Escolhendo cerveja: o jeito difícil

Como é que você escolhe cerveja no bar?

Usa critérios objetivos – o preço, o gosto, a composição nutricional, o comportamento da empresa? Ou deixa-se levar pela imagem? Escolhe a que tem o logotipo mais simpático, a mulher mais gostosa fazendo propaganda, a mensagem mais divertida?

Ontem, domingão, fui a um almoço delicioso na casa de um amigo, que é cientista político. Festa boa, com crianças e risadas, reencontros e futebol na TV, um desses almoços que duram tanto tempo que acabam requentados para o jantar. Escrevo, portanto, de ressaca. Tenham paciência comigo.

Mas, como era a festa de um cientista político, a casa estava cheia de cientistas sociais, gente treinada em métodos e metodologias. Alguém então sugeriu usar desse know how para resolver a questão de qual cerveja escolher. “Vamos fazer um teste cego”, decidiu-se. Correram até o supermercado e compraram todas as oito marcas disponíveis, alguém criou uma planilha de Excel no laptop, outro numerou papeizinhos de 1 a 8 e colou-os em oito copos idênticos.

Funcionava assim: uma pessoa, lá na lavanderia, servia um copo de cada vez, cada um com uma marca diferente de cerveja. O copo numerado, sem indicação da marca, era então passado para uma outra pessoa, que não o tinha visto ser servido. Observadores independentes, que não participavam da pesquisa, vigiavam qualquer eventual problema metodológico. No balcão da cozinha, de onde era impossível ver a lavanderia, o sujeito da pesquisa aguardava que os copos numerados chegassem, e experimentava um de cada vez. Cada copo continha apenas um golinho, para que o sujeito não tivesse que se embriagar em nome da ciência. Ele então bebia o gole, tentava adivinhar qual cerveja era e dava uma nota. Quando ele terminasse as oito, outro sujeito sentava-se, e os números eram trocados, para que um não influenciasse o outro.

Eu não participei. O futebol estava emocionante demais, não consegui largar para tomar meus golinhos. Portanto, os resultados que revelo em seguida não foram influenciados pelo meu próprio gosto:

screen-shot-2010-03-15-at-53250-pm

screen-shot-2010-03-15-at-53304-pm

BOHE é Bohemia Confraria. DEVA é Devassa. ITAI é Itaipava. BRAH é Brahma. ANTA é Antarctica. SERRA é Serramalte. ORIG é Original. SKOL você sabe o que é.

Os quadradinhos amarelos são as vezes em que acertaram a marca da cerveja. Como se vê, tirando a Bohemia Confraria, todas as outras cervejas são irreconhecíveis para os meus amigos. A pessoa que palpitou melhor acertou apenas 3 das 8 cervejas.

A Bohemia Confraria se destacou, como se vê abaixo:

screen-shot-2010-03-15-at-51234-pm

Mas, considerando que ela custa quatro vezes mais caro que as outras, não foi tanto assim.

Agora eu tenho uma medição científica para me ajudar a escolher cerveja no bar – não preciso mais obedecer aos publicitários. Vou pedir aquela que tiver a melhor relação custo benefício nesta tabelinha. Posso até mudar de ideia, se os fabricantes das cervejas oferecerem para mim alguma razão concreta para isso (por exemplo, tem uma cerveja americana que eu bebo sempre que vou para os EUA só porque ela patrocina eventos ciclísticos, e eu adoro bicicletas).

Claro que um teste envolvendo oito amigos não é lá uma amostragem muito grande. Mas, considerando que eles são amigos, confio no teste mais do que nos comerciais de TV. Já você não precisa seguir as indicações dos meus amigos. Faça seu próprio teste cego, e pare de obedecer aos comerciais!

73 comentários
  1. Cínthia disse:

    Iiiii… Pelo amor a ciência farei o teste..
    Com todo prazer😀

  2. Como membro da amostra quero deixar consignado que quero fazer outros testes desse tipo, poderíamos aumentar o número de marcas abarcando também as importadas.

  3. JOAO RESENDE disse:

    Ótimo registro Denis! Como um dos “auditores” do teste posso dar minha chancela de veracidade, rigor metodológico e experimento com muita diversão! Ontem mesmo, assim que o teste era concluído, tuitei seus principais resultados: http://twitter.com/joaofresende

  4. Cristopher disse:

    Trabalho a 20 anos como mestre cervejeiro, 5 dos quais como consultor internacional (Caribe, Europa, África, Russia e China). A conclusão do teste cego está corretíssima. Atualmente nem mesmo o painel degustativo oficial e especializado das grandes cervejarias consegue diferenciar as cervejas tipo pilsen brasileiras, inclusive a Bohemia pilsen (ao contrario da Bohemia Confraria usada no teste).
    Parabéns!

  5. Gostei do texto e do comentário do Cristopher. É bom saber que não foi tão sem noção assim!
    Mas vale lembrar que, quando o teste foi aplicado nossas papilas gustativas, olfato e neurônios já estavam meio comprometidos por várias cervejas, cassoulet e torta de maçã, que estavam muito bons por sinal.
    Na próxima vez vamos manter apenas um tipo de cerveja e começar com o paladar zerado! Que tal?

  6. NELSON DA SILVA disse:

    A finalidade do teste era saber qual a melhor cerveja ou quem acertava o maior número de marcas?

  7. Acho que meu resultado foi prejudicado pela quantidade de cervejas que bebi antes do teste.
    Vamos fazer outros.

    []s

    Cabral

  8. Felipe Maddu disse:

    Eu acho que essa Bohemia Confraria tem um gosto bem diferente e é até feita bem artesanalmente, enquanto que as outras são industrializadas. A confr é cara, mas deliciosa. Eu fui na oktober em 2006 e tinha umas brejas artesanais maravilhosas e com gostos bem diferentes.

  9. Seu Zé disse:

    A Confraria é muito boa mesmo, assim como a Bohemia Weiss, de trigo. O resto é xixi de gato, só pra deixar bêbado pagando pouco. Nem de cevada é, como já foi provado, e sim de milho.

  10. Bem-vindos à era da pesquisa de mercado faça-você-mesmo-com-seus-amigos!
    O próximo teste cego será de cachaça!

  11. Anouk disse:

    Oi Denis,

    Achei o teste perfeito.

    No Brasil quando bebo cerveja só bebo Bohemia. Para mim é mesmo a melhor.

    Na verdade, nao gosto muito de cerveja, embora viva na Alemanha. Por aqui bebo uma mistura chamada “Alsterwasser”; 1/2 cerveja e 1/2 limonada. Esta é a mistura típica do norte da Alemanha, bem clarinha tipo Pils. Ela é saborosa, muito refrescante e nao me deixa tonta.

  12. jorji disse:

    A minha bebida preferida, ao contrário da grande maioria dos brasileiros, prefiro tomar ela não muito gelada, pois tira o paladar da cerveja. Provavelmente, se eu fizesse o teste, não saberia diferenciar o sabor delas. O José Paulo Martins tem razão, poderiamos importar mais cervejas, provavelmente a nossa cerveja melhoraria de qualidade, é claro, com um preço atrativo.

  13. Memyself disse:

    Jamais consigo diferenciar uma cerveja da outra. No máximo, a bock, que é minha preferida. De resto, só percebo se é mais aguada ou não. Mas qual delas é a aguada? Não sei! Lembro-me da avó de uma amiga, uma italiana que fazia cerveja em casa. Guardava as garrafas em um alpendre e volta e meia uma estourava, sozinha, espirrando cerveja para todo lado. Mas acho que foi a melhor cerveja que já tomei.

  14. Memyself disse:

    Primeiro, quero parabenizar a turma pelo amor à ciência e pela disposição ao “sacrifício”. Depois, quero dizer que nunca consigo diferenciar uma cerveja da outra. No máximo, a bock, que é minha preferida. De resto, só percebo se é mais aguada ou não. Mas qual delas é a aguada? Não sei! Lembro-me da avó de uma amiga, uma italiana que fazia cerveja em casa. Guardava as garrafas em um alpendre e volta e meia uma estourava, sozinha, espirrando cerveja para todo lado. Mas acho que foi a melhor cerveja que já tomei.

  15. Memyself disse:

    Sorry por dois comentários. O primeiro parecia não ter saído, daí resolvi acrescentar os parabéns ao time de cientistas.

  16. Felipe Maddu disse:

    Jorgi, o José Paulo não disse o que vc afirma, ele disse que no próximo teste deveria também ter cervejas importadas e não só nacionais. A gente já importa um monte, e tem muitas que são boas, recomendo a Serra Malte tb muito boa e me surpreendi com a sub-zero, geladinha hehehe

  17. denis rb disse:

    Oi NELSON DA SILVA,
    Eu diria que não havia uma “finalidade” para o teste. Era um experimento científico e, como os bons experimentos científicos devem ser, estávamos preparados para aprender com os dados, sem saber de antemão o que seria. Acho que aprendemos várias coisas, a saber:
    – segundo nossa limitada amostragem, as cervejas são virtualmente indistinguíveis, com exceção da Bohemia Confraria. Ninguém consegue diferenciar uma da outra.
    – se tirarmos a Bohemia Confraria, ninguém sabia o que estava bebendo. Dos 56 palpites (tirando a Confraria), 49 estavam errados!
    – a Bohemia Confraria foi avaliada como claramente superior. Tirando ela, as cervejas tiveram todas avaliações muito parecidas, com Devassa e Itaipava se sobressaindo positivamente e Skol com a pior avaliação.
    – as cervejas “especiais” da Ambev (Original, Serramalte) na verdade receberam avaliação ligeiramente inferior às cervejas “normais” da mesma empresa (Antarctica, Brahma). Todas tiveram avaliação muito semelhante, o que reforça a tese de que a diferença entre elas está mais no marketing do que no líquido.
    Tudo isso, é bom frisar, baseado numa amostragem pequena e levemente alcoolizada. Portanto, caros leitores, deixo um convite: faça seu teste e me mande a planilha! Assim podemos juntar uma amostragem maior.

  18. Muito interessante a matéria! Vou propor uma interdisciplinaridade para esse teste com meus amigos das diversas áreas, como por exemplo (na humanas) os filósofos, os também cientistas sociais, os historiadores…, (na biológicas) os médicos, biólogos…, enfim, para analisar novos pontos de vista.
    Como um apreciador de cerveja (gosto mesmo), me surpreendeu o resultado desse teste…

  19. Rafael Marinho disse:

    Lembrei que lá no Peru (se não me engano), a Brahma é que desce redondo, não a Skoll.

    E gosto eu não discuto. Um amigo meu gosta da Skin porque ela é aguada. Eu odeio a Skin pelo mesmo motivo. Então…

  20. Felipe Maddu disse:

    Eu acho que vai muito de gosto também. Em Petrópolis conheço um pessoal que odeia Itaipava(ironicamente, porque a cervejaria é de lá) e tira um sarro da gente(paulistanos da gema rsrsrs) que, geralmente, adora. É só ver que teve bastante acerto do pessoal cervejeiro. Lá na serra fluminense eu bebi Original misturada com Petra, ficou encorpada, da hora.

  21. jorji disse:

    Felipe, já tomei várias marcas de cerveja, como as alemães, boliviana, americana, inglesa, holandesa, japonesa, canadense, etc, e sem querer denegrir a nossa cerveja, acho as nacionais e americanas, aguadas e fracas, isso em função do malte e da água, além do baixo teor alcoolico, e provavelmente da tecnica de produção tambem. Na minha opinião, a qualidade dos alimentos industrializados ( frios, café, enlatados, chocolates, biscoitos, queijos, etc) não são de boa qualidade, a importação desses itens junto com a importação de cervejas com menos impostos, com certeza ajudaria a melhorar.

  22. Felipe Maddu disse:

    Café, frios? tá viajando aeuhaeuhae importe sambistas da Tailândia que os daqui são de má qualidade também hahahha

  23. jorji disse:

    Felipe, o nosso café é horrível, as melhores coisas do Brasil são exportados, eu já tomei café brasileiro no exterior, é muito bom, os nossos queijos são ruins, isso para quem já comeu o queijo francês, é claro, chocolate é doce demais, o salame é cheio de nervos……………………

  24. Anouk disse:

    Felipe,

    Você já provou a mortadella di Bologna? Quando provar você vai entender do que o Jorji está falando. A propósito, as fatias devem ser cortadas bem finas. Uma delícia!

    Eu nao suportava mortadela até conhecer a melhor.

  25. PEDRO PRIMITIVO GIRARDI disse:

    EU SOU UM APAIXONADO POR CERVEJA DESDE O TEMPO EM QUE A MÃE FAZIA EM CASA NOS ANOS 60,,,,,,AGORA VAMOS PELO MEU GOSTO,,AMO A ORIGINAL,,,ADORO Á BHOEMIA,,,GOSTO DA SKOL,,,TEM NO RIO GRANDE DO SUL,,,A TAL DE POLAR,,,GENTE É MUITO BOA……..E VIVA A CERVEJA…BEBA COM MODERAÇÃO,,NÃO PASSE DE UM ENGRADADO QUE PODE DAR DOR DE CABEÇA…

  26. Felipe Maddu disse:

    Pode ser até melhor, mas o que vejo de incoerente é por se tratar de commodities, ou seja, a gente produz a matéria-prima po, só falta evoluir no processo e ajudar o mercado interno. Se dissesse coisas mais tecnológicas blz, mas comida.

  27. jorji disse:

    Felipe, a questão é a tecnica, assisti na tv a forma com que se produzem as melhores cervejas por exemplo, e de alimentos industrializados em geral, vou dar exemplo da fabricação de salsichas, para produzir um tipo de salsicha especifica, até a raça do suino, forma de se alimentar, uma série de detalhes fazem a diferença, no caso do Brasil, para qualquer salsicha usa-se a mesma carne.

  28. Felipe Maddu disse:

    Vamo ensinar os gringos a fazer cachaça e eles nos ensinam o resto euheue Por falar em cachaça, o teste com a “marvada” deve ser dificil hein, só pros especialistas mesmo..

  29. Wolf disse:

    Sei…, mas lá na lavanderia, tinha um “auditor” vendo as garrafas abertas de todas as cervejas, e que cada uma foi realmente colocada a degustação? Ou só uma delas foi deliberadamente colocada em cada copo numerado, e quem bebia dizia da mesma cerveja: Essa é boa! Ah! Essa é mais ou menos! Essa eu não gostei, etc??? Desculpe mas eu não estava lá vendo o manejo das garrafas. Tem mestre cervejeiro que comentou que nem na fabricada conseguem diferenciar uma pilsen da outra…Ah! Me chamem para o próximo teste como auditor na lavanderia, daí no final do teste eu assino embaixo. Por enquanto só pra variar, e dar uma esnobada, vouficar aqui comemorando Saint Patrick’s Days, tomando a minha Guinness! Rsrsrs!

  30. Felipe Maddu disse:

    Denis, tem como você conceder uma entrevista para mim sobre internet nas classe mais baixas? Acho que você ia responder bem as questões para meu trabalho de faculdade. Como tenho o hábito bem brasileiro de deixar tudo para última hora, o dead line é hoje mesmo às 19h00. abraço

    Ps. O trabalho é de rádio, então a entrevista seria uma gravação via fone.

  31. denis rb disse:

    hahaha.
    Pode ser sim, Felipe, mas estou com o dia um pouco cheio, teremos que encontrar uma brecha na agenda. Mande um email para mim no endereço que aparece lá em cima, no canto alto direito, e marcamos um horário.

  32. Felipe Maddu disse:

    Obrigado, já mandei.

  33. Marcelo disse:

    Denis, vc viu a manchete do site da Veja neste momento?

    ”Chá do Santo Daime: alucinação assassina”

  34. Felipe Maddu disse:

    Normal Marcelo, não há surpresas se tratando de Veja hehe

  35. denis rb disse:

    Eu acho que o assunto tratado na revista é relevante. Pena que, por preconceito, mais uma vez, tenha-se perdido a oportunidade de tratar dele com profundidade, tentando-se realmente discutir os problemas e encontrar soluções para eles, ouvindo-se gente com opiniões contraditorias. Enfim: pena que o objetivo tenha sido condenar, em vez de entender.

  36. Marcelo disse:

    Vc viu a capa de Veja, Época e Istoé esta semana? Deve ser o maior ataque já feito pela mídia contra o Daime.

    Na verdade não apenas contra o Daime, a reportagem de Veja aproveita para condenar a maconha tbm. Estão se aproveitando deste caso isolado para empurrar o discurso moralista e hipócrita anti-drogas. A reportagem de Veja, assim como é de praxe nesta revista de péssima qualidade, está carregada de preconceitos, desinforma e subverte a verdadeira história com o flagrante intuito de denegrir a imagem do Daime.

    Digo moralista hipócrita pq quando se vê gente alcoolizada praticando atos violentos por aí (o que acontece todos os dias) nenhum destes hipócritas aparece p pedir a proibição do alcool.

  37. Anouk disse:

    Nao entendi o porquê da irritacao com o artigo da Veja sobre o tal chá. Pelo relato, nem gostoso ele é, provoca náusea e pode até ser prejudicial à saúde. A intencao do artigo foi previnir sobre os malefícios que podem ocorrer em pessoas psiquicamente lábeis.

    As bebidas alcóolicas nao produzem alteracoes psiquicas se houver moderacao , ao contrário da maconha e do tal chá.

    Quando nos reunimos com amigos e abrimos uma garrafa de vinho ou cerveja nao queremos nos embebedar e sim saborear a bebida, celebrar a vida.

    O teste acima demonstou o quanto somos iludidos ao fazermos nossas escolhas; nao é mesmo?

    Pois é, no tal chá como na maconha o que se procura é a ilusao. Quando o efeito da droga termina resta apenas prostracao.

  38. Felipe Maddu disse:

    Anouk, vc nem deve ter lido direito a reportagem da Veja. Quando se refere à maconha, tá escrito num box à parte, maconha: não há relato de reações indesejáveis. Você, ao expor a sua opinião, não está fazendo nada mais do que puxar a sardinha para a droga de sua preferência. E na boa, como o Marcelo disse, essa cervejinha que diz é responsável por MUITAS mortes!! Vc só repercute o velho e cego discurso oficial anti-drogas.

  39. Felipe Maddu disse:

    E a reportagem corrobora a versão da defesa do assassino de que a culpa não foi dele(e da doença que ele, com certeza, herdou da mãe) e sim do chá, feio isso.

  40. Marcelo disse:

    Anouk, vou desenhar pra vc entender:

    PLACAR DE MORTES POR DROGAS NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE:

    Alcool: 54874612168574986164643168431257849075126304565216342158692337451985384/89863735

    Cigarro: 3279841278241963725481637218946372324184353196895721361875216398572136918422611

    Ayahuasca (Santo Daime): 02 (supostamente)

    Maconha: 0 (isso mesmo: ZERO).

  41. Marcelo disse:

    P.s.

    Bebidas alcóolicas produzem alterações psíquicas sim, e das mais perigosas.

  42. jorji disse:

    O álcool mata, o cigarro mata, toda droga mata e aos milhões, a religião mata, e muito, muito mesmo. Não entendo o porque desta discussão, todos os senhores devem ter um excelente patamar de informação e conhecimento, e tem a ciencia de que os humanos sempre consumiram drogas, e provavelmente sempre consumirá, e que as religiões deflagaram muitos conflitos, e que muitas delas utilizaram ervas em seus ritos, em que mundo os senhores vivem?

  43. jorji disse:

    Dizer que o álcool não produz alterações psiquicas, é o cúmulo!

  44. Marcelo disse:

    Jorji, não entendi a sua intenção.

    Vc está condenando a reportagem preconceituosa e hipócrita de Veja ou está condenando a maconha, o Daime e os grupos religiosos que o consomem?

    Me pareceu que vc disse algo mais ou menos assim:

    “Quem pode falar mal do Daime ou da maconha? A igreja católica e outras denominações igualmente hipócritas, responsáveis por inúmeras mortes ao longo da história ou os moralistas hipócritas que atacam a maconha mas defendem o alcool, igualmente responsável por inúmeras mortes ao longo da história?”

  45. Anouk disse:

    Marcelo, embora tenha escrito “previnir” no lugar de prevenir, você nao precisa desenhar nada para mim nao; ok?

    Esses dados você tirou de onde? Pelo visto, você adora um programa de índio.

    Eu disse que o álcool se consumido com MODERACAO, nao provoca alteracao psíquica, ou seja, ALUCINACAO. Ao contrário do Daime e da maconha.

    Felipe, eu gosto de curtir a vida, caminhar no bosque, deitar na grama e observar as estrelas no céu, sentir-me uma partícula desse universo maravilhoso. A sensacao de liberdade nesses momentos é algo comovente e isso tudo acontece sem que precise utilizar substâncias alucinógenas para atingir um estado elevado de espírito. Eu nao uso drogas porque nao preciso.

    Quanto ao rapaz assassino, quero mais que ele se dane.

  46. jorji disse:

    Marcelo, para ser sincero, ainda não li a reportagem da veja, e nem sei nada a respeito dessa religião, o Daime, vou ler.

  47. Felipe Maddu disse:

    Anouk, você pode beber moderadamente, os comerciais avisarem para bebermos moderadamente(embora eles não queiram que isso aconteça pois senão as vendas despencam), mas a verdade é que quase ninguém faz isso e ainda pega a caranga para dirigir depois.

    PS: Maconha não causa alucinação. Qual a fonte de sua afirmação? Qual a base científica? Álcool também é droga.

  48. Marcelo disse:

    Anouk,

    Eu nem notei este pequeno descuido ortográfico que não desabona em nada o valor da sua argumentação.

    O que desabona o seu argumento é o fato de vc defender o alcool, que já fez incontáveis vítimas em toda a história da humanidade ao mesmo tempo em que ataca a maconha que nunca, repito: NUNCA!, matou ninguém e o Daime, que está sendo usado como bode expiatório na primeira vez em que conseguiram associá-lo a um episódio de crime violento.

    Se vc vai usar argumentos como violência ou danos à saúde para sustentar a proibição da maconha e do Daime, no mínimo, diante das estatísticas, deveria defender a proibição pelo menos do alcool tbm.

    Os dados que postei em relação ao alcool e cigarro são meramente ilustrativos, não dá pra saber com exatidão. O número real de mortos na conta do alcool e do cigarro em toda a história deve ser aqueles números ao quadrado.

  49. Marcelo disse:

    Pessoas que têm disturbios psicológicos como aquele rapaz não poderiam usar droga nenhuma. Inclusive (e principalmente) o alcool que, cientificamente comprovado, tem uma longa e íntima relação com a violência, bem diferente do caso da maconha e do Daime.

  50. Felipe Maddu disse:

    Mas uma coisa eu tenho que concordar com a reportagem da Veja, pessoas esquizo tem que ficar longe de drogas, qualquer uma, inclusive álcool.

  51. Marcelo disse:

    P.s. A menos que a pessoa já sofra de disturbios mentais a maconha, assim como o alcool, não causa alucinações. Sei disso por experiência (muuuiiita experiência) própria.

  52. Anouk disse:

    Felipe,

    Eu nao quero nem posso interferir na escolha de ninguém.

    A maconha pode, sim, provocar alteracoes psíquicas, assim como o álcool.

    Quanto à falta de moderacao do ser humano, você tem toda razao. Por isso mesmo, o uso de substâncias alucinógenas nao deveriam ser ministradas sem orientacao de um médico competente no assunto. Abs.

  53. Marcelo disse:

    Anouk, agora que vc cedeu e pôs o alcool e maconha no mesmo patamar parece que começamos a concordar. Na verdade qualquer

  54. Marcelo disse:

    oops, foi sem querer… Continuação:

    … droga psicoativa em maior ou menor grau produz alterações psíquicas, os principais fatores que determinam estas alterações são o abuso ou moderação. O que estou dizendo é que é uma grande hipocrisia alguém condenar o Daime a maconha enquanto defende o alcool. Basta dar uma olhadinha nas estatísticas para ver qual droga traz mais prejuísos à sociedade. Segundo o Ministério da Saúde o alcool causa 22,5 vezes mais mortes do que todas as drogas ilícitas somadas.

  55. Marcelo disse:

    P.s. Denis, me desculpe por fugir completamente ao tema do post. É que não dava mesmo p ficar calado vendo estas reportagens infames.

  56. Anouk disse:

    Marcelo,

    Eu nao defendo o álcool de forma alguma, embora aprecie uma taca de vinho no jantar.

    Se a partir de amanha bebidas alcóolicas forem proibidas, substituirei o vinho por água mineral ou suco.

    Se a maconha, no entanto for liberada, eu seria capaz de utilizá-la; caso ficasse seriamente doente e incapaz de manter o bom humor. Abs.

  57. Marcelo disse:

    Anouk, gostei do seu último post, vc é muito sensato(a).

    Só não penso como vc, mesmo que o estado me proíba de usar maconha não deixarei de usá-la. Esta é a minha resposta a um estado autoritário que se acha no direito de se intrometer nas minhas escolhas pessoais: desobediencia civil. Foi assim que Ghândi libertou a Índia.

  58. jorji disse:

    Marcelo, sejamos realistas, drogas em geral sempre a sociedade consumiu, e sempre vai consumir, acabei de ler a reportagem, não vi nada de preconceituoso na matéria, pelo que li, o santo Daime é apenas mais uma dessas religiões que surgiram entre tantas outras seitas, onde os seus seguidores tomam um chá alucinógeno, provavelmente é uma droga, uma seita que é uma mistura de cristianismo, umbanda, espiritismo…………………..sejamos realistas, sejamos realistas, não entendo como uma pessoa como o Glauco, como pessoas tão inteligentes entram ………………..deixa pra lá!

  59. Laura disse:

    O que isso tem a ver com sustentabilidade?

  60. jorji disse:

    Arnouk, se proibirem de fazer sexo com mulheres, voce vai usar bonecas infláveis?

  61. jorji disse:

    Carambas, o quem a haver Ghandi com maconha?

  62. Felipe Maddu disse:

    Você não entendeu Jorji, ele quis dizer no ato político da coisa.

  63. Marcelo disse:

    Jorji, como vc não percebeu a intenção de denegrir a imagem do Daime aproveitando para atacar tbm a maconha como se ambas fossem responsáveis por milhões de mortes? O que é uma GRANDE MENTIRA, como já disse o alcool mata 22,5 vezes mais do que todas as drogas ilícitas somadas e nenhum hipocrita como o jornalista que fez aquela matéria aparece para pedir a proibição do alcool.

    Mas, na primeira vez em se associou o Daime a UM episódio de crime violento é essa “indignação”. Pq nenhum destes fica “indignado” quando o alcool mata aos milhões?

  64. Anouk disse:

    Hahahaha…

    Jorji,

    Sexo com mulher, inflável ou nao, nao é a minha praia.

  65. Marcelo disse:

    O que é que Ghandi tem a ver com maconha, Jorji?
    Desobediencia civil.

  66. Felipe Maddu disse:

    É A Anouk né? não O Anouk. Jorji tá se enrolando com tudo tststs

  67. Vitor disse:

    Um brinde ao MARKETING da SKOL. Mas vamos brindar com uma BOHEMIA ok!?

  68. José disse:

    Caro Denis,
    Também não sou enjoado para cerveja. Dentre as boas marcas, compro a que estiver com preço mais bacana. O triste é que a produção em massa padronizou demais o gosto dessas loiras e você não vai mais poder tomar uma Serramalte Extra como fazia há, sei lá, vinte anos. Era mesmo uma cerveja excelente. Hoje é uma boa cerveja. Tenho certeza que num teste cego como esse que vocês fizeram eu reconheceria sem pestanejar se uma Serramalte Extra me fosse servida. Mas a Serramalte de antanho…

  69. Wallace disse:

    Você não entende?
    Quando tua esposa ou filho forem atropelados e mortos por alguém dirijindo alcoolizado talvez você comece a entender, ou será preciso desenhar?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: