pesquisa foi plantada pelo governo? Foi plantada na faculdade? Ou foi comprada de traficante? Essa informação foi suprimida. A maconha comprada do traficante é uma porcaria, no Paraguay é misturada a planta fêmea com o macho e ainda coco de vaca, urina, tijolo, lixo, etc etc, essa maconha NAO SERVE para se tomar qualquer estudo científico.

    Li o texto que me indicaste. Gostaria de tomar um pouco de seu tempo também para que desse uma lida em http://www.encod.org/info/Falta-alguma-coisa-na-historia-da.html , talvez lhe esclareça um pouco sobre a verdade da proibição da maconha no Brasil.

    Eu CONCORDO que adolescentes e crianças não deveriam fumar maconha, assim como não deveriam beber alcool, e fumar cigarros de tabaco, todos fazem mal à saúde. mas afirmar que a maconha provoca prejuízos irreverssíveis sem base científica, baseada em um estudo com 128 usuários e mais 32 não usuários, deves saber bem que esse número é INSUFICIENTE para se tomar qualquer conclusão séria, mas se quiseres se basear nisso vá em frente, siga alienado.

    Quanto à resposta dada ao TIE, quero que saibas que as folhas da cannabis não servem para se fumar, a parte da planta que contém THC e CBD são as FLORES, as flores da planta fêmea, pois as flores da planta macho somente servem para polinizar a fêmea e produzir sementes.
    As folhas da cannabis servem de matéria prima para fazer tecidos, papel, e as sementes produzem óleos capazes de produzir combustíveis ou alimentos. Entendo que desconheça sobre isso, pois este tipo de informação pode ser considerado “apologia” e não é muito divulgado.

    Desculpe-me se lhe ofendi anteriormente. Mas alguns de seus comentários me parecem muito discriminatórios, sem base séria e amplamente alienados.

  66. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Artur,

    Fique com a sua tese que eu fico com a minha.

    Já enchí este blog de links com estudos científicos comprovando os malefícios da maconha e você não aceita nenhum, portanto chega. E o alienado sou eu. Coisa de louco !

    Por teimosia vai mais um link, este é do Ministério da Saúde, embora a matéria não mereça seu crédito: http://www.sistemas.aids.gov.br/imprensa/Noticias.asp?NOTCod=62939

    Você se perde todo em seus argumentos, mistura estudo científico do potencial da maconha como uso terapeutico com o uso indiscriminado por dependência da substância (THC) por estar com o organismo impregnado por este princípio ativo, como o fumante quanto a nicotina. Diz que precisa ser liberada para ser estudada e ao mesmo tempo diz que há estudos que comprovam sua eficiência medicinal. Como pode isso ? Se precisa ser legalizada para ser estudada, como foi estudada antes de ser legalizada ? Incoerência pura.

    Quer saber a origem da maconha nos estudos elaborados, se foi utilizada a folha ou a flor, se foi cultivada em laboratório ou colhida no mato, origem geográfica, etc.

    A maconha que você usa vem com certiicado de origem e com nº de registro na ANVISA ?

    Onde você foi buscar essa ideia que a maconha é utilizada na redução de danos no tratamento de alcoólatras e dependentes de outras drogas ? Quem seria louco a este ponto ? Qualquer mané sabe que o tratamento se baseia na abstnência da substância psicoativa e você diz que o tratamento consiste na troca de um por outro ? Delírio !

    E a cirrose então tratada com a cannabis medicinal. Coitado do fígado, grande metabolizador de enzimas, ferido mortalmente pela cirrose e você quer mandar toxina nele. Isso é assassinato premeditado.

    Deixa de ser preguiçoso e leia com atenção os links que postei sobre os malefícios da maconha, e olha que foi somente uma amostra. Sei que vai continuar colocando dúvidas, mas esta caracteristica eu entendo, porque é própria da personalidade desenvolvida pelo dependente químico (leia em: http://www.clinicaserena.com.br/familia/personalidade-do-dependente-quimico/)

    Leia também meus outros posts e verá que não sou tão leigo quanto você imagina, afinal posso afirmar que conheço maconha muito mais do que você pensa, sei destinguir qual é a boa e qual é b* de vaca, sem necessitar aspira-la ou submete-la a exame químico, bem como possuo um “feeling” para reconhecer um dependênte químico, na sua mais simples narrativa.

  67. denis rb disse:

    Zenóbio,
    Há sim vários registros de utilização de maconha no tratamento de dependência de outras drogas. Obviamente esses estudos são contestados pelos anti-proibicionistas, mas eu achei alguns deles muito convincentes. Uma boa pessoa para discutir sobre isso é o Dartiu Xavier, da Universidade Federal Paulista. Aparentemente o sucesso da maconha se dá por causa de seu efeito contra a ansiedade. Lembro-me de ter lido pesquisas relatando o uso de maconha por dependentes de cocaína e heroína (dentro da perspectiva da redução de danos), não de álcool.

  68. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Artur,

    Adendo ao meu ultimo post:

    1- O video GRASS sugerido por você, já ví e reví várias vezes, ele é ultrapassado, só serve como registro histórico e não acrescenta nada, só prova que, o que discutimos hoje já vem desde os anos 30 e os liberalistas a quase 80 anos não conseguem argumentos consistentes para virarem o jogo;

    2- Quanto ao uso industrial da cannabis e da semente de cânhamo estéril na ração animal é mais velho que andar prá frente. Você está atrasado.

  69. Lenicio Carneiro disse:

    Desculpe, mas essa tese é uma tremenda bobagem.

    Se pudéssemos (nós humanos) deveríamos sim decretar o fim de várias espécies de seres vivos. Os vírus da AIDS, das hepatites, gripes etc., as lombrigas, o schistosoma, o plasmódio e por aí vai.

    Já decretamos o fim do vírus da varíola, o que foi muito bom.

    Se não houvesse maconha no mundo, seria um problema a menos. Faltaria apenas acabar com as drogas restantes.

    Um abraço.

  70. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Denis,

    Pode ser, mas a título experimental, nada conclusivo, pois me parece que seria trocar 6 por 1/2 dúzia (tudo pela recompensa) ao menos pela opinião do psiquiatra Dartiu Xavier, coordenador do Proad (Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes), da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), na matéria abaixo:

    http://www.antidrogas.com.br/outros_vicios.php

  71. denis rb disse:

    Aí é que tá, Zenóbio, não é trocar seis por meia dúzia, e é nesse ponto que a conversa não está avançando. Há substâncias e substâncias, e há usos e usos para essas substâncias. Um viciado compulsivo em heroína que se torna um usuário controlado de maconha não trocou seis por meia dúzia: trocou, provavelmente, uma vida de escravidão a uma substância pela possibilidade de uma existência produtiva e feliz.

    Não encontrei no link que você mandou o trecho no qual o Dartiu afirma que as drogas são todas iguais, mas conheço-o o suficiente para duvidar que ele dissesse isso.

  72. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Denis,

    Pelo prisma que você olha não está errado seu raciocício, mas se mudar o ângulo de visão verá diferente, primeiro que a reciproca é verdadeira. Um viciado compulsivo em maconha que se torna um usuário controlado de heroina (até sem viciar – está no artigo do Dr. Dartiu), também não trocou seis por meia dúzia.

    Agora releia o texto, principalmente os tópicos “Tudo pela Recompensa” e “Dependência Psicológica” e o que diz também a Sra. Suzana Herculano-Houzel e a conclusão do segundo tópico que está entre aspas.

    Deixo claro que eu não disse que o Dr. Dartiu afirma em sua matéria que todas a drogas são iguais. Quando falei trocar 6 por 1/2 dúzia, quis dizer trocar uma droga por outra droga.

  73. Artur disse:

    Zenóbio

    Não tenho preguiça de ler. Leio muito durante o dia, faz parte de meu trabalho e de meus estudos (sim eu trabalho e estudo apesar de ser um “viciado em maconha”).

    Li todos seus posts anteriores e vi que você é um leigo no assunto sim. Me mandou procurar um médico quando meu corpo começar a “formigar”, ok! hehehehehehe quantos anos demora?

    Obrigadasso pela super-dica, afinal tu pensa que sou um “dependente químico”, conclusão tirada por você já que detém de um baita “feeling” para identificar USUÁRIOS em seus posts.

    As pesquisas sérias realizadas não foram feitas em nosso país, (aqui é proibido).

    Não lhe interessa de onde vem minha maconha.

    Não sabes de onde tirei a ideia de que a maconha é utilizada na redução de danos no tratamento de alcoólatras e dependentes de outras drogas ? Acabaste de me provar que realmente és um alienado e leigo no assunto sim.

    O video GRASS é um documentário que mostra como surgiu a idéia da proibição. Notaste que ela surgiu somente por motivos politicos? Para que se pudessem perseguir os negros e latinos? Não deves ter entendido o filme dessa forma, pois sua mente está muito fechada (alienada) e não consegues ver aquilo que está na sua frente.

    * “Quanto ao uso industrial da cannabis e da semente de cânhamo estéril na ração animal é mais velho que andar prá frente. Você está atrasado.”

    * Aqui tu me mostra de novo o quanto és ignorante no assunto. As sementes utilizadas não são as estéreis, pois estas não podem produzir óleo.
    O alimento de que falei sao sucos, leites e queijos à base desta semente, alimentos para humanos e não ração para passarinho.

    Independente do que você ou eu achamos, a proibição da maconha só é mantida pq existem muitos corruptos ganhando muita grana com a proibição. Os favoráveis à manutenção da proibição são os traficantes, os policiais corruptos, os politicos corruptos e os alienados. Você se encaixa aonde?

    Não se preocupe em me responder.

    Abraço.

  74. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Artur,

    “…e estudo APESAR DE SER UM “VICIADO EM MACONHA”).”
    “…TU PENSA QUE SOU UM “DEPENDENTE QUÍMICO”,…”
    “As sementes utilizadas não são as estéreis…” – Então podem germinar, certo ? Então o plantio é proibido mas a semente fertil não !!!(???)

    Problemas, problemas, lamentável, já está lesado e apresenta confusão mental (TMO). Tenho pena de você, mas estou com a consciência tranquila. Te avisei.

    Encerramos aquí.

  75. Artur disse:

    Zenobio

    Eu que tenho pena de você.

    Não meu caro, eu não apresento nenhum tipo de confusão mental. Minha mente é completamente livre, diferente da sua que é cheia de preconceitos e vazia de conhecimentos.

    Estude um pouco mais antes de ser contrario a legalização. Saiba que a proibição somente gera prejuízos à população, os lucros ficam com os traficantes, policiais corruptos e políticos corruptos.

    Também tenho a consciência tranqüila.

    E você que é lesado, apesar de não consumir da erva.

    PS. Você consome alcool? Mesmo que socialmente?

  76. denis rb disse:

    Pessoal,
    Vamos devagar, vai.
    Falemos de argumentos, e não uns dos outros, até porque não nos conhecemos e estamos fadados a sermos injustos ao supor coisas sobre quem pensa diferente de nós.

    Mantenho minha política de não deletar comentários a não ser que esteja muitíssimo clara a intenção de ofender. Mas, se alguém achar que algum comentário passou do ponto e deveria ser deletado, pode avisar (aqui ou no meu email).

  77. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Denis,

    Ok !

    Da minha parte vou me policiar mais para não aceitar povocações e me rebaixar ao nível do provocador, acabando por “bagunçar a casa”, embora tenha que confessar ser muito difícil não replicar a altura quando se é ofendido diretamente e gratuitamente somente por não falar o que a pessoa espera ouvir.

    Vou procurar ser mais diplomático e, se for o caso, ignorar.

    Por mim as postagens podem permanecer, sem necessidade de serem deletadas.

    Ao Sr. Artur, somente um adendo final (mas final mesmo):

    Afirmou que leu todos o meus posts a ponto de traçar meu perfil, e no seu último comentário acusa e questiona o que já foi respondido. Por gentileza, releia meus posts abaixo referenciados e encontrará neles as respostas que procura:

    1. Zenobio – Santos/SP disse:
    outubro 5, 2009 às 4:31 pm
    1. Zenobio – Santos/SP disse:
    outubro 5, 2009 às 6:41 pm

  78. Artur disse:

    Denis, se quiseres podes apagar o meu post anterior, como dito no e-mail enviado.

    Independente de qualquer tese sobre os malefícios ou os benefícios da erva, eu acredito que a maconha é uma droga com alguma periculosidade sim, seria estranho uma droga sem nenhum perigo, tudo que é feito/usado em excesso faz mal (até mesmo o chá da vovó).
    Mas de todas as drogas com psicoativos a maconha é de longe a droga mais segura. As drogas não são todas iguais como anteriormente aduzido e trocar heroína por maconha não é trocar 6 por 1/2 dúzia.
    Não há nenhum relato de que a maconha cause cancer, mas também não podemos excluir a hipótese.
    Um número menor do que 14% dos usuários de maconha consome outras drogas, o que derruba a tese de que a maconha seja a porta de entrada para outras drogas.

    E se caso a erva seja realmente tao ruim, faça tanto mal, esta seria melhor controlada num sistema de mercado regulado, um sistema onde o cultivo, o mercado e o varejo pudessem se desenvolver, reduzindo a criminalidade. Seria bom para sociedade (não só para os maconheiros) que a maconha fosse legalizada e regulamentada.

    Assim, não quero a legalização da maconha porque é segura, quero legalizar porque é perigosa.

    Zenóbio, eu ainda acredito que um dia tu possa abrir a mente e descobrir o porque seria para todos a legalização da maconha.

  79. F.D.V. -- disse:

    Eu não resisti a ler os comentários dessa reportagem, e me coçei pra responder. Para não evoluir à brotoejas…

    Caro Dênis, creio que não deves apagar os posts dos deblateradores, primeiro para provar a falta de caráter com que os proibicio(na)l(z)istas tentam contra-argumentar os simples fatos que motivam a eu, você jornalista e tantas outras pessoas a nos posicionar a favor da legalização da maconha como primeiro passo para a mudança da situação caótica de violência, negligência da guarda, extorsão, crack, merla… e tantos outros 6 por 1/2 dúzia. (sic).

    O cidadão (do bem) Zé(ig)nóbio aprendeu a retórica e dialética da maneira mais deturpada que eu já vi, verborragicamente define o camarada Artur como uma pessoa lesada, outrossim investe na inversão pífia dos seus próprios argumentos para imputar suas ofensas ao outro debatedor.

    Pra mim, uma pessoa de tão baixo caráter não merece nem créditos pelas bobagens que escreveu, tanto por seu “Feeling” quanto pelo uso de siglas (TMO) dã? Também os grandes links “super-elucidativos”, meros exercícios de tautologia. “..Mas tá bom, se vocês são bobos e não entendem, só escutam o que querem..”

    Claro que o nosso argumento está posto e é válido.

    – Tudo em excesso faz mal e pode matar (chá da vovó), assim com uma bala perdida… O estado proibicionista obriga o usuário de maconha ao comprar-la se expôr a uma condição análoga a de um bandido – afinal no mundo as coisas são tudo assim meio que seis por meia dúzia. Quero dizer que não sou um criminoso nem um bandido, mas sim uma pessoa como outra qualquer, com suas “obrigações” em dia e que não suporta a idéia da exclusão social provocada pela culpabilização da maconha pelos males do mundo, jajaja.

    – A Corrupção e o Tráfico agradecem a proibição. Parabéns ao zegnóbel e seu feeling, me garantiram risadas das suas posições generalistas… Vai ver daqui a pouco ele inventa que botaram fogo e formigamento no Reichstag e a culpa foi dos maconheiros ( que estavam lesados ). Eu acho que ele até põe um jaleco pra blogar nas discussões sobre a maconha, pra ver se tem alguma credibilidade.

    Sabes tudo, continues assim, quem sabe não consigas uma cadeira de professor emérito em alguma academia, com toda essa vasta bibliografia e sensibilidade.

    Parabéns Dênis, por abrir este canal para a sempre presente discussão e botar a cara pra bater.

  80. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Denis,

    Tá vendo o que te disse, fica difícil não falar alguma coisa.

    Eu até entendo quando as meninas rasgam elogio prá você é a ordem natural das coisas, mas marmanjo puxa-saco na manhã de um sábado chuvoso é de lascar.

    Fazer o que, principalmente para um sei lá quem, covarde, que não dá a cara prá bater e se esconde atras de umas iniciais que mais parece uma sigla, alias bastante sugestiva (já imaginei várias possibilidades, todas inenarráveis), além de não ter nenhuma criatividade, fazendo trocadilhos abobalhados com o meu nome, que por sí só já é estrambólico, portanto tremenda perda de tempo. O Didi (Renato Aragão) chega a ser mais engraçado que ele, com suas piadas infantis.

    Além do mais é pretensioso a ponto de julgar-se igual a você (“…fatos que motivam a eu, você…”, “…nosso argumento está posto …”) e ainda é petulante ao falar em caráter, sem te-lo, já que ele não é ele, ele é você (chamado espelhamento, ou seria crise de identidade ?). Se, por hipotese, você virar proibicionista, adivinha ! Ele vira também (idolatria pura).

    Olha F.D.V. (tomei maior cuidado ao colocar a sigla, prá não cometer ato falho), pede prá vovó cuidar de suas brotoejas, porque voce é muito sensível e isso é coisa de criança, pois elas vão piorar muito ainda, até que a liberalização chegue.

    Ah! obrigado pelo respeito e admiração que você nutre por mim e minhas ideias, pois afinal para quem não merece crédito, nove (09) parágrafos a meu respeito é a consagração.

    Bom FDS, mas não fica tristinho não, segunda-feira o Denis está de volta. Passa rápido bobinho.

  81. F.D.V. _\|/_ disse:

    Perdeste!

    Vai ler teu mein kampf e não torra a paciência dos outros. Não sabes argumentar, não no sentido real do conceito de argumentação… Já te disse, não pretendo mais repetir. Continues assim mostrando o quão babaca são teus ataques pessoais. Que só levam créditos dentro dessa sua cabecinha insana, porque as outras pessoas compreendem qual a tua posição, a do grito.

    Parlapatão!

    — “Além do mais é pretensioso a ponto de julgar-se igual a você (”…fatos que motivam a eu, você…”, “…nosso argumento está posto …”) e ainda é petulante ao falar em caráter, sem te-lo, já que ele não é ele, ele é você (chamado espelhamento, ou seria crise de identidade ?). Se, por hipotese, você virar proibicionista, adivinha ! Ele vira também (idolatria pura).” QUEM ÉS TU PARA FALAR ALGO ASSIM. Não te conheço, tu não me conheçe, eu não conheço o Dênis. Psicológo de quinta categoria, de onde tu tira esses termos (espelhamento ou crise de identidade)? O fato de eu ter a mesma posição do Dênis não me faz um rasgador de seda, alias, se fosse assim pela tua dialética 6 por meia dúzia, o mundo iria ser cheio de puxa-sacos do Dênis.

    Ignóbio, não seja tão ridiculo. Porque tu odeia tanto os usuários de maconha? fala como um psicólogo mas talvez esteja realmente precisando de uma análise profunda, quem sabe algum sodomizador maconhista tenha feito algo de mal contigo… Não precisa ter medo, a maioria não age dessa forma (sic).

    Zébóbio, se tá chovendo onde tu mora, problema é teu. Só não despeja teu mal-humor sobre os que querem o avanço da discussão. Que por sinal, perdeste a mais de uma semana, mas mesmo assim, como um velho camisa parda (se tu sabes o que é isso) não larga o osso da boca nem para comer…

    Ah, e se não gostastes dos trocadilhos que fiz com o teu nome… O problema não é meu. Seja mais engraçado e não apenas idiota. Trocar a turma do Didi no domingo por hábitos mais saudáveis já é um ótimo começo.

    “Cause puss and dog they get together:
    What’s wrong with loving one another?
    Puss and dog they get together:
    What’s wrong with you my brother?”

    bom, agora se tu não entender isso… lamento.

  82. Zenóbio - Santos/SP disse:

    F.D.V.

    Ei ! sulista desvairado.

    Before alone than in bad company (tradução livre).

    Já acabou o faniquito e a crise histérica ? Já ! Então vai para o quarto chorar agarradinho a almofadinha de coraçãozinho vermelha. Nem pensar em cortar os pulsos, heim !

    I’m the champion you are defeated !

    Acalme-se, segunda-feira chega logo, logo, relaxe, você sabe como.

  83. Maria Joana disse:

    Nossa, quanto ódio tem esse tal de Zenóbio!!! Aposto que se ele fumasse um de vez em quando não estaria tão mal-humorado… Esse cara fica ofendendo as outras pessoas de lesadas, noiadas e fica insunuando homossexualismo por parte dos legalistas. Quanta ignorância e violência com quem só quer ter o direito de fumar seu baseado em paz! A legalização da maconha não vai obrigar ninguém a fumar, só vai deixar os fumantes em paz!
    Pq será que essas pessoas odeiam tanto a maconha? Ele me deu todos os argumentos para continuar acreditando que a legalização é o melhor caminho! É uma pena que pessoas com esse tipo de pensamento discriminatório tomem grande parte das decisões no nosso país… enquanto isso a máfia agradece!
    Será zenóbio um traficante???

  84. F.D.V. disse:

    ha ha ha.

    Voce venceu, batata frita! E que vitória, nossa!
    Piada da semana!

  85. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Maria Joana

    O F.D.V. veio a mim, cheio de gracinhas e ofensas, sem eu jamais ter-me dirigido a ele e recebeu resposta a altura.

    Disse ele mim “…quem sabe algum sodomizador maconhista tenha feito algo de mal contigo…” e continuou com gracinhas e ofensas.

    E eu que sou mal-humorado e homofóbico ?

    Facil entender: Ação/Reação, Causa/Efeito.

    Se não me ofenderem não serão ofendidos.

    Se temos que respeitar quem é a favor, temos igualmente que respeitar quem é contra, ou ficamos nesta queda-de-braço. Simples, não ?

    Não sou traficante, se o fosse trataria vocês na palma da mão, poque o freguês sempre tem razão (lei do bom negociante).

    Repito: Quem quiser fumar que fume, não tenho nada contra, cada um é dono de sí e faz da sua vida o que bem entender, não serei eu que vou impedir (nem teria como). Sou contra a legalização, o que na verdade não representa quase nada, pois fuma-se a rodo e todo mundo sabe disso.

  86. F.D.V. disse:

    Como eu sou MAU! Agressor e tudo o mais…

    Ignóbil (adorei teu nome), tu é baixo e depois vem se defender com cara de santinho, aprende a respeitar os outros antes de querer ser respeitado. é assim que funciona. Eu “avacalhei” contigo, não com todos os outros como tu fez.

    As teorias de ação e reação se aplicam apenas a dinâmica, caro Skinneriano.

    Por acaso o sodomizador te fez doer??? ou te deixou calminho… Não, eu não tenho nada contra, simpatizo até com quem se assume, mas na psicologia sempre se escutam histórias de traumas que começam desse bruto jeito.

    Agora tu tocou no ponto que faz sentido… quando:

    ” Repito: Quem quiser fumar que fume, não tenho nada contra, cada um é dono de sí e faz da sua vida o que bem entender, não serei eu que vou impedir (nem teria como). Sou contra a legalização, o que na verdade não representa quase nada??, pois fuma-se a rodo e todo mundo sabe disso.”

    Então é assim, tu és a favor da manutenção simples do status-quo. Mais uma vez nos resta a lhe por no mesmo nível do traficante, do mafioso, do policial corrupto e do ladrão que rouba para se drogar. Porque mais do que compactuar com a miséria alheia, compactua com a farra da corrupção. Alias, a defende com unhas e dentes…

    Queremos ser respeitados, não só por ti, mas principalmente por todos aqueles que se pressupõem como autoridades (policiais, jornalistas, homens de jaleco em geral), que com a arrogância de quem entende tudo do mundo, principalmente através das manipulações “cientificistas” tautologicas, creem que a chave da resolução dos problemas do mundo é o moralismo americano do inicio do séc. XX!

    Mas uma vez aqui sendo afirmado.
    A Maconha foi proibida por questões econômicas, políticas e, sobretudo, raciais. Todos os esforços para combater o seu uso mais que fizeram-lo aumentar. Todas as políticas de repressão falharam, e continuam a ser invocadas. Em Porto Alegre, por exemplo, existem bocas-de-fumo que funcionam nos mesmos lugares a mais de 30/40 anos; curiosamente várias delas possuem delegacias de policia, batalhões da brigada militar e até centros integrados de segurança pública a menos de 20 metros da entrada das bocas… Ora, a situação que existe é simples e séria. O ESTADO GARANTE O MONOPÓLIO DA VENDA DE SUBSTANCIAS PSICOATIVAS NAS MÃOS DOS MESMOS BARÕES DA MAFIA. Eu sou obrigado a comprar minha maconha dos associados dessa política bizarra e mediocre.

    Então, eu não possuo a tal autonomia que tu falas, pois eu gostaria de poder plantar a minha PLANTA predileta no pátio da minha casa. Cuidando com amor, carinho e humus, junto aos meus manjericões, salvias e alfaces do meu canteiro (e não uma porcaria que venhaescondida dentro de almofadinhas de coração vermelho, ou para-choques, tanques de gasolina e até no estomago de cavalos). Quem é esse estado que me impede de fazer isso? Quem és tu para se incomodar com isso?

    Eu não sabia que podia-se plantar arvores de cocaina, ou heroina, crack… de repente se rolasse de dinheiro eu até me interessaria.

    You lost, dear foolish.

  87. Zenóbio - Santos/SP disse:

    F.D.V.

    Fala por tí, não pelos outros, tu não tens procuração deles e está se metendo na seara alheia. Já se acha um lider.
    Prá mim chega, meu ouvido não é pênico, você fala muita asneira para uma pessoa só.
    Já acertei que tu é sulista, só estava na dúvida de era de Santa Catarina ou Rio Grande do Sul.
    Agora que sei que é de Porto alegre compreendo porque tanto empenho da liberalização. Dá um pulinho até Alvorada e vê o estrago que as drogas fazem por lá e olha que o lugar é uma merreca.
    Entendi também porque essa sua fixação em sadomização.
    Vai dormir vai, mas antes lê o que está no link abaixo, pois alguma coisa me diz que é referente a sua religião (é só uma instuição. A primeira acertei):

    http://www.aishbrasil.com.br/new/artigo_drogas.asp

    Até nunca mais, eleja outro prá aporrinhar ou vai se divertir na Boate Espaço Closed.

  88. Artur disse:

    Infelizmente nao passamos de uma sociedade estúpida!

    Abaixo os ignorantes e preconceituosos.

    Resta desnecessário apontar alguém no foro de discussões, mas percebe-se um preconceito contra os moradores do sul do Brasil, os maconheiros, os judeus, os homossexuais e outros.

    Devemos fazer a nossa parte e nao deixar que o preconceito e o medo mantenham as coisas como estão.

    A Cannabis deve ser respeitada e reinserida em seu habitat!

    Repito, seria bom para sociedade (não só para os maconheiros) que a maconha fosse legalizada e regulamentada.

  89. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Enfim estamos chegando a um senso comum, pelo menos em algumas partes, somos sim uma sociedade estúpida, irracional.

    A ignorânia até é suportavel de certa forma, pois muitos não tem acesso a informação e/ou capacidade de compreensão, já o preconceito é respulsivo eu que o diga:

    – Minha esposa e toda sua família são nativos de Porto Alegre/RS, onde além de laços familiares, desenvolví um grande circulo de amizades;

    – Tenho parentes e amigos maconheiros (leves, moderados e pesados);

    – Sou de família de origem judaica, convertida ao cristianismo, mas tenho inumeros amigos judeus;

    – E como em praticamente todas as famílias, tenho parentes homossexuais, bem como amigos e amigas com esta opção sexual o quais respeito e se fazem respeitarem;

    – Também outros de outros.

    Quanto a cannabis ela tem recebido seu devido respeito em seu habitat natural que é a Ásia, portanto não ha que se falar em reinserção em seu habitat.

    Com relação a legalização no Brasil da cannabis e seus subprodutos, e, se que seria bom para a sociedade, ela que deveria decidir através de plebiscito e não legalizada por Decreto institucional.

    Mas, supostas vítimas de supostos ignorantes e preconceituosos, por praticarem os adjetivos que condenam, tentam a todo custo a via mais curta e fácil e que melhor lhes convém, a liberalização sem mas, nem porque, em detrimento ao que realmente a maioria da sociedade deseja.

    Quem for maioria vence.

  90. F.D.V. disse:

    Agora o feeling do ignóbio constatou que eu sou um judeu sodomita.

    hah ha hah ha…

    Que feeling, sabe tudo da vida e do mundo! VIVA!

  91. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Valha-me Deus !

    Tres (03) dias 05h45m, para responder tres (03) linhas com teor inócuo.

    Que agililidade mental cannabiana incrível.

    Mas uma coisa é certa, um item tenho certeza que acertei, adivinha qual ?????

    Bom, pelos meus calculos, lá pela 5ª ou 6ª-feira devo ter a resposta, mas se não for possível, leve o tempo necessário, eu entendo o quando deva ser sofrível para certas pessoas e exercício do pensameto e a dificuldade do entendimento.

    Mas se não responder nada é melhor, será menos bobagem lançada na rede.

  92. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Correção:

    Dois (02) dias…

  93. Chesterton disse:

    Dennis, o homem resolveu erradicar a espécie que causa a varíola (está certo que guardou a 7 chaves algumas culturas para em qualquer eventualidade poder produzir vacinas).
    Nesse caso você também acha uma injustiça para com o virus …..o orthopoxvírus!
    Você vai acabar dandio bom dia a cavalo.

  94. Artur disse:

    Comparar uma planta com um vírus…

    ontem fumei um h1n1… “mó brisa ae”…

    bom dia cavalo!!!

  95. denis rb disse:

    Chesterton,
    Sou menos apegado a vírus do que a vegetais. Ainda mais vegetais como a Cannabis sativa. “Sativa” quer dizer “cultivada” em latim. Trata-se de uma das plantas mais próximas da humanidade, e há mais tempo. Indianos e chineses tinham uso médico para ela. Na Europa sua fibra abasteceu o continente de tecido – eram de cânhamo as telas da Renascença e as velas das Grandes Navegações. Povos da África à Grécia, da China à América colonial tinham uso ritual para a planta.
    Em outra palavras: temos uma longa história de coevolução com esta planta. Não sei se você acredita em Darwin, mas se acredita sabe do que estou falando: gerações e gerações selecionando genes que agradam o gosto humano, que facilitam a disperção da semente, que fazem efeito no nosso organismo. Jogar fora o produto de milênios de coevolução não é apenas absurdo: é burrice. Depois vamos ter que gastar muito mais para tentar desenvolver em laboratório coisas que a evolução fez.

    Já um vírus, cuja história evolutiva é imensamente mais recente (vírus modificam-se muito rapidamente, porque as gerações têm ciclos muito pequenos), não é de grande interesse. Ainda mais um vírus cuja estratégia evolutiva é nos deixar doentes.

  96. Chesterton disse:

    Mas a frase ( nenhuma espécie, animal ou vegetal, tem jurisdição para proibir a existência de outra) é sua. É uma questão de principio, não de gosto – ser mais ou menos apegado a virus e vegetais.
    E de novo, por provável ignorância (não é sua obrigação saber) tem enorme preconceito contra os virus. A vacina contra o HIV usa um virus atenuado da varíola associado a genes do HIV.Agora que você sabe disso provavelmente vai concordar comigo que o virus da varíola é bem mais útil à humanidade que a canabis.
    Meu hepta-avô veio parar nesse hemisfério em 1824 justamente para trabalhar na Real Feitoria do Linho Cânhamo devido a enorme importancia da cultura para a industria naval, mas a força do vapor e depois do petróleo, conjugadas a petroquímica, tornaram obsoleta a prática.
    O produto ativo da c. sativa, o tetra-hidro-canabinol, como mostra o nome é um álcool. De modo que fumar um baseado é apenas uma maneira distinta de consumir álcool. Como o consumo da maconha é marginal comparado ao álcool certamente veremos, na hipótese de liberação e difusão geral do consumo, complicações e efeitos adversos parecidos com os do etanol.
    Não concordo com a eliminação completa, a extinção, da canabis, mas sim um tratamento similar ao do vírus da varíola. Vai que se descobre algum uso realmente útil da cannabis sativa. O que eu creio que é realmente prejudicial ao Homem é o uso recreativo e o abuso, pelo seu efeito sedante e pela real possibilidade de efeitos colaterais psiquiátricos amplamente difundos e por algum motivo não comentados por você.

  97. denis rb disse:

    Uai, Chesterton,
    Vírus não são nem animais nem vegetais…

  98. Chesterton disse:

    mas são “espécie”. Não enrrola.

  99. Chesterton disse:

    Dennis, você poderia me explicar esse seu raciocínio:

    “Já um vírus, cuja história evolutiva é imensamente mais recente (vírus modificam-se muito rapidamente, porque as gerações têm ciclos muito pequenos), não é de grande interesse. Ainda mais um vírus cuja estratégia evolutiva é nos deixar doentes.”

    Que história é essa de que os vírus tem evolução imensamente mais recente? Existem teorias que sugerem, pela semelhança genética, que todas formas de vida superior teriam aparecido por causa dos virus, de sua incorporação genética. Realmente acho que você vai acabar recebendo o Troféu Hellmans ().

  100. denis rb disse:

    Explico sim, claro, com prazer,
    Perdoe a dubiedade da minha resposta anterior – não quis dizer que a história dos vírus na Terra seja recente, mas que um vírus (no caso o nosso amigo suíno) é relativamente jovem, evolutivamente falando. Vírus são os seres vivos mais antigos da Terra (embora haja alguma controvérsia quanto a eles serem efetivamente vivos), com uma história de mais de 3 bilhões de anos. São estruturas extremamente simples – geralmente consistindo em não muito mais do que um pedacinho de RNA ou DNA – capazes de se replicar. Dadas as condições ideais, eles se replicam muitíssimo rápido – várias gerações podem se suceder no espaço de dias, enquanto seres mais complexos como você, meu caro Chesterton, levam pelo menos duas décadas entre nascer e legar seus genes para a geração seguinte. O resultado disso é que os vírus da gripe de 2009 são geneticamente mais diferentes dos vírus da gripe de 2010 do que os homens são diferentes das lagartixas. Novas espécies de vírus aparecem e desaparecem a todo momento, enquanto animais e vegetais levam dezenas de milênios para evoluírem. Portanto, a perda de um vírus é uma tragédia infinitamente menor para a biodiversidade deste planeta onde pisamos do que a perda de uma planta. Se quisermos deixar o romantismo de lado e formos absolutamente pragmáticos: é improvável que o patrimônio genético do vírus da gripe reserve genes que possam vir a ser úteis para a humanidade. O mesmo não dá para dizer de uma planta, ainda mais de uma planta que coevolui com a humanidade por milênios. Ao reduzir a diversidade do trigo (ou da maconha) o homem pode, por exemplo, estar jogando pela latrina alguma proteína valiosíssima que proteja contra o câncer, ou algo assim. Enfim, jogar fora uma espécie de planta, além de ser trágico, é burrice.
    Quanto ao troféu Hellmans, não tenho ideia do que se trata. Agradeço de qualquer forma por lembrar de meu nome.

  101. Chesterton disse:

    Novas espécies de virus aparecem e desaparecem? Como? Geração espontânea? Viagem intergaláctica? Sumiço? Novas espécies de vírus ou são descobertas ou são decorrência de mutaçao de espécies pré-existentes.
    Dizer a perda de um vírus é uma tragédia infinitamente menor para a biodiversidade deste planeta onde pisamos do que a perda de uma planta é fazer juízo de valor, uma questão de gosto, já que os vírus tem também potencial terapêutico, não só contra infecções, mas talvez oncológico. Enfim, você usa o mesmo argumento contra os vírus que os anti-cannabis usam contra a erva.
    Uma planta que evolui com a humanidade há tanto tempo….mas afinal, qual planta não evolui com a humanidade há tanto tempo. Que espécie de argumento a favor de alguma planta pode ser esse?

    …”Já um vírus, cuja história evolutiva é imensamente mais recente (vírus modificam-se muito rapidamente, porque as gerações têm ciclos muito pequenos), não é de grande interesse. Ainda mais um vírus cuja estratégia evolutiva é nos deixar doentes….”

    Dennis, partes dos gens dos virus são exatamente iguais a partes dos gens que todos mamíferos (por exemplo) compartilham. A coincidência é tão grande que força autores a desenvolver teorias onde as infecções virais seriam responsáveis pela incorporação de mais material genético em plantas e animais, aumentando a diversidade genética e sofisticando o sistema imune. Se voc~e está realmente interessado no assunto, dê uma olhada nesse livro aqui:

    http://openlibrary.org/b/OL2933266M/épidémies_dans_l'histoire_de_l'homme

    A minha é uma edição de 94 aumentada (da peste a AIDS) que encontrei numa livraria do RJ.

    obs: Hellmans é a verdadeira maionese.

  102. denis rb disse:

    Sim, Chesterton,
    Mutações de espécies pré-existentes. É assim que espécies aparecem.

  103. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Após ler matéria abaixo, pensei que, na hipótese da liberação da cannabis ser liberalizada no Brasil, passaria a ter por parte do governo uma rígida legislação para seu plantio, processamento, industrialização, vendas e consumo (controle fitossanitário, de qualidade, higiene, adequação de seu armazenamento, prazo de validade, etc.), além é claro da cobrança de impostos, que usando o cigarro (tabaco) como parametro, por exemplo, os impostos giram em torno de 75% sobre o custo final, controlado pré venda por selo de controle a ser adquirido do governo, sem o qual não pode ser comercializado.

    http://www.marchadamaconha.org/blog/alemanha-farmacia-como-boca-de-fumo-para-salvar-economia_1113

    Os liberalistas iriam suportar os custos, considerando desejarem um produto de qualidade e não os “batizados” vendidos nas “bocas-de-fumo” e “biqueiras” e, considerando ainda ser este um artigo popular, portanto não podendo haver distinção de classes, ou seja mesmo produto para os ricos e pobres ?

    Os tabagistas menos favorecidos, se abstecem no mercado legal de marcas mais baratas e portanto de qualidade inferiores (se é que podemos falar em qualidade em se tratando de tabaco) ou pior ainda, recorrem-se a camelôs abastecendo-se de tabacos contrabandeados e/ou falsificados originarios principalmente do Paraguay.

    Procedimento que de pronto descarto dos liberalistas, por primarem pela qualidade do produto que defendem.

    De antemão deixo claro que a comparação, por mim colocada aqui, da cannabis com tabaco é somente ilustrativa. Não sou defensor nem de uma nem de outra.

    Ficam as perguntas: Qual a relação custo benefício ? O Fim justifica os meios ? Os menos favorecidos conseguirão manter-se no padrão novo ou será criada a bolsa-cannabis ?

  104. denis rb disse:

    Zenóbio,
    Há sim contrabando de cigarros – e qualquer produto pesadamente taxado tende a ser comercializado de maneira ilegal. Mas há uma diferença fundamental entre produtos pesadamente taxados e produtos proibidos. O comércio de cigarros contrabandeados é negócio pé-de-chinelo, exercido no geral por gente que circula na fronteira entre a criminalidade e a legalidade. Já o comércio de maconha ou cocaína gera uma classe de grandes barões, de crime organizado, gente disposta a matar ou morrer. Gente que tomou de refém cidades inteiras do Brasil, e o exemplo mais trágico é o Rio de Janeiro.
    O problema de legislar por valores morais – como você quer fazer – é que isso fecha nossos olhos para desgraças como a que está engolfando o Brasil agora. Você está aí argumentando seriamente que tomar drogas é moralmente errado, e leva nossa alma à perdição. E que evitar esse risco terrível é justificativa suficiente para jogarmos nossas cidades numa guerra infinita, cruel, que mata dezenas de pessoas todos os dias. Só para que nossos preceitos morais sejam respeitados.

  105. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Denis,

    Você distorceu tudo a sua maneira e conveniência.

    A pergunta é: O povão chegado na cannabis e de pouco poder aquisitico como fará para usufruir das benesses da erva ? Ou passará ela, a ser de uso e fruto somente da burguesia ?

    Outra pergunta: A que se destinará os impostos exorbitantes praticados pelo governo a produtos considerados supérfluos, como as bebidas alcoólicas e o cigarro de tabaco entre outros ?

    Só estava pensando como fariam os desprovidos de recursos financeiros e onde irá parar o dinheiro da arrecadação dos impostos, bem como quais as industrias multinacionais serão beneficiadas pela legalização, sim, pois obviamente elas obterão do governo o monopólio do negócio.

    Ou você acha que um negócio tão promissor não vai atrair grandes investidores e o governo vai entregar o filé-mignon de mão beijada a qualquer um ?

    Quanto ao contrabando existe e sempre existirá. Com relação ao contrabando de cigarro já disse ter usado a titulo ilustrativo, pois se qualquer um for na região da 25 de março e adjacência encontrará artigos contrabandeados, vendidos no varejo e no atacado e não é coisa de pé-de-chinelo não, fora os que passam despercebidos.

    Sua frase: “Mas há uma diferença fundamental entre produtos pesadamente taxados e produtos proibidos”, não se aplica ao que eu disse pois hipoteticamete estava falando do após a liberalização da cannabis no Brasil, quando então não seria mais um produto proibido.

    As classes de grandes barões, de crime organizado, matam-se entre sí por disputa de poder. Quem mata trabalhador e chefe de família é viciado aloprado e pé-de-chinelo prá roubar e comprar mais drogas.

    Já os traficantes ficam “malocados” em seu habitat e só descem para o asfalto quando “os acordos” (leia os livros do Caco Barcellos e MV Bill/Celso Athayde sobre o assunto e saberá do que falo) não são cumpridos e a extorsão extrapola o aceitável para provocar seus chupins, ou com traficantes rivais que querem se apossar de suas bases. Essa guerra é de bandidos contra bandidos. Tanto que as guerrilhas se dão nos morros não no calçadão de Copacabana, Ipanema, Lapa, Praça Mauá, Cinelândia, etc. (alguns lugares citados, redutos da boêmia e malandragem do RJ).

    Não estou legislando valores morais nenhum, mesmo porque no mundo atual legislar moralidade é quase uma insanidade. Chego a pensar, quem tem moral para falar em moral ? Já disse antes cada um é dono de seu nariz e faz de sua vida o que bem entender, não sei, nem quero saber da vida de ninguém. Já me custa aturar-me.

    Neste momento a questão não é moral, é social. Qual a solução que será dada aos usuários que não tiverem condições financeiras pra comprar o produto industrializado ? Qual será a reação deles ? Que atitudes poderão tomar no auge da fissura ?

  106. denis rb disse:

    Ok, Zenóbio,
    Respondo suas perguntas:
    1. Qual a solução que será dada aos usuários que não tiverem condições financeiras pra comprar o produto industrializado?
    r: ninguém falou em industrializar. Eu, pessoalmente, sou contrário a uma solução desse tipo. Mencionei aqui a solução californiana. Lá, o produto legal (para uso médico) tem qualidade superior, mas preço muito semelhante. Só que exige que o usuário se cadastre – tire uma carteirinha declarando que o uso é médico. Qualquer um pode tirar essa carteirinha, basta dar uma justificativa – “ansiedade” ou “bloqueio criativo” são aceitos como justificativa. Maconha, lá, não é industrializada. Pequenos agricultores cadastrados pelo estado cuidam da produção. Há garantias legais para evitar que grandes corporações dominem esse negócio.
    2. Que atitudes poderão tomar no auge da fissura?
    Provavelmente pedirão um uísque no lugar. O que tende a ser mais perigoso.

  107. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Bom Dia Brasil – Rede Globo de Televisão – Edição de 26/10/09

    Por sí só se explica.

    Consumidor de drogas é cúmplice ou vítima da violência?

    Consumo de drogas é questão de saúde e de polícia.

    Especialistas concordam que é preciso enfrentar e reduzir a oferta de droga. Cerca de 208 milhões de pessoas no mundo usam drogas. Destes, 15% são dependentes crônicos.

    http://g1.globo.com/bomdiabrasil/0,,MUL1354576-16020,00-CONSUMIDOR+DE+DROGAS+E+CUMPLICE+OU+VITIMA+DA+VIOLENCIA.html

    http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1147909-7823-
    CONSUMO+DE+DROGAS+E+QUESTAO+DE+SAUDE+E+DE+POLICIA,00.html

    http://g1.globo.com/bomdiabrasil/0,,MUL1354581-16020,00-ALEXANDRE+GARCIA+PRIMEIRO+PASSO+CONTRA+AS+DROGAS+E+ACABAR+COM+HIPOCRISIA.html

    Alexandre Garcia comenta os lados do tráfico de drogas: Primeiro passo contra as drogas é acabar com hipocrisia

    Parte 1
    http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1147899-7823-ALEXANDRE+GARCIA+COMENTA+A+MISTURA+DE+DROGAS+E+MORTE,00.html

    Parte 2
    http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1147911-7823-ALEXANDRE+GARCIA+COMENTA+OS+LADOS+DO+TRAFICO+DE+DROGAS,00.html

  108. Artur disse:

    “Em 1943, uma expedição científica é destaca para visitar comunidades onde se fazia uso nos estados da Bahia, Sergipe e Alagoas, principalmente nos povoados às margens do Rio São Francisco. Ao término da expedição um relatório é encaminhado à CNFE alertando que a planta era cultivada e consumida principalmente entre as “classes baixas”, mas que na Bahia, o uso também ocorria nas “classes altas”. A grande maioria dos cultivadores visitados desconhecia a proibição da planta, que era vendida livremente por mateiros e herboristas nas feiras livres sob a denominação de ‘fumo bravo’. ”

    fonte: http://www.encod.org/info/Falta-alguma-coisa-na-historia-da.html

    Acaso a maconha seja legalizada, a patuléia poderá então PLANTAR a erva no pátio de casa, em estufas, dentro do armário ou onde bem entender, situação hoje proibida e bem mais reprimida do que a propria venda e consumo.

    Caso exista uma INDUSTRIALIZAÇÃO da maconha, assim como do tabaco, EU pessoalmente não compraria uma maconha industrializada, gostaria muito de poder plantar em casa e consumir somente aquilo que eu produzir.

    A maconha não provoca “fissura”, nem mesmo em usuários pesados, isso deve se dar com outras substâncias…

    Ainda, cabe ressaltar que a maconha não necessita de processos químicos avançados para ser consumida. Existem várias técnicas de cultivo, é claro, mas como o processo no geral é simples e acessível, prefiro trabalhar com a idéia de que seja liberado o plantio para uso próprio. Mas nem todo mundo têm tempo, dinheiro ou espaço para fazer isso em casa. Então, uma das melhores idéias que já vi foi a de incentivar cooperativas comunitárias de plantio, ou “cannabis club”. Para que pudessem atender à demanda das pessoas que usam, estas cooperativas poderiam estar vinculadas em algum programa do tipo “vigilância sanitária”, para que se pudesse garantir um mínimo de qualidade. Além disso, tendo esse aspecto comunitário, de regionalizar a produção, faria do processo de oferta um processo mais sujeito ao controle social. Ao mesmo tempo, poderiam-se taxar as iniciativas mais amplas de produção, freando oligopólios e as subsequentes adulterações, como ocorre hoje, por exemplo, com o tabaco.

    Zenóbio, (não quero provocar nem agredir, não entenda errado) quanto à pergunta “Os menos favorecidos conseguirão manter-se no padrão novo ou será criada a bolsa-cannabis ?” Por um acaso existe o vale-alcool? Há distribuição de cigarros pelo Estado?

  109. Zenóbio - Santos/SP disse:

    Ah! Ta!

    Mas as pessoas que decidem quando e como, estão em Brasília/DF.

    Você pode até conseguir me convencer, mas somos uma população de quase 190 milhões de habitantes, não dá prá ficar fazendo “trabalho de formiguinha”, desta forma nem eu nem você estaremos aqui prá ver o resultado.

    Cada um tem uma idéia, plantar na sua horta, dentro do guarda-roupa com uma lâmpada ligada direta para a fotossíntese ser constante e acelerar o crescimento e produção, na floreira de casa, no pátio ou quintal de casa, estufa, hidropônia, método californiano, etc.

    Há muito acompanho esse debate, na mídia, variados fóruns, conversas informais, mas nada se faz e não se sai do lugar.

    Acho que o cidadão deve lutar por suas conquistas, ou melhor tem obrigação de brigar pelos seus direitos.

    Mas como tem uma lei proibitiva, ai o “bicho pega”, não fosse isso era só uma questão de opinião, como as bebidas alcoólicas e o tabaco.

    As idéias sugeridas para o processo de liberalização são diversificadas. Assim, por que os liberalistas não se organizam, elaboram com consistência um projeto, planejamento, fluxograma…, aliam-se a políticos também liberalistas que apresentem o projeto no Congresso e briguem pela sua aprovação ? Não seria este o caminho, ou ficaremos eternamente no âmbito conceitual?

    Não me ofendi com a sua pergunta, porque foi feita de forma educada e usou um critério comparativo. Na verdade, fiz uma piada, baseada nos trabalhadores que recebem cesta básica, vale transporte, bolsa escola, bolsa família e outros benefícios e os vendem por valores inferiores ao do mercado para comprarem bebidas alcoólicas e tabacos, transformando os referidos benefícios, indiretamente, em vale-pinga e vale-cigarro.

    Quanto a fissura, há controvérsia, você diz: “A maconha não provoca “fissura”, nem mesmo em usuários pesados,…”, vários especialistas dizem que, se você conseguir ficar três (03) dias sem fumar maconha e não apresentar nenhum transtorno psicológico (irritabilidade, ansiedade, agressividade, alteração de humor, depressão…) você não é um viciado, caso contrário é um dependente químico (a fissura equivale a crise de abstinência), o próprio Denis admite existir a fissura em sua mensagem de outubro 25, 2009 às 9:05 pm, quando diz:
    “2. Que atitudes poderão tomar no auge da fissura?
    Provavelmente pedirão um uísque no lugar. O que tende a ser mais perigoso.”

    Enfim, quem é contra é contra, quem é a favor é a favor, pode até haver, em ambas situações, quem mude sua posição, mas a oscilação do fiel da balança será imperceptível.

  110. Rafael Lima disse:

    haha, bélissimo post.
    gosteii muitoo , parabéns !

  111. Jéssica Barcarolo disse:

    O homem não pode erradicar outra espécie. Mas ele pode sim ter a plena consciência de ficar afastado de algumas delas.
    rs!

  112. edna/com memóra disse:

    Caro Denis R. Burgierman:
    Não acho. TENHO CERTEZA.
    Como bem diz a gurizada: ARRASOOOOOOOOOOOOOOOOOOU!
    E mais: Pela primeira vez, consegui além de imprimir, “promover” , para todos do Orkut. Chucra que sou, na WEB, foi quase um parto.
    Acho muito pretencioso “meu Orkut” , e quando escrevi “meu espaço”, a gurizada reclamou, com razão, então, é “nosso espaço”. Enviei para todos. Legal!
    Só, sabe-se lá porque, a foto saiu a do senhor Ronaldo França. Não a sua.
    Tudo bem, mas sabe como são os adolescentes, se identificariam mais com a sua foto.
    Tomara que consiga segui-lo no Twitter.
    Um grande abraço.

  113. Amazing. I’ve now seen the light. The fact is, I am going to most likely need to put on my sunglasses now.

  114. Elvis disse:

    Many thanks for offering such warm and helpful, healthy, educational not to mention cool thoughts on this topic.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: